Moët Hennessy Louis Vuitton

/, Investimentos/Moët Hennessy Louis Vuitton

Não se trata apenas de bolsas. A Louis Vuitton é líder mundial em produtos de alto padrão

Se existe uma estampa que é conhecida até mesmo por quem não é mulher e não entende nada de moda, essa estampa é o monograma inconfundível da Louis Vuitton.

A Moët Hennessy Louis Vuitton, ou LVMH como é conhecida, é um conglomerado especializado não só em produzir bolsas, mas também diversos outros artigos de luxo. Foi formada em 1971 pela fusão dos grupos Moët & Chandon e Hennessy e que mais tarde, em 1987,  uniram-se a Louis Vuitton.

Apesar da empresa como é hoje ter pouco tempo de vida, a origem das empresas e marcas originais é bastante antiga. A Maison de vinhos e espumantes Moët & Chandon foi fundada em 1743 na província francesa de Champagne. A Hennessy foi fundada em 1765 na cidade francesa de Cognac.  Já a Louis Vuitton foi fundada em 1854 na cidade de Paris. Além de aprender a origem dos nomes das bebidas, saiba que a Louis Vuitton começou fabricando baús e não bolsas.

Louis Vuitton

Funcionários da Louis Vuitton em 1888. Por trás do glamour, há muito trabalho duro

Se ficou impressionado com as empresas que pagam dividendos há mais de 100 anos, que tal essa que reúne marcas que possuem séculos de vida? Inclusive uma com mais de 600 anos! Calma, que você já irá descobrir qual é.

Conhecendo as marcas da empresa

A LVMH é dividida em diversos setores de acordo com os produtos que fabrica.

Vinhos e Destilados: compreende 21 casas, incluindo as já faladas Moët & Chandon e Hennessy, mas também inclui Veuve Clicquot, Krug, Ruinart, Mercier, Ardbeg e as mais antigas Les Clos des Lambrays fundada em 1365, Château D’Yquem de 1593 e a exclusivíssima Dom Pérignon, fundada em 1668.

Moda e Produtos de Couro: composta por 15 casas, incluindo Loewe, Moynat, Louis Vuitton obviamente, Berluti, Fendi, Cristian Dior, Givenchy, Kenzo, Marc Jacobs, entre outras.

Perfumes e Cosméticos: são 9 casas que fazem parte desse segmento, como Guerlain, Acqua Di Parma, Givenchy Parfums, Parfums Cristian Dior, Kenzo Parfums, etc.

Relógios e Joalheria: é o segmento mais novo da empresa, composto por 7 casas: Chaumet, Tag Heuer, Zenith, Bvlgari, Fred, Hublot e De Beers Diamond Jewellers.

 

Varejo Seletivo: são 6 casas de lojas que transformam o ato de fazer compras em uma experiência única: Sephora, DFS, Le Bon Marché Rive Gauche, La Grande Epicerie de Paris e Starboard Cruise Services.

Outros: compreende 9 casas com atividades distintas: Cova (cafeteria), Royal Van Lent (iates), Jardin D’Acclimatation (parque em Paris), La Samaritaine (edifício em Paris), Cheval Blanc (rede de hotéis de luxo), entre outros.

São 70 casas sob os cuidados da empresa, que foca em manter a identidade, qualidade, herança e expertise de cada uma.

A LVMH em números

A Moët Hennessy Louis Vuitton é a quarta maior empresa da França, com valor de mercado atualmente na casa dos € 91 bilhões. É negociada na bolsa de Paris sob o código MC.

A empresa é controlada pelo bilionário francês Bernard Arnault, cuja família detém 47% das ações. 34% da companhia pertence a investidores institucionais estrangeiros, 13% a investidores institucionais franceses, 5% a investidores individuais e 1% está em tesouraria.

Obviamente ainda não temos o fechamento de 2016, mas a empresa terminou 2015 com 125 mil funcionários, 3860 lojas e € 35,7 bilhões de receita. É a empresa de luxo número 1 do mundo.

Os resultados completos disponíveis de 2016 se referem à primeira metade do ano.

Os destaques nesse período foram:

  • Forte momento nos Estados Unidos e crescimento no mercado europeu
  • Excelente performance de ‘Vinhos e Destilados’ em todas as regiões do planeta
  • Sucesso das linhas clássicas e novas da Louis Vuittton, cuja lucratividade permanece em níveis excepcionais
  • Acentuado crescimento da Fendi, que completa 90 anos
  • Forte momento da Parfums Christian Dior
  • Ganhos de mercado da Bvlgari e reposicionamento da marca Tag Heuer
  • Excepcional progresso da Sephora com fortalecimento da sua posição em todas as regiões e no universo digital
  • Dinheiro de operações antes das mudanças no capital de trabalho de € 3,7 bilhões, alta de 8%
  • Relação dívida líquida/ativos de 20% ao final de junho de 2016

Em termos de números, temos evolução nos principais indicativos da empresa. Receita de € 17,2 bilhões, alta de 3%. Crescimento orgânico de 4% comparado com o mesmo período de 2015. Lucro das operações correntes foi de € 2,9 bilhões, semelhante ao do primeiro semestre de 2015. Lucro líquido do grupo foi de € 1,7 bilhões, alta de 8%. Já o fluxo de caixa livre aumentou 12%, para € 761 milhões.

Dom Pérignon

Dom Pérignon Luminous

O setor de ‘Vinhos e Destilados’ cresceu 9% organicamente. Os ‘Produtos de Moda e Couro’ permaneceram estáveis. ‘Perfumes e Cosméticos’ cresceram 8% de forma orgânica. O crescimento foi de 4% no setor de “Relógios e Joalheria’, enquanto o ‘Varejo Seletivo’ cresceu 5%.

Já em termos geográficos é interessante notar que a maior parte da receita da empresa vem da Ásia (exceto Japão) com 28% do total. Os Estados Unidos são responsáveis por 26%. Europa (exceto França) totaliza 17%. França é responsável por 10% e o Japão por 7% da receita. Os demais mercados juntos compreendem os 12% restantes. Já em termos de crescimento, nota-se que a receita aumentou 7% nos Estados Unidos e 5% na Europa, permanecendo estável no Japão e Ásia.

Em outubro último foram divulgados alguns números de receita relacionados aos 9 primeiros meses de 2016. Mostrou-se um crescimento ainda melhor que a tendência do primeiro semestre, exceto pela queda no Japão (-9%), mas que foi compensada pelo fortíssimo crescimento na Ásia continental (+10%), nos Estados Unidos (+6%) e Europa (+6%).

Dividendos

Crescimento de dividendos da LVMH

Já em termos de retorno ao acionista, a LVMH também pode ser classificada como empresa de crescimento de dividendos. São distribuídos duas vezes por ano e cada um tem sido sempre maior que o do ano anterior. Esse dividendo total anual tem crescido em média 11% ao ano nos últimos 5 anos. De €2,10 em 2011 para €3,55 em 2015. Já foi inclusive pago agora em dezembro o dividendo interino de 2016 no valor de €1,40, maior que o €1,35 de 2015. Um crescimento no geral muito relevante, particularmente em um momento de juros zero na zona do Euro.

A vida do acionista da LVMH

Não são apenas os produtos da empresa que são de altíssimo padrão, mas também o tratamento dispensado ao acionista. Se você se sente importante ou valorizado por ser acionista de alguma empresa brasileira listada no Novo Mercado da Bovespa, o índice de maior governança corporativa no Brasil, você ainda não viu nada.

Primeiramente, existem 3 formas de se tornar acionista da LVMH:

  1. Ações registradas na própria companhia
  2. Ações registrada num banco ou corretora (aquelas normalmente compradas em Bolsa de Valores)
  3. Ações em documento (Bearer Shares): é um certificado em papel mesmo que representa a ação e fica de posse sua ou guardado no banco

Caso você tenha ações registradas na empresa ou na corretora, você recebe um benefício extra, que é ter seu voto multiplicado por 2 para cada ação mantida por mais de 3 anos, durante a Assembléia Anual de Acionistas.

Louis Vuitton Alma

Louis Vuitton Alma

Sim, todos os acionistas podem participar dessa Assembléia, independentemente do número de ações que possuem. Cada um é avisado antes dessa reunião e caso queira participar deve enviar alguns documentos para a empresa. Logo depois chega um cartão de admissão, que permite o acesso ao evento.

É na Assembléia Anual, realizada em até 6 meses depois do fim do ano fiscal, que algumas decisões importantes são tomadas. Aprovação das contas, distribuição dos lucros, troca de membros do conselho, troca de auditores, concessão de autorizações específicas, etc.

Caso não possa participar, pode votar pelo correio ou enviar um procurador. Além das votações, é nesse encontro anual que a diretoria apresenta as estratégias comerciais, os resultados financeiros, as perspectivas para os próximos meses e anos, etc. Existe ainda uma sessão de perguntas e respostas entre os acionistas e o comitê executivo.

Isso não é tudo. Tendo apenas 1 ação da LVMH, você pode se tornar membro do Clube do Acionista, voltado àqueles que tenham maior interesse em saber o que acontece dentro da empresa no que se refere aos negócios e às marcas.

Você não só receberá uma carteirinha com seu nome, mas também terá acesso a diversas publicações com notícias e informações sobre as diversas Maisons que compõem a empresa. Receberá ofertas exclusivas de produtos e poderá visitar os locais onde eles são produzidos, como vinhedos e adegas com séculos de história. Também poderá acessar uma loja exclusiva de bebidas. Se tiver alguma dúvida, existe ainda um número de telefone único para lhe atender. Enfim, é outro padrão.

Conclusão

Audrey Hepburn

Audrey Hepburn e sua icônica Speedy 25

Uma das coisas que mais chama a atenção quando se avalia a Moët Hennessy Louis Vuitton sob o ponto de vista do investidor é a sua constância e resiliência com o passar dos anos. Da mesma forma que a L’Oréal, só que com produtos de preços mais elevados, a empresa tem remunerado bem os acionistas que se mantiveram fiéis em segurar as ações da empresa. Tanto pela valorização da ação, quanto pelo pagamento de dividendos.

Também da mesma forma que a conterrânea, a LVMH é um conglomerado composto por diversas marcas de liderança no setor de consumo. Isso por si só é um grande diferencial, pois são marcas que estão presentes na cabeça das pessoas do mundo todo e têm uma história de décadas e até séculos de qualidade. Além disso, essas companhias estão sempre renovando seu portfolio, vendendo e adquirindo marcas conforme as oportunidades do mercado. Nada como preservar o seu espaço comprando seus principais concorrentes. Algo que só uma empresa multibilionária tem caixa para fazer.

Portanto, a LVMH é mais uma entre as diversas opções de investimento que você tem ao abrir uma conta no exterior. E aposto que depois de se tornar um acionista, jamais irá se queixar das mulheres que gastam milhares de dólares em uma bolsa. Claro que desde que não seja a sua.

PS: Não possuo ações da empresa e este artigo não é recomendação de compra.

By | 2017-08-10T14:42:25+00:00 18 de dezembro de 2016|Ações, Investimentos|16 Comments

16 Comments

  1. Rodolfo 19/12/2016 at 07:20 - Reply

    II,

    É…. quer falar sobre valor de marca? Essa marca ai é um absurdo o valor que as mulheres estão dispostas a pagar ….

    Abs,

    • Investidor Internacional
      Investidor Internacional 19/12/2016 at 07:33 - Reply

      Oi Rodolfo,

      A Louis Vuitton é a 19º marca mais valiosa do mundo segundo a Forbes.

      A outra coisa que não falei foi o assunto falsificação. É algo que todas as grandes marcas acabam tendo que lidar, não só em roupas, mas até mesmo em eletrônicos.

      Abçs!

      Abçs!

  2. Andre 19/12/2016 at 07:42 - Reply

    Como sempre um otimo texto.

  3. Investidor Inglês 19/12/2016 at 11:50 - Reply

    Ola Investidor Internacional!

    Muito bom texto!

    Abraço!

  4. Fabiano 19/12/2016 at 13:09 - Reply

    Excelente. Gostei bastante.

  5. BPM 20/12/2016 at 04:55 - Reply

    II, muito semelhante ao Brasil né?! SQN kkkkk

    Deu pra perceber que a empresa é sólida, diferentemente das nossas que numa canetada do governo joga a ação lá no chão.

    Ótimo texto, bela análise.

    • Investidor Internacional
      Investidor Internacional 20/12/2016 at 13:13 - Reply

      Olá BPM,

      Essa é uma das vantagens de ter empresas que estão diversificadas geograficamente.

      Por mais que algum governo tente inventar alguma coisa, o impacto nas receitas da empresa acaba sendo de certa forma limitado.

      E nesse mercado de alto luxo, acredito que afete ainda menos.

      Abçs!

  6. AAFG 20/12/2016 at 16:47 - Reply

    Tenho esta ação. Sua escolha se deu por dois motivos. 1) diversificação geográfica, pois foi a forma que achei melhores para possuir alguma ação de empresa francesa, cotada em euro, e 2) diversificação de produtos, pois se prestar atenção é um conglomerado com vários negócios, similares no mercado de luxo mas diferentes nos produtos comercializados.

    Em relaçãoà L’Oreal, comprei via Nestlé, por se tratar de uma parte desta última, mas está cotada em franco suíço e sede na Suíça, além de possuir outros negócios.

  7. José Carlos Bebiano 17/01/2017 at 16:22 - Reply

    Olá , gostaria de saber como é representada na bolsa a empresa Moet Hennessy Louis Vuitton? pois não consigo achar .Desde ja obrigado

  8. hogo hold 24/01/2017 at 20:11 - Reply

    Obrigado pela postagem. O artigo é excelente ! Vou estudar com carinho. Abs!

Leave A Comment

INVISTA NO EXTERIOR COM SEGURANÇA
Receba atualizações do site e material exclusivo diretamente no seu e-mail. Você irá aprender sobre diversos assuntos:
  • Abertura de conta no exterior
  • Investimentos internacionais
  • Abertura de empresa no exterior
  • Planejamento tributário
  • Planejamento sucessório
  • Proteção patrimonial
  • Negócios internacionais
  Seu e-mail jamais será compartilhado para outros fins.
ASSINE NOSSO CURSO
Você irá receber um e-mail a cada 2 dias com artigos selecionados ensinando como investir no exterior e explicando os perigos de manter todo seu patrimônio no Brasil.
Por favor, verifique seu e-mail agora
NEWSLETTER
Assine a newsletter e receba atualizações do site e material exclusivo diretamente no seu e-mail.
  Seu e-mail jamais será compartilhado para outros fins.