Inseguro sobre investir em outros países? Veja porque é muito mais seguro do que manter todo o seu dinheiro por aqui

Pode-se responder a indagação do título com uma outra pergunta: Por que não investir no exterior?

Hoje em dia é bastante comum viajar para o exterior, fazer compras no exterior, adquirir produtos importados, conviver com estrangeiros, etc. A globalização derrubou fronteiras em diversos segmentos da sociedade. Por que também não as derrubou nos investimentos?

O primeiro fato é de que não existe publicidade de corretoras ou bancos estrangeiros no Brasil, exceto aqueles que possuem agências aqui. O segundo fato é o comodismo do brasileiro quanto às questões financeiras. Cerca de 90% das pessoas neste país mantém todo o seu dinheiro no banco em que recebem o salário ou pagamento. Se você se encaixa neles, saiba que não existe nenhum banco brasileiro na lista dos 50 bancos mais seguros do mundo, cuja lista pode ser acessada aqui. E, veja só, nem na lista dos bancos mais seguros entre os países emergentes, encontrada neste link.

Investir no ExteriorAgora responda uma outra pergunta. Você colocaria 100% do seu dinheiro investido na Bolívia? Acredito que não, certo? Agora pergunte para algum suiço ou inglês: Você colocaria 100% do seu dinheiro aplicado no Brasil? Dificilmente responderiam sim. Percebeu como a segurança é relativa? Não é porque você nasceu em um determinado país que esse país é o melhor lugar do mundo para tudo.

Quantas moedas o Brasil teve nestes últimos 50 anos? Quantas crises de hiperinflação? Quantos calotes à dívida externa? Faça as mesmas perguntas em relação à Suiça ou Alemanha e perceberá a diferença. Em Cingapura, por exemplo, jamais houve uma quebra bancária. Quando se trata de cuidar de seu futuro financeiro e da sua família, a realidade é mais importante do que qualquer patriotismo.

Não é só uma questão de credibilidade em termos de país. Há também toda uma gama de empresas estrangeiras altamente rentáveis e com posição de destaque nos mercados globais em que você pode investir.

Para colocar em perspectiva, o mercado brasileiro de ações corresponde a apenas cerca de 1% do mercado global . Seria muita inocência acreditar que as melhores oportunidades de investimento estivessem confinadas neste 1%, por mais que nos últimos anos tenha havido um marketing forte neste sentido.

Investir no ExteriorAs únicas exceções a isso são os BDRs nível 1 não patrocinados, que são recibos emitidos por alguns bancos sendo equivalentes às ações de algumas empresas americanas e que são negociados na Bovespa e alguns fundos multimercado que investem parte do patrimônio no exterior. O primeiro está restrito a investidores que comprovem patrimônio acima de 1 milhão de reais e possuem baixíssima liquidez. Os principais fundos também são destinados apenas a investidores de alta renda e possuem custos altíssimos em comparação com produtos similares comprados diretamente nos Estados Unidos e Europa.

Para se ter uma ideia de quão pequeno é o mercado brasileiro, o Google sozinho vale hoje mais que todas as empresas listadas na bolsa brasileira. Isso porque é uma empresa que foi fundada em 1998 e que lançou as ações ao mercado em 2004. O surgimento desse tipo de empresa só é possível em países que forneçam condições para os empreendedores se desenvolverem e que tenham uma massa crítica de talentos vindos das melhores universidades, como é o caso dos Estados Unidos.

Isso é facilmente demonstrável pelas incontáveis empresas americanas que continuam a revolucionar o dia a dia das pessoas de todo mundo desde o advento do computador pessoal, do surgimento da internet e da popularização dos telefones celulares. Quantos investidores estão podendo lucrar no sucesso da Microsoft, Apple, Amazon, Intel, Oracle, IBM, entre tantas outras? Certamente poucos brasileiros.

Investir no ExteriorNão é só isso. Quantas empresas americanas passaram por períodos como a grande depressão, duas guerras mundiais, guerra do Vietnã, guerra da Coréia, chegada do homem a lua, colapso da União Soviética, guerra do Golfo e estão presentes até hoje? Resumindo de maneira objetiva: Quantas empresas americanas existem há mais de 100 anos, estão listadas em bolsa ao alcance do investidor e possuem valor de mercado acima de U$ 1 bilhão? A resposta é 372. É mais do que o total de empresas hoje listadas na Bovespa (365)! Ainda tem mais. Nada menos que 10 dessas empresas tem pagado dividendos ininterruptamente há mais de 1 século, incluindo o período da grande depressão americana. Algumas são conhecidas dos brasileiros, como a Procter & Gamble, Coca-Cola e a Colgate-Palmolive. Assim fica mais fácil entender o que significa credibilidade.

Além disso, também é possível cruzar para o outro lado do mundo, onde existem empresas atendem o país mais populoso do mundo, a China, e de lá também vendem produtos e serviços para todo o resto do mundo. Recentemente, o Ali Baba, maior empresa de comércio eletrônico do mundo, abriu capital na Bolsa de Nova Iorque. A empresa conecta empresas chinesas ao mercado consumidor local e internacional e suas vendas anuais são maiores que a da Amazon e eBay juntos. Assim como ele, muitas outras empresas chinesas altamente lucrativas possuem ações listadas seja em Nova Iorque, seja em Hong Kong e estão ao alcance do investidor internacional.

Esta é só a ponta do iceberg em termos de investimentos globais. Não se pode ficar restrito às oportunidades de apenas um país, quando outras melhores estão à sua disposição no resto do mundo.