Dois bancos estrangeiros com um pezinho no Brasil e um banco brasileiro com um pezinho na Suíça

Caso não tenha lido o capítulo anterior dessa série, sugiro que veja clicando aqui.

A partir do momento em que se entende a filosofia do investimento no exterior, cujos pilares são diversificação entre moedas, acesso a novos mercados e proteção patrimonial, deve-se partir para os próximos passos.

Tanto a escolha da instituição financeira, como do país são fundamentais para quem deseja possuir uma conta no exterior.

Moedas InternacionaisÉ preciso estar atento aos fundamentos econômicos e riscos políticos do país em questão, bem como a qualidade dos ativos, liquidez e capitalização de seus bancos.

Os países que possuem sistemas bancários bem estabelecidos e que contam com bancos ao alcance dos clientes estrangeiros não residentes são:

  • Suíça
  • Liechtenstein
  • Luxemburgo
  • Andorra
  • Mônaco
  • Áustria
  • Estônia
  • Letônia
  • Ilha de Man
  • Ilha de Jersey
  • Ilha de Guernsey
  • Malta
  • Gibraltar
  • Cingapura
  • Hong Kong
  • Emirados Árabes Unidos
  • Bahrain
  • Ilhas Maurício
  • Ilhas Cook
  • Ilhas Seychelles
  • Panamá
  • Ilhas Cayman
  • São Vicente e Granadinas
  • São Cristovão e Nevis
  • Aruba
  • Anguilla
  • Antígua e Barbuda
  • Belize
  • Bermuda
  • Bahamas
  • Santa Lúcia

Conta Bancária no ExteriorNão se assuste com a ausência dos EUA e a presença de muitos pequenos países caribenhos e europeus, dos quais você nunca ouviu falar ou se ouviu deve ter sido em alguma reportagem não muito favorável sobre os chamados “paraísos fiscais”. Falaremos em mais detalhes sobre esses países em breve. Por enquanto, basta saber que esses países possuem sistemas bancários sólidos e que é perfeitamente legal escolhê-los para se ter uma conta no exterior.

A segunda etapa é vasculhar essas jurisdições e descobrir quais bancos estão presentes e quais estão alinhados com seu perfil e objetivos.

Ao escolher o banco, deve-se estar atento aos seguintes fatores:

  • Custos envolvidos com a manutenção da conta bancária.
  • As moedas nas quais é possível ter conta.
  • Disponibilidade de cartões de crédito e débito.
  • Produtos de investimento disponíveis.
  • Presença de gerente ou equipe que oriente a montar um portfolio de investimentos.
  • Se há uma corretora associada ou se é possível operar diretamente nas bolsas de valores.
  • Mercados onde é posso investir.

Segurança bancáriaA partir deste post serão listados alguns bancos mais comuns usados por clientes não residentes em todo o mundo. Não se trata de recomendação, mas apenas uma forma de expor aos brasileiros de maneira organizada as instituições financeiras que se encaixam nessa característica. Cabe a cada pessoa realizar sua própria pesquisa e investigação caso queira se tornar cliente de algum deles.

A outra questão é que as necessidades e regras são passíveis de mudança. Um banco que aceitava residentes do Brasil pode passar a não aceitar. Outro que exigia U$50 mil pode mudar para U$ 100 mil, ou reduzir de U$ 1 milhão para U$ 500 mil. Assim como as tarifas e os produtos disponíveis podem mudar de um ano para outro, sem aviso prévio. Por isso, um novo contato com o banco, de forma a saber os custos e necessidades atuais para se abrir conta nele, é fundamental.

Também é bom frisar que existe uma grande diferença entre um banco convencional voltado para o dia a dia e um Private Bank voltado para investimentos e administração de recursos. Em geral, o primeiro exige pouco investimento inicial, enquanto o segundo já exige mais recursos, tem custos maiores e possui um atendimento mais personalizado.

Pra começar, alguns bancos que possuem ramificações no Brasil.

HSBC Expat

HSBC[Artigo escrito antes da compra do HSBC pelo Bradesco]

É um ramo do banco inglês HSBC voltado para clientes estrangeiros ou que saíram de seus países e querem ter disponível um banco com acesso global.

No caso dos brasileiros, o acesso se dá se tornando cliente Premier no HSBC local e solicitando a abertura de conta no HSBC das Ilhas Jersey.

Após a abertura de conta, todo o procedimento de transferência é feito pelo bankline e é possível possuir conta corrente em Dólar, Euro e Libra Esterlina. Também disponibiliza savings account (poupança) e outros produtos de investimento em renda fixa em cerca de outras 15 moedas.

Disponibiliza cartões de crédito Visa, MasterCard e American Express.

Em relação aos investimentos, é possível aplicar em fundos do próprio HSBC e fundos globais.

Também disponibiliza assessores de investimentos, desde que atingido certos valores de depósito.

Citibank

Citibank[Artigo escrito antes da compra do Citibank pelo Itaú]

Também é possível se tornar cliente do Citibank International Personal Bank. Uma das vantagens de ser um cliente tanto do Citibank como do HSBC é o fato de serem os bancos com a maior presença mundial. Por mais longíquo que seja o país que você viajar, é bastante provável que haja alguma agência deles por lá. Entretanto, para o cliente brasileiro do Citi, este produto só é oferecido para aqueles com disponibilidade mínima de R$ 2,5 milhões.

Por outro lado, no site do braço do banco nas Ilhas Jersey, informa a aceitação de clientes brasileiros, exigindo um mínimo inicial de U$ 100 mil. Ou seja, realizar o contato diretamente pelo site pode ser mais vantajoso caso se deseje um investimento inicial menor.

O braço de Jersey possui contas multi-moedas e oferece disponibilidade de investimentos de renda fixa, como depósitos a prazo. Também é possível investir em uma grande lista de fundos de investimento e há um serviço de corretora associado com acesso a 24 países.

Existe a disponibilidade de cartão de débito na bandeira Visa.

Para clientes com disponibilidades acima de U$ 1 milhão, é oferecido o serviço diferenciado Citi Gold, que oferece mais serviços como aconselhamento e montagem de portfolio.

Banco J Safra Sarasin

J Safra Sarasin Formado em 2011 a partir da aquisição do controle do banco suíço Sarasin pelo banco brasileiro Safra. Além de possuir a sede na Suíça, possui ramificações em diversos países europeus, além do Oriente Médio, Ásia e América Central.

Está disponível para clientes brasileiros do banco Safra que queiram investir pelo menos o equivalente a U$ 500 mil.

É um Private Bank, ou seja, voltado para administração de recursos. Possui todos serviços de assessoria financeira e de montagem de portfolio que todo banco de primeira linha possui, com possibilidades de uma vasta gama de fundos e produtos.

Como dito, é um banco voltado para clientes de alto patrimônio, com serviços que atendem os mais exigentes.

Continua na Parte 3.