Aprenda como criar fontes de renda em Dólar, Euro, Libra e demais moedas fortes de maneira prática

Um dos principais motivos para se investir é criar uma fonte de renda além daquela relacionada ao seu trabalho. É fácil entender o por quê.

Por exemplo, para se aposentar você deve gerar dinheiro de forma passiva, já que de alguma forma deve continuar pagando suas contas. E todos sabemos que a aposentadoria pública tradicional está condenada (a não ser que você seja político ou magistrado). A tendência é elevação da contribuição e redução dos benefícios ou o colapso total do sistema. Portanto, é fundamental ter uma segunda fonte de renda vinda da economia real, caso você não queira ter uma redução abrupta do padrão de vida.

A outra vantagem da renda extra é a proteção que ela confere em caso de desemprego, problemas de saúde, queda do lucro da sua empresa ou mercado em baixa no setor em que você atua. Nada com a crise pela qual estamos passando para aprender isso na prática.

Mesmo que você não use o dinheiro no momento em que recebe, você pode reinvestir o valor em novos investimentos. Já está mais do que provado que o reinvestimento de renda e dividendos tem um efeito cumulativo importante na formação de patrimônio ao longo do tempo.

Tudo isso para mencionar ainda o último fator que é justamente ter renda em moeda forte, não relacionada aos nossos percalços político-econômicos. Já sabemos que os países com maior liberdade econômica e suas respectivas moedas não só estão menos propensos a crises, como também conseguem sair delas mais facilmente.

Os investimentos

Existem inúmeras maneiras de se investir para renda no exterior. Algumas mais comuns e outras que você provavelmente nunca ouviu falar. E quando eu falo em renda significa que periodicamente irá cair dinheiro na sua conta vinda dos investimentos. Não irei levar em conta os investimentos de renda fixa, por exemplo, que apenas pagam o principal + juros no vencimento.

renda no exteriorNa primeira parte, falo sobre as formas mais comuns de se conseguir renda no exterior. Na segunda parte, falarei sobre as maneiras alternativas de renda. As ações pagadoras de dividendos serão abordadas na terceira parte, devido a algumas peculiaridades que a distribuição de lucros no exterior tem em relação ao Brasil. Na quarta parte, será abordada a montagem de um portfolio com objetivo de renda mensal. Se for do seu  interesse ter renda no exterior, sugiro que assine a lista de e-mail para receber uma notificação quando cada artigo for publicado.

Os investimentos que são abordados no artigo de hoje são:

  • Bonds
  • Ações Preferenciais
  • REITs
  • Imóveis

Bonds

Bonds são os títulos de renda fixa emitidos no exterior. Seriam equivalentes aos CDBs dos bancos brasileiros, das debêntures emitidas por empresas e dos títulos do Tesouro Direto vendidos pelo governo. A grande diferença é que aqui os juros são pagos ao final do período (exceto alguns títulos do Tesouro e debêntures) e no exterior o pagamento é feito via cupons periódicos.

Existem diversos tipos de bonds, mas em geral são títulos emitidos com prazo definido, taxa de juros fixa e cupons fixos pagos semestral ou anualmente. O título é criado com determinado valor de face e é negociado no mercado secundário acima (>100%) ou abaixo (<100%) desse valor.

Um título cujo valor de face é U$ 1.000, vencimento em 2020 e com juros semestrais de 4%, pagará 20 dólares a cada 6 meses e no dia do vencimento devolverá os U$ 1.000. Isso acontece independentemente do valor que você pagar pelo título.

É importante também não só avaliar os juros e o prazo do título, mas também a qualidade do emissor. Títulos com juros mais altos (high-yield) estão normalmente relacionados a empresas com maior risco de crédito. Caso queira investir com mais segurança, o ideal é possuir títulos de empresas ou entidades detentoras do grau de investimento (investment grade).

Vocês poderá aprender mais sobre bonds nos artigos sobre os altos juros do Brasil em moeda estrangeira e naquele sobre a estratégia da escada de bonds.

Existe ainda uma página específica sobre Renda Fixa, onde você encontrará muitos outros detalhes sobre este tipo de investimento.

Ações Preferenciais

As ações preferenciais (preferred shares) são ativos híbridos, que mesclam tanto características de ações quanto de renda fixa. Além de representar uma parcela da posse de uma empresa, elas comumente não tem uma data de validade, como as ações ordinárias (common shares). Por outro lado, elas não conferem direito de voto ao acionista, possuem valor de face e pagam uma distribuição definida, como os títulos de renda fixa (bonds).

As ações preferenciais estão classificadas acima das ações comuns na hierarquia da estrutura de capital da empresa e possuem preferência na distribuição de dividendos. Possuem então menos direitos, mas fornecem alguns benefícios extras.

renda no exteriorAlém disso, é possível observar que as ações preferenciais têm baixa correlação com a evolução de precço das ações comuns e bonds. Isso favorece a diversificação e reduz a volatilidade e o risco da carteira.

O dividendo predeterminado das ações preferenciais também geram mais segurança ao investidor. Primeiro porque os juros são fixos. Segundo porque a distribuição não é afetada por qualquer mudança na política de dividendos da companhia. É comum uma empresa que esteja em um momento ruim reduzir ou mesmo cortar os dividendos das ações comuns. Isso não acontece com os detentores de ações preferenciais, exceto em caso de séria dificuldade financeira.

Não bastasse tudo isso, em geral os juros das ações preferenciais são maiores que o dividend yield das ações comuns. Atualmente, o dividend yield médio das empresas que compõem o índice S&P 500 é de 2,0% e o yield total, quando se soma as recompras de ações (total shareholder yield) é da ordem de 5%. As ações preferencias de muitas das principais companhias americanas distribuem entre 5 e 7% de juros anualmente.

REITs

REITs ou Real Estate Investment Trusts são companhias que possuem e administram imóveis geradores de renda ou investem em títulos de renda ligados ao mercado imobiliário. Possuem ações negociadas em bolsa e permitem que pequenos investidores recebam renda de grandes imóveis que seriam inacessíveis pelas vias comuns.

O grande benefício dos REITs é que eles devem distribuir pelo menos 90% do lucro tributável como dividendos e esses dividendos são dedutíveis do imposto devido. Isso significa que sobra muito da receita para ser distribuída aos acionistas.

Algumas vantagens dos REITs é que eles não só possuem um dividend yield maior que o das ações, mas também distribuem esses dividendos de forma mais estável no longo prazo. Além disso, é possível investir em REITs que distribuem dividendos mensais, trimestrais, semestrais ou anuais em diversos países do mundo.

REITs também contribuem para a diversificação de uma carteira de investimentos e possuem maior liquidez quando comparados aos imóveis comuns.

Historicamente, nos EUA, o índice que segue o mercado de REITs tem superado o índice de ações S&P 500, mostrando que é uma classe de investimento das mais importantes.

Imóveis

É possível você investir diretamente em imóveis voltados a aluguel no exterior, sejam eles lojas, escritórios, casas, galpões, apartamentos, etc. O ganho pode ser obtido tanto pela renda gerada pelos aluguéis, quanto pela valorização do imóvel.

imóveis renda no exteriorÉ um investimento que requer uma alta soma inicial e uma orientação de corretores no local onde se deseja comprar o imóvel. O destino principal dos brasileiros que investem em imóveis internacionais é a Flórida.

Além de encontrar alguém confiável para lhe orientar, é fundamental montar uma estrutura offshore para ser dona dos imóveis. Não só isso. O ideal é ter 2 empresas do tipo LLC, sendo uma sediada em paraíso fiscal que será a proprietária da outra empresa sediada, por exemplo, nos EUA. O ganho tributário com esse arranjo é enorme.

Os riscos são os mesmos inerentes ao mercado de imóveis no Brasil. Não há certeza de que o imóvel irá valorizar. Pode haver vacância e você precisar arcar com a manutenção da propriedade. Também pode acontecer algum desastre natural que afete o imóvel. Para isso é possível fazer um seguro.

Se quiser aprender sobre investimentos no mercado imobiliário internacional de maneira mais profunda, sugiro que leia a página específica sobre imóveis e REITs.

Conclusão

Estas foram apenas 4 formas diferentes de conseguir renda em moeda forte no exterior. Existem páginas próprias aqui no site onde você poderá aprender mais sobre algumas delas.

Nos próximos artigos, você aprenderá sobre outros investimentos, alguns não disponíveis no Brasil, e que também poderão contribuir para lhe conferir uma renda extra no exterior.


Você pode pular para a parte 2, clicando aqui.