ETFs Smart Beta

//ETFs Smart Beta

A categoria de ETFs que tem feito enorme sucesso entre os investidores internacionais

Existem alguns tipos de estratégias de investimentos criadas nos últimos 20 anos que começaram com apenas uma ou outra empresa aderindo, mas que com o passar do tempo foram se mostrando tão eficientes que todo o mercado passou a adotar.

Uma dessas estratégias acaba de passar a marca de U$ 500 bilhões em ativos sob administração. Estou falando dos ETFs de ações que adotam a estratégia Smart Beta.

Neste artigo você irá aprender o que são estratégias Smart Beta e como elas estão moldando, não só a indústria de ETFs, como também o modo como as pessoas investem.

Não esqueça de ler também a página específica sobre ETFs e os modelos de carteiras de investimentos que foram montadas em 2015 e 2016. Ambas usaram ETFs Smart Beta.

O que é Beta?

Beta é uma medida de volatilidade ou de risco sistêmico de um ativo ou portfolio comparado com o mercado em geral. O ativo ou portfolio que possui um Beta de 1, apresenta variação de preço em consonância com o mercado. No mercado americano, por exemplo, o mercado é definido como o índice S&P 500, um índice que pega as 500 maiores empresas dos EUA e dá pesos de acordo com o valor de mercado ou capitalização de cada uma.

500 bilhões

Os ETFs Smart Beta rompem a marca de 500 bilhões de dólares em ativos

Então, se durante o próximo ano, o índice S&P 500 valorizar 12%, espera-se que o portfolio de Beta 1 valorize-se da mesma forma. Por outro lado, um portfolio com Beta maior que 1, tende a apresentar variação de preço maior que este índice. No exemplo acima, uma carteira com Beta de 1,5, valorizaria 18%. As carteiras de Beta menor que 1, consequentemente, variam de preço de maneira mais sutil. Um Beta de 0,5 no caso acima, geraria uma valorização de 6%. Lembrando que isso vale também para as quedas.

De maneira simples, o Beta 1 varia com o mercado em geral. O Beta maior que 1 vence o mercado em épocas de alta. O Beta menor que 1 vence o mercado em épocas de baixa.

O que é Smart Beta?

Como vimos, um índice de mercado costuma dividir seus ativos de forma às maiores empresas terem maior representatividade. O índice Smart Beta usa uma série de indicadores diferentes do valor de mercado para selecionar e distribuir os ativos.  Combina técnicas de investimento passivo (escolha de um grupo de ativos com certas características) e investimento ativo (quais as características que serão usadas para a escolha).

Podemos dizer que em geral um índice Smart Beta procura selecionar ativos que em conjunto irão performar melhor que o mercado, tanto na alta quanto na baixa. Procura então reduzir riscos e aumentar os retornos. Daí o termo Beta Inteligente.

Quais são os critérios Smart Beta?

Existe uma série de critérios usados para selecionar e definir a distribuição das ações em um índice Smart Beta:

  • Valor (value)
  • Crescimento (growth)
  • Momento (momentum)
  • Dividendo (dividend)
  • Fundamentos (fundamentally weighted)
  • Multifator (multifactor)
  • Qualidade (quality)
  • Retornos esperados (expected returns)
  • Baixa volatilidade (low volatility)
  • Baixo risco (low risk)
  • Pesos iguais (equal-weighted)

Vou comentar brevemente sobre os mais comuns:

Valor

Um índice Value em geral parte de um índice mais amplo, como o S&P 500, o Russell 2000 ou o MSCI World e aplica uma análise de valor para dar mais peso às ações que estejam sendo negociadas “mais baratas” em relação aos seus fundamentos. Costuma usar alguns indicadores comuns na Análise Fudamentalista, como Preço/Lucro, Preço/Valor Patrimonial, Preço/Vendas, Preço/Fluxo de Caixa Livre, etc. É um índice com foco em melhorar os retornos.

Crescimento

Um índice Growth também costuma partir de um índice amplo e escolhe o peso de cada ação baseado em critérios de crescimento, como por exemplo: Lucros Projetados, Crescimento das Vendas, Crescimento do Lucro, Crescimento do Patrimônio e Crescimento do Fluxo de Caixa. Também busca maiores retornos futuros.

Momento

Um índice Momentum procura ranquear as empresas e dar mais peso para aquelas que estão passando por um bom momento, seja elevação do preço da ação, resultados batendo as estimativas e ajuste nas expectativas de lucros futuros.

Mercado de AçõesBaixa Volatilidade

O índice Low Volatility é voltado a encontrar e dar mais peso às ações cuja variação de preço (picos e vales no gráfico) seja menor que a média. É um tipo de índice que busca principalmente a redução de riscos.

Qualidade

Um índice Quality procura dar preferência para ações de empresas que possuem vantagens competitivas, modelos de negócio duráveis, marcas valiosas e conhecidas. São empresas que costumam ter lucros estáveis e situação financeira segura.

Pesos Iguais

Um índice Equal Weighted é aquele que a partir um índice de mercado comum, como o já falado S&P 500, divide as ações em pesos iguais e não dá preferência para nenhum outro critério. Neste caso, cada ação do S&P 500 terá 0,2% da carteira. É um modelo que procura seguir estudos que evidenciaram que as empresas menores têm maior probabilidade e espaço para crescerem que as maiores.

Multifator

Um índice Multifactor é aquele que adota, não apenas um, mas alguns dos critérios já mencionados, procurando uma seleção mais aprofundada de ações. Visa tanto a reduzir riscos, como aumentar os retornos.

O ETF Smart Beta

O primeiro ETF com essa característica foi criado em 2000 e foi o ETF iShares Russell 1000 Value. Ele seleciona as ações das 1000 maiores empresas americanas e aplica o tilt de valor, com os critérios já mencionados.

Os ETFs Smart Beta são assim ferramentas transparentes, de baixo custo e baseada em regras já estabelecidas. O investidor, exceto no caso de alguns sistemas de seleção e ranqueamento proprietários (sigilosos), sabe exatamente o que está comprando e como as ações são escolhidas.

Existe uma infinidade de ETFs Smart Beta que abordam os mais diversos mercados e que usam toda uma gama variada de critérios para selecionar suas ações. Existe desde aquele voltado a valorização no longo prazo do mercado americano, como aquele que procura ações subavaliadas no Japão.

É importante avaliar o ETF de modo a entender todas as suas características e identificar se ele é adequado ou não ao seu portfolio.

Os riscos

Mesmo sendo um modelo de investimento já estabelecido, existem obviamente riscos relacionados a ele.

O primeiro obviamente é o risco do mercado de ações em geral. Numa crise aguda como o estouro da bolha da Nasdaq em 2000 ou a crise do Subprime em 2008, tudo desvaloriza, sendo Smart Beta ou não.

O segundo fator é tracking error do ETF. O sistema eletrônico que gerencia o ETF precisa com certa frequência comprar e vender as ações, reinvestir dividendos, pagar as taxas administrativas, etc. A aplicação de um índice no mundo real pode gerar um resultado diferente do índice-base que segue preços de fechamento bem definidos. Em geral, por questão de liquidez os preços podem mudar rapidamente e o ETF fazer uma compra mais cara ou uma venda mais barata. Quanto mais eficiente for esse sistema, mais perto do índice o resultado do ETF ficará.

Smart Beta ETF

Tracking Error do iShares Russell 1000 Value ETF

O terceiro é a situação já conhecida de que “quanto mais uma estratégia se torna conhecida, menor a sua eficiência”. Imagine uma boa parte desse volume absurdo de valor, U$ 500 bilhões, selecionando e comprando as ações “mais baratas”. Quanto tempo demoraria para elas deixarem de ser baratas? É uma verdadeira batalha de softwares vendendo ações  “caras” e comprando ações “baratas”, ou qualquer outro critério que seja. Isso tende como um todo a corrigir as anomalias do mercado de que tanto dependem algumas estratégias de investimento.

O último fator são os custos. Quanto mais minucioso e mais complexo é o sistema de seleção de ações mais caro costuma ser a taxa de administração do ETF. Entretanto, a disputa entre as grandes empresas do setor, com a Vanguard e a iShares tem derrubado estes preços. Até um novo elemento nesse universo, o Goldman Sachs, lançou há 2 anos, o ETF mais barato do mundo, o Goldman Sachs ActiveBeta U.S. Large Cap Equity ETF, com taxa de apenas 0,09% ao ano.

Conclusão

Dentro do universo de ETFs, as estratégias Smart Beta têm depontado como uma das mais populares. Da mesma forma que a estratégia passiva tem sido escolhida de maneira geral em relação ao investimento ativo, as estratégias Smart-Beta têm sido escolhidas por proporcionar aquele “algo mais” para os investidores.

Esse “algo mais” pode ser entendido como os critérios de seleção que os investidores gostariam de aplicar, mas que necessitariam de muito conhecimento, tempo de pesquisa e atenção constante aos resultados das empresas e ao mercado. Ao comprar um ETF Smart Beta, critérios de valor, crescimento ou qualidade são levados em conta nem necessidade de intervenção do investidor, poupando um tempo valioso.

Estando ciente dos riscos e sabendo escolher o ETF mais adequado aos seus objetivos, é um tipo de investimento que pode ser muito útil a você.

By | 2017-08-10T14:42:24+00:00 12 de fevereiro de 2017|Investimentos|13 Comments

13 Comments

  1. Investidor de Risco 13/02/2017 at 05:10 - Reply

    Nada como um mercado desenvolvido. Se não me engano na bolsa de New York são negociados mais ETF’s do que a quantidade total de empresas listadas na bovespa…

    Valeu!!!

  2. Rodolfo 13/02/2017 at 07:31 - Reply

    II,

    Muito bom cara …. sempre uma aula … abs..

  3. Bruno 13/02/2017 at 07:48 - Reply

    Mais uma excelente matéria. Parabéns.

  4. Hélio 13/02/2017 at 11:17 - Reply

    Você poderia sugerir uma pequena lista com alguns EFT Smart Beta para nós? Desde já agradecido pelas valiosas informações prestadas no artigo.

  5. Antonio Freitas 13/02/2017 at 18:21 - Reply

    Prezado II.
    Parabens!. Voce nos ensina um pouco a cada dia.

  6. Investidor Inglês 18/08/2017 at 15:18 - Reply

    Olá Internacional!

    Estava prestes a escrever sobre o tema e por sorte achei seu belo texto! Devido a ele, vou pensar a respeito em mudar minhas estratégias na renda variável.

    Abraços!

    • Investidor Internacional
      Investidor Internacional 18/08/2017 at 18:18 - Reply

      Olá Investidor Inglês,

      Obrigado pelas palavras.

      É tanta coisa no exterior que é necessário encontrar foco para começar.

      Abçs!

Leave A Comment

INVISTA NO EXTERIOR COM SEGURANÇA
Receba atualizações do site e material exclusivo diretamente no seu e-mail. Você irá aprender sobre diversos assuntos:
  • Abertura de conta no exterior
  • Investimentos internacionais
  • Abertura de empresa no exterior
  • Planejamento tributário
  • Planejamento sucessório
  • Proteção patrimonial
  • Negócios internacionais
  Seu e-mail jamais será compartilhado para outros fins.
ASSINE NOSSO CURSO
Você irá receber um e-mail a cada 2 dias com artigos selecionados ensinando como investir no exterior e explicando os perigos de manter todo seu patrimônio no Brasil.
Por favor, verifique seu e-mail agora
NEWSLETTER
Assine a newsletter e receba atualizações do site e material exclusivo diretamente no seu e-mail.
  Seu e-mail jamais será compartilhado para outros fins.