Se você tem um computador em casa, agradeça ao Bill Gates

Existem poucas empresas no mundo que podem se vangloriar de ter criado um segmento inteiro na indústria. E existem menos empresas ainda que foram responsáveis por mudanças profundas no modo como a população do mundo todo vive e trabalha. Uma delas é a Microsoft.

Neste artigo você verá um pouco da história da empresa, desde a sua origem até os dias atuais. Também saberá porque suas ações se tornaram um dos melhores investimentos de toda a história.

Mas será que ainda ainda vale a pena você investir na empresa? É o que você descobrirá ao terminar de ler o artigo.

História

A história da Microsoft se confunde com a própria história do computador pessoal. A empresa foi fundada em 1975 por Bill Gates e Paul Allen. Foi o ano em que uma pequena empresa do Novo México, chamada MITS, desenvolveu um dos primeiros computadores de mesa, chamado Altair 8800.  Ao vislumbrar que a tendência de popularização dos computadores iria impactar e muito a vida das pessoas, os dois trataram de desenvolver um programa que pudesse ser lido e interpretado por essa máquina. O programa no caso foi o BASIC e marcou o nascimento da indústria de software.

Altair 8800

Pode não parecer, mas esse microcomputador causou furor no mercado de tecnologia em 1975

O Negócio do século

Não só no período em que a Microsoft forneceu o sistema operacional para o Altair 8800, mas principalmente quando passou a fornecer para os PCs da IBM em 1980, a grande sacada de Bill Gates foi não ter vendido os direitos autoriais do sistema, agora batizado de DOS. Ao invés disso, ele mantinha a posse do software e cobrava uma licença por cada computador vendido com ele.

E foi a instalação do DOS nos computadores da IBM, sem sombra de dúvida, o negócio mais espetacular já feito por um empresário em toda a história. Assista você mesmo na cena abaixo do filme “Piratas do Vale do Silício”:

 

Leve a cena com um grão de sal, por se tratar de um filme, mas o fato é que ninguém reuniu ao mesmo tempo inteligência, conhecimento técnico e tino para negócios como Bill Gates. Vender o que não tinha para uma das maiores empresas do mundo e comprar por U$ 50 mil (U$ 154.188,39 em valores atuais), algo que lhe gerou bilhões de dólares mais tarde é somente para uma elite de visionários. E ele tinha apenas 25 anos!

Os degraus para o sucesso

O MS-DOS foi apenas a porta de entrada e o alicerce da Microsoft no mundo dos PCs. Ao mesmo tempo em que equipava os computadores da IBM, a empresa licenciava seu sistema para mais de 20 fabricantes. Independente de qual PC você comprasse, se IBM, Compaq, Digital, Zenith, etc, ele estaria equipado com o sistema operacional da Microsoft.

Após o DOS, o sucesso continuou com o Windows, particularmente a versão 3.1, sistema gráfico já com ícones e mouse, como conhecemos hoje, e que competia com o Macintosh da Apple. Os sequentes lançamentos do Windows 95 e do Windows XP estabeleceram definitivamente a empresa como uma gigante do mercado de computação.

Bill Gates e Windows

As aparências enganam. Esse rapaz aí estava começando a dominar o mundo

O domínio sobre o sistema operacional também permitiu à Microsoft criar a suíte de aplicativos Office, que desbancou os então líderes de mercado em editor de texto e planilha eletrônica, respectivamente WordPerfect e o Lotus 1-2-3. O Lotus foi encerrado pela IBM em 2013 e o WordPerfect continua a ser desenvolvido pela Corel. Pra quem não conhece, é uma excelente alternativa ao Word.

Fora da indústria dos PCs, a empresa alcançou enorme sucesso com a criação do Xbox, que chegou ao mercado no ano 2000. A indústria multibilionária de jogos era então dominada apenas pela Sony e pela Nintendo. Hoje, o Xbox One disputa com o Playstation 4 a preferência no mercado de consoles. No momento, o console japonês tem vendido mais, numa proporção de 2 pra 1.

Coleção de fracassos

Mesmo com tamanhos sucessos, a Microsoft também tem em seu currículo fracassos retumbantes entre seus produtos.

Um deles foi o Zune, aparelho portátil de música digital lançado em 2006, “apenas” 5 anos depois do lançamento do iPod, líder do setor. É um produto que quase ninguém comprou e que teve uma vida curta, já que em 2007 o primeiro iPhone exterminou praticamente todos os aparelhos digitais portáteis. O Zune durou um pouco mais e foi descontinuado em 2012.

O Microsoft Tablet PC foi criado no ano 2000 e chegou a ser fabricado pela Lenovo, mas nunca fez sucesso. O próprio Bill Gates confessou que o produto não era bom o bastante e chegou cedo demais, numa época em que o quesito portátil não era tão importante. Foi o contrário do iPad, cuja chegada já estava pavimentada pelo sucesso do iPhone nessa área.

Microsoft Zune

Nunca teve ou viu pessoalmente um Microsoft Zune? Nem eu

Outra “pisada na bola” da Microsoft foi o Windows 8. Enquanto todo mundo já estava acostumado com o botão Iniciar e o modo como o Windows estava desenhado até a versão 7, a Microsoft resolveu mudar radicalmente. Críticos e usuários ficaram decepcionados. Eu mesmo nunca atualizei pra essa versão.

A participação no mercado de smartphones também tem sido um dos calcanhares de Aquiles da companhia na última década. O Windows Phone tem uma participação pífia no mercado. Nem mesmo a compra da já decadente Nokia e a evolução dos aparelhos Lumia conseguiram melhorar as vendas.

Nunca é demais lembrar também os inúmeros micos pagos nas apresentações do Microsoft Windows, que invariavelmente terminavam na famigerada tela azul.

Investir na Microsoft é uma boa?

É até covardia comparar o retorno de quem investiu na Microsoft no dia 13 de março de 1986, data do IPO (Initial Public Offering), e segurou as ações até hoje.

Se você tivesse comprado 100 ações ao custo original de U$2.800,00 e reinvestido todos os dividendos em ações da empresa, estaria hoje com 43.276 ações ao valor de U$ 2.156.450,00, um retorno astronômico de 76.916%.

Hoje a Microsoft é uma das empresas que melhor paga dividendos nos Estados Unidos, sendo uma das 10 empresas do mundo que mais paga em valores absolutos. Só no último trimestre, a companhia devolveu U$6,4 bilhões em valor ao acionista, sendo U$3,6 bi em recompra de ações e U$2,8 bi em dividendos. Atualmente possui um dividend yield de 2,9%, com taxa anualizada de crescimento de dividendos de 16% nos últimos 3 anos. Isso significa que a empresa não só paga um bom dividendo, como também ela vem aumentando esse dividendo ano após ano. É uma métrica importante que poucos dão importância no Brasil. Muito se fala no dividend yield, mas pouco se fala no crescimento dos dividendos.

Paul Allen e Microsoft

Paul Allen hoje é dono dos times do Seattle Seahawks, do Portland Trailblazers e do Seattle Sounders FC

Vamos lá. Se você procura renda proveniente de ações é importante que essa renda, paga sob a forma de dividendos, aumente ano após ano, porque o valor é corroído pela inflação. Perceba como o aumento de 16% no valor do dividendo tem muito mais valor em se tratando de uma inflação de cerca de 1% nos Estados Unidos. Ter uma renda passiva que cresce acima da inflação é tudo que queremos, não é mesmo?

Abaixo você tem uma análise dos dados fundamentalistas da empresa atualmente extraídos do Yahoo Finance:

Valor de MercadoU$ 391 bilhões
Preço/Lucro (últimos 12 meses)38.4
Preço/Lucro (estimado para 2017)17.1
Preço/Crescimento dos Lucros2.2
Preço/Vendas4.7
Preço/Patrimônio5.4
Margem de Lucro0.12
Margem Operacional0.27
Retorno sobre Ativos (ROA)0.08
Retorno sobre Patrimônio (ROE)0.12
Receita TotalU$ 86 bilhões
Receita por AçãoU$10,90
EBTIDAU$ 29 bilhões
Lucro por AçãoU$1,30
Fluxo de Caixa OperacionalU$ 31,1 bilhões

Com um fluxo de caixa livre positivo em mais de U$ 31 bilhões para o ano cheio, não é difícil concluir que comprar um Bond da Microsoft é muito mais seguro que qualquer título do Tesouro Direto. Não sou eu que acho isso. É o mercado.

Como a Microsoft é hoje

Podemos dividir atualmente o negócio da Microsoft em alguns segmentos:

Processos de produtividade e negócios: Inclui as licenças e assinaturas do Office Comercial e Pessoal, bem como serviços de nuvem como Exchange, SharePoint, Skype, Outlook.com e OneDrive. Também faz parte as soluções de negócios Microsoft Dynamics.

Os destaques dos resultados divulgados para este segmento em 22 de abril de 2016 foram o aumento da receita do Office 365 em 63% quando avaliada no modo Constant Currency (CC), quando se anulam as variações cambiais para comparação mais fidedigna. A receita do Dynamics CRM Online subiu mais de 100% no período.

Microsoft AzureNuvem inteligente: Inclui Windows Server, Microsoft SQL Server, Visual Studio, System Center e CALs relacionados, bem como o Microsoft Azure. Serviços de Enterprise, incluindo Suporte Avançado e Serviços de Consultoria também fazem parte do segmento.

O destaque do último trimestre foi o aumento de 120% (CC) para as receitas do Microsoft Azure. É um segmento em que a Microsoft tem ganhado bastante espaço, mas ainda está atrás da líder Amazon.

Mais computação pessoal: Inclui as licenças OEM do Windows e outras licenças e patentes relacionadas ao Windows, MSN, Windows Phone e mecanismo de busca. Também fazem parte os aparelhos da empresa voltados ao usuário final, como Smartphones, o Surface e acessórios para PCs. Toda a parte relacionada ao console, jogos e assinaturas do Xbox completam esse segmento de negócios da companhia.

O Surface contribuiu fortemente para as receitas com alta de 61% (CC) graças aos modelos Surface Pro 4 e Surface Book. A base de usuários do Xbox Live cresceu  26% para 46 milhões. A decepção pra variar se deu com a receita relacionada aos smartphones, que caiu 46% (CC).

No geral, o resultado do último trimestre foi abaixo da expectativa dos analistas, lembrando que esse resultado se trata do terceiro trimestre do ano fiscal de 2016. Todos os principais dados caíram em relação ao mesmo trimestre do ano anterior. A Receita recuou em 6%, o lucro operacional recuou 20%, o lucro líquido diminuiu em 25% e o lucro por ação foi 23% menor. Não custa lembrar que a valorização do Dólar no período contribui para a redução dos valores relacionados a vendas fora dos Estados Unidos.

Microsoft compra o Linkedin

No último dia 13 de junho, a Microsoft balançou o mercado com o anúncio da compra do Linkedin, a maior rede social corporativa do mundo. O valor pago foi de U$ 26 bilhões em dinheiro, um prêmio de 64% sobre o fechamento das ações no dia anterior. Acha que é muito? Pois saiba que a Microsoft tem mais de U$ 100 bilhões em caixa!

A notícia pegou muita gente de surpresa, principalmente pelo alto valor (é a maior aquisição da história da empresa), mas também por ela não ter tido sucesso em muitas de suas aquisições passadas. Veja você mesmo a quantidade de empresas que a Microsoft já adquiriu desde 1994. É uma lista imensa.

Microsoft e Linkedin

CEO da Microsoft Satya Nadella rodeado por Jeff Weiner e Reid Hoffman do Linkedin

Entretanto, alguns pontos são importantes para as pretensões futuras da Microsoft sobre a base de 433 milhões de usuários do Linkedin. A primeira é que a Microsoft poderá oferecer seus produtos tanto para as empresas que fazem recrutamento na rede, quanto para os profissionais que usam a plataforma. Imagine também a quantidade de dados sobre os usuários que a Microsoft terá acesso. São informações muito valiosas. Com isso, ela obterá maior conhecimento sobre tendências e comportamento dos usuários como jamais teve.

O resultado da aquisição só vai poder ser concluído em uns 5 anos. Vai ser o tempo de maturação e integração das diversas soluções e aí sim saberemos o quanto isso terá impulsionado as receitas e lucros da Microsoft.

Curiosidades sobre a empresa e seus fundadores

Pra finalizar, alguns fatos interessantes relacionados com a companhia e seus personagens principais:

  • O gramado verde com o céu azul que ocupavam fundo de tela do Windows XP é a foto mais vista da história
  • A música Start me up dos Rolling Stones foram o tema de lançamento do Windows 95
  • Bill Gates se tornou bilionário aos 31 anos
  • Bill Gates já doou mais de U$ 28 bilhões para caridade
  • Bill Gates and Paul Allen fizeram respectivamente 1590 e 1600 pontos no SAT, o vestibular americano. 1600 pontos equivale a gabaritar a prova
  • Steve Ballmer, 30º funcionário da empresa foi CEO de 2000 a 2014. É formado em matemática e economia por Harvard com a honraria magna cum laude
  • Paul Allen tem uma coleção de caças da segunda guerra, além de ser dono de um dos maiores iates do mundo

Conclusão

A Microsoft, que já foi uma das empresas de maiores crescimento do mundo, hoje é uma empresa dominante no mercado de TI, mas que não deixa de enfrentar suas dificuldades. Mesmo assim, figura hoje como uma das melhores pagadoras de dividendos nos EUA. Não deixa de ser uma boa opção em uma carteira de ações diversificada.


Na próxima quinta-feira, enviarei material complementar sobre a Microsoft e o Linkedin para todos os assinantes da newsletter.