Como aumentar as suas chances de conseguir abrir uma conta nos bancos internacionais

Pode ser frustrante depois de ler dezenas de artigos e páginas sobre investimentos no exterior, abrir a mente para a diversificação internacional, entrar em contato com um banco estrangeiro e não ser aceito ou descobrir que aquele banco não é pra você.

Diante disso, resolvi mostrar algumas dicas que você pode usar não só para aumentar as suas chances de ter uma conta em outro país, como também para evitar perder tempo batendo nas portas erradas.

1-Por quê?

Essa é a primeira pergunta que você deve saber responder. Por que você quer abrir uma conta naquele banco ou naquela corretora?

Veja, você está entrando em contato com um banco em outro país e à distância. Quem for lhe atender não sabe nada sobre você e nem tem como descobrir, já que existem muitas fronteiras entre os dois. Você precisa ter uma boa justificativa para querer uma conta naquele banco.

Por todo o contato com os leitores nesses últimos dois anos fica claro alguns dos motivos principais que levam alguém a abrir conta em outro país:

  • Realizar investimentos em moeda forte como Dólar e Euro
  • Ter acesso aos mercados acionários de diversos países do mundo
  • Usar o serviço de gestão de recursos do banco
  • Proteger parte do patrimônio do risco político, econômico e inflacionário do Brasil
  • Compra de imóvel naquele país ou região
  • Utilizar a conta para a sua empresa receber pagamentos internacionais

São todos motivos bastante plausíveis e aceitáveis que justificam ter uma conta em banco de outro país.

2-Quanto pretende depositar?

Há 2 razões para o banco saber o quanto você pretende depositar. Primeiro é ver com que seriedade você pretende conduzir esta conta. Ninguém abre uma conta com os motivos acima e aplica 500 dólares. Por que alguém correria o risco e se daria ao trabalho de abrir uma conta para estrangeiro não residente por um valor tão baixo?

bancos internacionaisAssim, muitos bancos inclusive determinam valores mínimos que os novos clientes devem depositar para ter sua conta ativada. Estes valores não são fixos para sempre. Estão sempre mudando de acordo com as necessidades do banco.

De qualquer maneira, algumas coisas já é importante saber de antemão. Os bancos de Mônaco e Liechtenstein, por exemplo, somente costumam aceitar altos depósitos iniciais. Em Mônaco, exceto talvez por um ou outro banco, o mínimo costuma ser de 1 milhão. Então, se você não está nesse patamar de patrimônio nem convém perder tempo entrando em contato com bancos nestes países.

Por motivos óbvios, quanto maior for seu depósito e seu volume de investimentos, mais portas se abrirão para você no exterior.

3-Conta corporativa

Em geral, a abertura de conta para empresas offshore é um pouco mais delicada do que para pessoa física, já que estão muito mais relacionados aos crimes de lavagem de dinheiro e evasão de divisas. Ninguém que queira praticar lavagem de dinheiro a faz para uma conta em seu próprio nome, correto?

Bom, diante disso é importante ter definido exatamente o que a sua empresa faz e ver quais países são mais adequados para esse tipo de atividade. Se o negócio de sua companhia for sites de apostas, já pode evitar de antemão os EUA e Hong Kong. Chipre, Malta e Ilhas Virgens Britânicas são mais adequados para isso.

Também não é bom insistir em abrir conta nos Emirados Árabes Unidos, caso sua empresa não tenha ligação com a atividade econômica na região do Golfo. Em geral, os países árabes somente oferecem conta corporativa para empresas estrangeiras que tenham negócios na região.

Se a sua conta for apenas com a finalidade de investimentos e planejamento tributário também é importante deixar isso bem claro. E caso no meio do caminho sua empresa resolva começar outra atividade, é importante deixar o banco ciente.

Outro fator fundamental é quanto a reputação de sua empresa. Quanto mais antiga ela for, quanto mais ela movimentar, quanto mais clientes ela tiver, maiores serão suas chances de conseguir uma conta em determinado banco. Não é questão de dizer que empresas novas não são aceitas, mas sim de mostrar que quanto mais estabelecida for uma empresa, mais opções de banco ela terá.

bancos internacionais4-Pesquisa

É sempre importante ter algumas informações sobre aquele banco antes de entrar em contato. Visite a homepage, veja os tipos de conta, os serviços disponíveis, os investimentos oferecidos. Atente-se para os custos de cada tipo de conta e de serviços como cartões de crédito. Veja se tudo isso é adequado à você.

Não se esqueça de que taxas sempre existirão. É ilusão achar que encontrará um banco sem tarifas e que irá lhe atender como um Private. Não existe banco grátis.

Eu sugiro que você acompanhe a série de abertura de conta no exterior ou visite a página com a lista de bancos já mencionados por aqui para ter uma noção geral sobre os bancos que costumam abrir conta para não-residentes.

Conclusão

Tudo o que foi abordado aqui se refere principalmente à abertura de conta bancária à distância. Nos países e bancos onde se pede a sua presença física, notadamente Cingapura e Hong Kong, a burocracia em geral é menor. Você está lá pessoalmente e seu passaporte já foi verificado na “fronteira”, o que reduz as chances de identidade falsa.

Isso é o que ocorre com quem vai aos EUA e abre uma conta simples no Wells Fargo ou Bank of America. Para conseguir o visto americano, o próprio governo dos Estados Unidos já fez uma checagem da sua vida, então em tese não haveria necessidade do banco precisar fazer isso de novo.

De qualquer forma, seja o mais honesto possível, evite se contradizer e tire todas as dúvidas de quem estiver lhe entrevistanto. Jamais omita ou invente informações. Confiança é tudo em um relacionamento que envolve dinheiro e milhares de quilômetros de distância.

Não tenho dúvida de que ao encontrar o banco que se encaixa no seu perfil, as possibilidades de abrir uma conta são bem maiores.