Ele está bem diante de você, mas provavelmente você nunca mexeu um dedo pra investir

Eu já vi muitos investimentos darem 50, 100, 200 ou 400% de lucro. Particularmente, o máximo que uma ação minha subiu foi algo um pouco maior que 200%. Mas existe um investimento que desde a sua criação já rendeu até hoje cerca de 60.000.000%. Sim, são sessenta milhões por cento!

Na verdade são 60.000.000% contando a partir do primeiro dia de negócios desse investimento no mercado em 2010. Na verdade, esse investimento havia sido criado três anos antes, em 2007 e passou cerca de 3 anos sem valer absolutamente nada. Sem contássemos daí, o lucro atual seria praticamente infinito.

Não é renda fixa, nem ações, nem especulação com opções.

Se você tem acompanhado as notícias sobre investimentos alternativos já deve saber que estou falando de bitcoin, a criptomoeda que é uma revolução no mercado de transações financeiras.

Pra você ter uma ideia, quando o bitcoin (BTC) começou a ser negociado no mercado há 7 anos, ele valia em torno de U$ 0,003, ou seja, menos de 1 centavo de dólar. Um mês antes, um usuário tentou vender 10.000 BTC por U$ 50  e não encontrou comprador. Um mês depois da primeira transação, um usuário conseguiu comprar 2 pizzas pelos mesmos 10.000 BTC. Hoje cada BTC vale em torno de U$1.800. Em valores de hoje, essas pizzas custaram a bagatela de 18 milhões de dólares!

Bitcoin

Eu escrevi uma página inteira sobre Bitcoin, onde falo de toda a teoria e prática em relação ao investimento neste tipo de moeda. O artigo de hoje vai mostrar o que está por trás da aparente “bolha” atual, bem como a noção de liberdade envolvida nessa moeda, que é muito mais profunda do que a maioria poderia perceber. Também procuro clarear a visão para quem pensa em investir agora.

A primeira impressão é aquela que você deve esquecer

A primeira impressão quando você se depara com uma criptomoeda é de susto: Por que alguém pagaria para ter moedas virtuais?

Antes de responder, vou lhe fazer a seguinte pergunta: Você trabalharia para receber dinheiro falso?

Provavelmente você respondeu que não. Mas é isso exatamente o que você fez ou está fazendo atualmente. As notas de Real, ou mesmo Dólar, Euro, Libra, etc não valem absolutamente nada. São papéis com números impressos. O custo para fazer uma nota de 100 e uma de 1 é praticamente o mesmo. A única coisa que confere valor a essas moedas é a imposição do estado aliada a alienação coletiva das  pessoas em aceitar esses papéis como meio de pagamento.

Como eu já expliquei tanto na página sobre Bitcoin, como no texto sobre Ouro e Metais Preciosos, o padrão pré-1930 era que cada moeda dos países desenvolvidos fossem lastreadas em determinada quantidade de ouro, considerado durante milênios como grande reserva de valor. Após 1971, na época em que o dólar estava lastreado em ouro e as demais moedas estavam lastreadas em dólar, o sistema ruiu e todas as moedas do mundo passaram a não ter nada palpável que lhes desse sustentação. Já o Brasil nunca adotou o padrão-ouro, apesar de haver moedas de ouro na época do Império.

E qual a importância da moeda ter ouro como lastro? Isso confere à moeda valor intrínseco e limita sua produção. Sem isso, fica fácil para o governo aumentar a oferta de moeda e criar o que chamamos de inflação. E a inflação leva posteriormente a um aumento de preços, como temos visto aqui ano após ano.

Nota de dólarSim, estamos vivendo dentro de uma fraude e poucos se deram conta disso. Seria motivo suficiente para uma reação do tipo “Revolução Francesa” na maioria dos países do mundo. Mas como a maioria da população está completamente alienada e não tem esse tipo de conhecimento, os governos vão abusando até o dia em que tudo irá colapsar. E esse dia está cada vez mais próximo.

“Mas esse artigo não é sobre Bitcoin?”, você deve estar se perguntando.

Claro, mas se você não souber os fundamentos de uma moeda, como irá conseguir avaliar o que é uma criptomoeda? Lembrando que classicamente ouro é dinheiro e o meio de troca usado para trocar a posse do dinheiro é o que chamamos de moeda.

Bitcoin obviamente não tem o valor intrínseco do ouro. Não está lastreado em dinheiro. Por outro lado, ele adota um software de código aberto e roda em uma rede descentralizada, sem depender de um único emissor. Nessa rede a criação de moeda é limitada por definição, existindo já um limite definido de bitcoins a serem minerados, termo usado para determinar a criação de bitcoins. Cada vez que se chega próximo a esse valor, a criação se torna mais difícil e exige maior processamento por parte dos mineradores, que são os grandes computadores que validam as operações na rede e recebem bitcoins como “prêmio”.

Isso por si só já confere ao bitcoin uma vantagem sobre todas as outras moedas do mundo, que podem ser criadas infinitamente. E todos sabemos que quando algo passa a existir demais, ele passa a valer menos. Por isso, um pão francês custava 10 centavos há 15 anos e hoje custa quase 1 Real. O pão continua o mesmo. É a sua moeda que passou a valer menos.

Em quem confiar?

Você confia no governo federal e no Banco Central do Brasil?

O valor da moeda sem lastro depende largamente da confiança no governo, no banco central e na economia do país.

O Brasil, por exemplo, não tem um governo, nem um banco central e nem uma economia que inspiram confiança. Tudo aqui é muito frágil. Qualquer mudança política e tudo pode ir por terra. Não temos instituições sólidas e seguras e muito menos um rule of law, onde as leis são respeitadas. Flertamos com o abismo na virada de 2015 para 2016. O Real perdeu 50% do valor em questão de meses. Um tsunami varreu a economia. E não foi a primeira vez. Plano Cruzado. Plano Collor. Pode escolher.

O estrago que um governo ruim pode provocar no Brasil e no valor da nossa moeda é ilimitado. Não existe nenhum tipo de controle efetivo que o impeça de arruinar com tudo.

Tanto a lei de responsabilidade fiscal, quanto os supostos mecanismos de controle, como os Tribunais de Contas, falharam. E falharam feio. Também, o que esperar deles a não ser a incompetência tradicional dos órgãos públicos?

Veja só brevemente o que aconteceu:

Brasil Deficit Fiscal

Em dezembro de 2014, o site Zero Hedge publica o artigo Brazil’s economy just imploded. Eles mostram o gráfico ao lado, onde o superávit primário começa a cair vertiginosamente em 2011, chegando ao fim de 2014 já como déficit.

Logo depois, em janeiro de 2015, o artigo Brazil’s Economy Is On The Verge Of Total Collapse mostra dados adicionais do banco Goldman Sachs sobre a deterioração das contas públicas brasileiras.

E o que acontece quando o governo perde completamente a mão em termos administrativos? A resposta está no gráfico abaixo, que mostra a cotação do dólar na virada de 2014 pra 2015:

Gráfico Dólar e Real

Esse foi só o começo da derrocada do Real, que como sabemos atingiu o fundo do poço quando o dólar chegou a valer R$4,17 em setembro de 2015.

Cadê os órgãos de controle para analisar e prever tudo isso que já estava inclusive publicado na internet?

Tudo só começou a normalizar quando uma perspectiva real de mudança de governo começou a ser colocada em prática.

Alguma dúvida que algo assim pode acontecer novamente dentro de 10 ou 15 anos?

O que o Bitcoin tem a ver com isso?

A lição que você deve aprender é: o valor do seu dinheiro depende de qualidade de quem o produz e administra. Bitcoin não depende de governo, não depende de pessoas com outros interesses, com outros objetivos, de pessoas que não terão nenhum tipo de escrúpulo para fraudar o sistema e prejudicar milhões de pessoas.

Bitcoin é um software e será aquilo que está programado para ser. Esse é seu maior trunfo. É uma moeda que não tem dono. Ela pode ser negociada facilmente a custos irrisórios. Não depende de sistemas bancários complexos, bancos centrais, agências regulatórias, corretoras de câmbio, etc. Você pode pagar e transferir para qualquer pessoa do mundo em questão de segundos. Não é completamente anônimo, mas confere um grau de privacidade que nenhum outro mecanismo financeiro confere.

BitcoinEntendeu agora a questão de liberdade envolvida?

Por outro lado, muita gente ainda vê com ceticismo confiar numa moeda fora do sistema estatal. Acreditam que é preciso ter alguém com nome e endereço para dar credibilidade ao negócio, mesmo que este alguém seja composto pelos seres mais desprezíveis da face da Terra, os políticos.

Já parou pra pensar que os grandes prejudicados pelo sistema Bitcoin são justamente os políticos e os banqueiros? O recado do Bitcoin para eles é bem claro: “Não precisamos de vocês!”

Claro que não é um sistema isento de risco. Como você verá a seguir já passou por crises e como tudo no mercado de informática, ataques de hacker já aconteceram e geraram milhões de prejuízo.

O que movimenta o preço dos bitcoins?

Como qualquer investimento, o valor do bitcoin está relacionado à oferta e demanda. Quanto mais as pessoas quiserem comprá-lo, maior será o valor que ele terá.

Existem cinco fatores principais que estão aumentando a demanda por bitcoins:

  1. Aumento das bases monetárias de praticamente todas as moedas do mundo
  2. Desconfiança do povo em relação aos governos
  3. Escapar de controles de capital
  4. Aumento da aceitação do bitcoin como forma de pagamento
  5. China

O último fator é tido como o mais importante, já que a maior parte da negociação com bitcoins ocorre no país asiático. Entretanto, esse fator está muito mais relacionado com investimento e trade do que com o uso dos bitcoins como moeda.

Se são os chineses que têm conferido liquidez e valorização ao bitcoin, também pode ser um motivo de preocupação, já que nunca se sabe quando o governo chinês poderá intervir. No momento, o governo de lá não tem mostrado nenhum tipo de atitude efetiva contra o Bitcoin. Existem no país diversos agentes ou brokers, que fazem as negociações para os invstidores e até agora o máximo que o governo chinês tem feito foi alertar quanto ao fato da moeda não ter valor legal.

Estamos vivendo uma bolha?

Na minha opinião, sim. E isso é ótimo! Você já vai entender o por quê.

O gráfico abaixo mostra a variação de preço do Bitcoin nos últimos anos:

Gráfico do Bitcoin

No início a moeda tinha um valor irrisório. A primeira grande valorização dos bitcoins levou o valor da moeda de U$ 1 para U$ 32 e ocorreu em 2011. O valor multiplicou por 32 vezes e você mal consegue ver no gráfico acima. Logo depois, o valor da moeda despencou 94% para apenas U$ 2. E, ploft, lá se vai a primeira bolha!

Em março de 2013, uma nova valorização levou o valor do Bitcoin para em torno de U$260. Um valor quase 9 vezes maior que o da primeira bolha. Foi quando aconteceu um colapso no sistema da Mt Gox, maior bolsa de bitcoin da época. O valor do bitcoin desabou para U$54 em questão de horas. E, ploft, lá se vai a segunda bolha!

Após alguns meses, a moeda se recuperou e atingiu um rápido pico de valorização chegando ao valor de U$1.200 ao final de 2013. Valor 4,6 vezes maior que o do pico anterior. Logo depois, no começo de 2014, um colapso, dessa vez definitivo, nos servidores da Mt Gox, com o sumiço de milhões de dólares em bitcoins, gerou pânico e o preço da criptomoeda atingiu o fundo na casa dos U$170 em meados de 2015. E, ploft, lá se vai a terceira bolha!

Aqui vale um parêntese. Há formas de proteger seus bitcoins contra esses problemas nas bolsas. Leia a página sobre Bitcoin para saber mais.

Acelere para hoje e temos cada bitcoin valendo em torno de U$ 1.800, sendo que U$800 foram ganhos apenas nestes últimos dois meses. Bitcoin está em todos os canais da internet e nos principais veículos de comunicação. Assim como nas ações, essa euforia costuma se traduzir em topo. Foi assim, mas em menor proporção, nas outras três vezes.

Esse topo pode ainda estar sendo formado? Sim, obviamente só saberemos que foi topo pelo menos um mês depois. O fato é que todos essas topos e fundos ascendentes estão formando uma clara tendência de alta.

Bitcoin

Veja, temos hoje 7 bilhões de pessoas no mundo usando moedas e há apenas 20 milhões de pessoas negociando bitcoins. Alta volatilidade, bolhas, quedas abruptas, muita desconfiança e momentos de euforia apenas nos mostram que estamos diante de um mercado ainda incipiente.

É por isso que muitos advogam a possibilidade do bitcoin ter um imenso potencial de alta se essa moeda se firmar como meio de troca em todo o mundo. O que acontecerá com o preço quando 500 milhões ou até 1 bilhão de pessoas estiverem negociando? Pode estar em  U$10.000, U$50.000, U$100.000 ou $ 1 milhão. Da mesma forma que não vemos no gráfico atual a bolha de 2011 se romper, pode ser que daqui 10 ou 20 anos essa “bolha” atual fique pequena demais para ser notada.

Entretanto, não há como saber quantos crashes ainda irão ocorrer até a moeda se firmar ou nem mesmo ter certeza absoluta se ela não será abandonada pelo mercado. O fato é que tem se mostrado uma tecnologia com inúmeras aplicações e cada vez mais temos usado modelos baseados em software em nossa vida diária.

Conclusão

Cada vez mais as pessoas de todo mundo têm aprendido a respeito do Bitcoin e da tecnologia Blockchain, que é a base de funcionamento das moedas digitais.

Como toda nova tecnologia, ela será atacada pelo estabilishment, que nos quer manter presos ao estado atual das coisas. E se você parar para pensar, hoje ainda temos talões de cheques, que já rendeu muita dor de cabeça a comerciantes de todo o país, e cartões de crédito, que são clonados e fraudados com enorme regularidade. Algo que não acontece com o Bitcoin.

Para quem quiser comprar bitcoins, saiba que continua sendo uma aposta de risco e investir nos momentos de euforia pode causar uma úlcera nos mais desavisados. Entretanto, não se pode negar que um possível crash neste ou no próximo ano pode abrir uma janela de oportunidade para os mais ousados, que enxerguem nessa moeda um potencial ainda pouco explorado, que poderá levar seu valor a topos cada vez mais altos.