3 lições fundamentais da carta anual da Berkshire Hathaway

/, Educação financeira/3 lições fundamentais da carta anual da Berkshire Hathaway

Como sempre, a carta aos acionistas da Berkshire Hathaway traz lições para todos os investidores

No último dia 25 de fevereiro, a Berkshire Hathaway publicou sua carta anual aos acionistas referente ao ano de 2016. Essa carta, escrita pelo CEO e Chairman da empresa, Warren Buffett, é publicada anualmente desde 1965 e tem sido leitura obrigatória para os investidores de ações do mundo todo.

Muitas das lições e os diversos livros escritos sobre Buffett, o mais conhecido investidor do mundo, baseiam-se nas observações e análises escritas nestas cartas. Nelas, Buffett consegue resumir de maneira precisa e colocar em termos que qualquer pessoa possa entender os mais complicados conceitos sobre finanças, contabilidade e investimentos.

Além disso, a carta analisa de maneira crítica tanto os bons, quanto os maus investimentos realizados pela empresa, mostrando que mesmo os melhores são capazes de errar. E é essa forma regular e honesta de investir que levou a empresa a alcançar retornos muito acima do mercado nesses últimos 52 anos.

Se o índice S&P 500 tem valorizado em média 9,7% ao ano desde 1965, a ação da Berkshire Hathaway tem valorizado 20,8% no mesmo período. Um feito e tanto.

Selecionei 3 ensinamentos importantes dessa última carta, que longe de serem novidade, reforçam muitos conceitos para quem está começando ou mesmo já possui um bom tempo de mercado.

1-Foco no longo prazo

Logo na página 4 da carta, Buffett explica que o objetivo dele e do vice-chairman Charlie Munger é de aumento o poder de lucro da empresa ano a ano. Os ganhos reais, no entanto, podem algumas vezes cair, devido a épocas de fraqueza na economia dos Estados Unidos. Mesmo assim, ele acredita que a economia americana sempre irá se recuperar dessas crises.

O crescimento da riqueza será interrompido por curtos períodos de tempos em tempos. Ele, no entanto, jamais irá parar.

Ele lembra que o dinamismo da economia americana nos últimos 240 anos tem sido a chave do sucesso para o crescimento e aumento da lucratividade dos negócios. Esse dinamismo só foi alcançado, segundo ele, pela combinação de diversos fatores, como o sistema de mercado, o estado de direito e a ambição dos imigrantes. Lembrando que os EUA é o país que mas atrai capital humano de qualidade em todo mundo.

Portfolio Berkshire Hathaway

Portfolio da Berkshire Hathaway. Não estão citados as posições em Kraft Heinz e as ações preferenciais do Bank of America

Além disso, como a empresa retém e reinveste todo o lucro obtido, é função deles reaplicar os valores assim que as oportunidades aparecerem.

Uma vez em cada década, nuvens negras encherão o céu da economia e brevemente choverá ouro. Quando essa chuva acontecer, é imperativo que corramos para fora carregando banheiras e colheres. E é isso que faremos.

Assim, ele reforça alguns dos mantras mais importantes do investimento em ações: Comprar quando o mercado está em pânico, ou seja, na baixa e aguardar a recuperação.

Aqui eu deixo uma pergunta: É possível ter esse mesmo tipo de confiança (de que a economia sempre se recuperará) no Brasil?

2-Recompra de ações beneficia o acionista

Primeiramente, Buffett critica suas próprias decisões antigas, quando fez algumas aquisições de empresas em troca de novas ações emitidas pela Berkshire. Ele fez, portanto, o oposto dessa lição e acabou aumentando o número de ações ao invés de diminuir. Em alguns dos casos, as empresas adquiridas não lucraram tão bem quanto o resto do conglomerado da Berkshire, o que acabou diluindo o lucro dos acionistas. Chegou a conclusão de que seria melhor fazer novos investimentos pagando em dinheiro do que com a emissão de ações. E essa atitude corrigida tem se mostrado bem mais eficaz.

Quanto às recompras especificamente, ele diz que para os atuais acionistas elas são sempre boas, já que ao recomprar e cancelar essas ações, cada uma possuída passa a representar um pedaço maior da companhia.

Warren Buffett Coca-ColaJá para os acionistas que sempre estão adquirindo novas ações, essas recompras só fazem sentido quando feitas abaixo do valor intrínseco da companhia. Assim, ao eliminar ações, as remanescentes imediatamente passam a ganhar um pouco desse valor intrínseco.

Ele lembra que há dois momentos onde não se deve realizar recompras. Primeiro, quando a empresa precisa de todo o dinheiro disponível para proteger ou expandir suas operações. Segundo, quando surge uma nova oportunidade de investimento que oferece muito mais valor do que a recompra de ações, mesmo quando estas estiverem depreciadas.

Desta forma, as recompras quando realizadas ao preço certo e no momento adequado aumentam o valor e “remuneram” o acionista de maneira indireta.

Minha sugestão: Antes de discutir recompras, o CEO e seu conselho devem levantar, unir as mãos e declarar em alto e bom som: “O que é inteligente a um preço é estúpido a outro.”

3-Investir em índices de mercado é um bom negócio

Warren Buffett comenta sobre uma aposta que realizou há 9 anos. Nela ele colocou U$500.000 dizendo que o conjunto de investidores profissionais que manejam ativamente os investimentos não teria rentabilidade melhor que um investidor amador que simplesmente “sentasse” e esperasse.

Ele diz que a quantidade de taxas cobradas nos Hedge Funds, ao longo do tempo, devoraria a rentabilidade e deixaria os clientes com resultados menores que alguém que tivesse investido num fundo de baixo custo que segue um índice de mercado.

Apenas um gestor topou a aposta, que será revertida para uma instituição de caridade. Ele selecionou 5 fundos de fundos, que em geral compreendem mais de 100 Hedge Funds, enquanto que Buffett optou pelo ETF da Vanguard que segue o índice S&P 500.

O resultado está abaixo. Veja que dos 5 fundos de fundos apenas dois tem mais de 2 dígitos de rentabilidade no período, enquanto o índice S&P 500 já subiu 85,4%.

Aposta Warren Buffett

Resultado parcial da aposta de Buffett após 9 anos.

Claro que existem bons gestores capazes de bater o mercado, mas em geral não é fácil encontrá-los. Além disso, bons resultados trazem mais dinheiro e quanto maior o volume que o gestor deve administrar, mais difícil torna-se a sua tarefa de manter esses resultados.

Portanto, se você não tem muito tempo ou conhecimento para escolher ações por conta própria, um bom ETF de baixo custo é capaz de dar conta do recado.

Conclusão

Acredito que seja importante para qualquer investidor em ações acompanhar a divulgação e mesmo as cartas passadas da Berkshire Hathaway, que você pode encontrar nessa página.

Existem muitas lições e ensinamentos gratuitos dados pelo maior investidor do mundo. Entretanto, se você prefere a comodidade, alguns livros compilam as partes mais importantes e são uma ótima maneira de entender como um bom investidor deve agir e se comportar.

E mesmo que você não queira ler nada disso, pode simplesmente ir comprando ações da Berkshire Hathaway e aguardar até a aposentadoria, que provavelmente terá um bom resultado.

By | 2017-08-10T14:42:23+00:00 5 de março de 2017|Ações, Educação financeira|12 Comments

12 Comments

  1. Rodolfo 06/03/2017 at 08:37 - Reply

    II,

    Excelente… Buffet é um gênio .. obviamente não acerta todas, como se vendem muitos “gurus” por ai … e muita gente não desconta um fator muito importante .. inflação … tem gente que olha a média do Buffet lá .. e acha que fazer 20% no ibov em reais, é igual fazer 20% no sp500 em dólar …

    Abs,

  2. Bruno 06/03/2017 at 18:06 - Reply

    Bem legal o texto, eu não li a carta inteira ainda pois são mais de 100 páginas, rs, mas achei legal vocês traduzirem pontos importantes com objetivo didático. Na minha visão, tenho apenas uma ressalva a fazer: um fundo indexado ao S&P500 não é, nem de longe, o mesmo que um fundo indexado ao IBOV. o IBOV é uma porcaria, com empresas ruins tendo um grande peso apenar pela liquidez. Há 10 anos ou mais que o IBOV vem perdendo sistematicamente para a renda fixa. No caso do mercado brasileiro não adianta, o investidor ou confiará em um gestor ou terá que fazer a lição de casa para selecionar as melhores empresas para o portfólio. Abraço!

    • Investidor Internacional
      Investidor Internacional 06/03/2017 at 18:20 - Reply

      Olá Bruno,

      O mercado brasileiro é muito pequeno e com pouquíssimas opções.

      Falta um ETF Smart Beta com avaliação fundamentalista para ajudar o pequeno investidor.

      Abçs!

  3. Douglas 08/03/2017 at 20:08 - Reply

    Iria falar exatamente o que o Bruno disse. Além dos ETFs brasileiros estarem muito concentrados em poucas empresas, temos muitas representações de empresa de capital misto (governo + privado). E é claro, onde tem a mão do governo, dificilmente o lucro prosperará.

    • Investidor Internacional
      Investidor Internacional 08/03/2017 at 23:07 - Reply

      Olá Douglas,

      O mercado no Brasil é muito limitado realmente.

      Quantas empresas de TI temos por aqui? Uma ou duas na Bovespa provavelmente.

      Nos EUA são centenas.

      Abçs!

  4. Frugal 11/03/2017 at 23:50 - Reply

    Amigo, voltei com o blog reformulado.

    Vou postar apenas em inglês, mas você pode ver em português traduzindo com o plugin do Google que coloquei lá.

    O intuito da mudança é pra eu me forçar a escrever em inglês e também para o blog ganhar o mundo.

    A linha do blog continua a mesma: ações, ETFs, investimentos no exterior, John Bogle, comportamento pessoal, biografias, livros, sites, dicas de economias pessoais, superação, trabalho e estudo, Jéssica Chastain também.

    Atualização mensal e resultado anual continuam. Análise de resultados de ações brasileiras sempre que sair o anual.

    Mudei o sistema de comentário para o sistema do Disqus (lê-se “Discuss”), essa é uma ferramenta muito bacana pq assim vc vai ver todos os seus comentários e suas respostas e discussões num canto só, se não conhece se cadastre no site Disqus.com vale a pena sim.

    Agora dá pra treinar o inglês lá e deixar sua participação. Você está no meu blogroll.

    Grande abraço,

    Frugal Simple.

  5. Carlos 27/03/2017 at 19:09 - Reply

    Infelizmente comprar ações da Berkshire Hathaway não é para qualquer um. Para cima de 250.000 USD cada uma.

    • Investidor Internacional
      Investidor Internacional 28/03/2017 at 00:07 - Reply

      Olá Carlos,

      A ação classe B da Berkshire equivale a 1/30 da ação classe A e atualmente custa em torno de 167 dólares.

      Assim, é possível investir.

      Abçs!

  6. Money Monster 15/05/2017 at 02:11 - Reply

    Excelente site!
    Conheci recentemente e estou correndo para ler tudo.

    Comecei na bolsa americana em março deste ano e minha primeira ação foi a Berkshire!

    Só uma correção que você fez ao colega Carlos. Depois da criação da ações classe B (1:30) em 1996, houve um split em 2010 (1:50). Então, a relação atual A:B é 1:1500.

    Abs

Leave A Comment

INVISTA NO EXTERIOR COM SEGURANÇA
Receba atualizações do site e material exclusivo diretamente no seu e-mail. Você irá aprender sobre diversos assuntos:
  • Abertura de conta no exterior
  • Investimentos internacionais
  • Abertura de empresa no exterior
  • Planejamento tributário
  • Planejamento sucessório
  • Proteção patrimonial
  • Negócios internacionais
  Seu e-mail jamais será compartilhado para outros fins.
ASSINE NOSSO CURSO
Você irá receber um e-mail a cada 2 dias com artigos selecionados ensinando como investir no exterior e explicando os perigos de manter todo seu patrimônio no Brasil.
Por favor, verifique seu e-mail agora
NEWSLETTER
Assine a newsletter e receba atualizações do site e material exclusivo diretamente no seu e-mail.
  Seu e-mail jamais será compartilhado para outros fins.