Como negociar mercadorias e futuros na Bolsa

A Bolsa de Mercadorias e Futuros (atual BM&F Bovespa) foi criada com o objetivo de organizar as operações financeiras de títulos e contratos referentes a ativos financeiros, índices, mercadorias e moedas, entre outros, nas modalidades à vista e de liquidação futura.

É ela que  estabelece e garante as normas e mecanismos que regulamentam tais mercados, assegurando aos participantes o cumprimento das obrigações que foram assumidas dentro do sistema de negociação, liquidação, compensação e registro.

mercadorias e futurosO mercado futuro é importante para a economia do país, pois é através dele que produtores, cooperativas e indústria, particularmente aquelas do setor agropecuário, conseguem se proteger das oscilações de preço dos seus produtos (commodities) no mercado. Essa proteção é chamada de hedge.

Usando os contratos futuros, produtores podem se proteger da queda de preço das commodities (vendendo contratos futuros) e os compradores podem se proteger da alta de preço (comprando contratos futuros).

Da mesma forma, um importador, que possui parcelas a pagar em dólar, pode comprar contratos futuros de dólar, reduzindo o risco de alta da moeda americana, o que encareceria o preço a ser pago.

A outra forma de operar é puramente especulativa. O ativo do contrato futuro não possui relação qualquer com a atividade do investidor, que tenta aproveitar os movimentos de alta e baixa do mercado para extrair lucro com suas operações.

É importante você conhecer e aprender sobre mercado futuro. Somente assim saberá se essas operações poderão compôr seu portfólio de investimentos.

O que é o mercado futuro e como investir

O mercado futuro é a área da Bolsa de Valores nas quais são negociados derivativos chamados contratos futuros. É um derivativo, porque não possui um valor próprio. Seu valor é derivado do ativo relacionado em questão, seja ele um índice, uma commodity ou uma moeda. Esse contrato nada mais é que um compromisso de compra (por uma parte) e venda (pela outra parte) de um determinado ativo em uma data futura e a preço pré-estabelecido.

Você pode assumir tanto um compromisso de compra como de venda a preços que variam conforme o andamento do mercado. Quem está comprado lucra com a alta dos preços e quem está vendido ganha com a queda dos preços. Existem inúmeras variáveis que determinam a oscilação de preços dos ativos. O dólar, por exemplo, apresentou acentuada alta em 2015 em virtude do processo inflacionário no Brasil e do descontrole das contas públicas por parte do governo.

Tipos de contratos

Existem contratos futuros relacionados a ativos financeiros e produtos agropecuários. É possível operar contratos cheios ou os chamados mini-contratos, que são mais baratos e negociados via home-broker.

Cada contrato futuro possui um código de negociação composto da seguinte forma:

Primeiro: as três letras do código do ativo conforme mostrado abaixo:

ContratoCódigo
IbovespaIND
Mini-IbovespaWIN
S&P 500ISP
DólarDOL
Mini-DólarWDO
Taxa DIDI1
CaféICF
Boi GordoBGI
MilhoCCM
SojaSIF
EtanolETH

Segundo: uma letra que corresponde ao mês de vencimento do contrato:

Mês de VencimentoLetra
JaneiroF
FevereiroG
MarçoH
AbrilJ
MaioK
JunhoM
JulhoN
AgostoQ
SetembroU
OutubroV
NovembroX
DezembroZ

Terceiro: dois dígitos correspondentes ao ano do vencimento do contrato.

Assim, caso você queira comprar o contrato referente ao dólar futuro com vencimento em novembro de 2016, deverá procurar o derivativo de código DOLX16 (DOL=dólar,X=novembro,16=2016)

Uma das características dos contratos futuros é que não é necessário você ter todo o dinheiro referente ao valor do contrato. Isso é chamado de alavancagem, pois com pouco dinheiro, você opera contratos que valem muito mais. Você precisa apenas ter uma quantia suficiente em conta, chamada de margem, que será usada para compensar as oscilações de preço do contrato em questão.

Mercadorias e futurosEssas oscilações é que irão definir o ajuste diário. Ao contrário das ações em que você descobre o lucro e prejuízo somente no dia da venda da ação, no mercado futuro, essa definição é feita diariamente. Assim, suponhamos que você esteja comprado em um contrato. Se o preço subir, no dia seguinte você recebe a diferença na conta. Na outra ponta, esse mesmo valor é descontado da pessoa que vendeu o contrato. Esse preço de ajuste é definido pela Bolsa todo fim de dia e realizado nas contas de todos aqueles que possuem contratos em aberto.

Exemplo

Suponha que você queira operar mini-contrato de dólar, com vencimento em setembro de 2016, código WDOU16. Veja as características desse contrato abaixo:

Código:WDO
Cotação:Reais por U$ 1.000,00
Variação mínima:R$0,50 por U$1.000,00
Tamanho do contrato:US$ 10.000,00
Meses de Vencimento:Todos os meses do ano
Data de Vencimento:Primeiro dia útil do mês de vencimento
Liquidez:1 contrato
Cálculo de Volume:Cotação x 10.000 x Número de contratos
Limite de oscilação diária:6%
Horários Pregão:9:00 às 18:00

Vamos partir do princípio que esse contrato seja negociado com o dólar a R$ 4,00. Como a cotação de cada contrato equivale a U$ 1.000, você precisará de R$ 4.000 para adquiri-lo. Esse valor sofrerá oscilação de acordo com a mudança de preço do equivalente a U$ 10.000, ou R$ 40.000.

Após adquirir o contrato, o dólar com esse vencimento sobe para R$ 4,04. Então a sua posição de R$ 4.000,00 vai para R$4.400 (=0,04×10.000×1). Uma alta de 10% para uma elevação de 1% na cotação do dólar, refletindo o poder da alavancagem. Entretanto, uma queda levaria a perda na mesma proporção. Por isso, é uma operação que deve ser realizada com o devido planejamento.

Conclusão

Os contratos futuros permitem que você possa investir em ativos não acessíveis pelas vias tradicionais da Bolsa de Valores. Por possuírem características diferenciais e cada ativo relacionado ter um mercado próprio, eles devem ser estudados individualmente.

Muito cuidado deve ser tomado, pois são operações realizadas de maneira alavancada. Um bom controle de risco e entendimento de análise gráfica para avaliar pontos de entrada e saída são fundamentais se você deseja investir nesse mercado.

Links

Você pode conferir mais detalhes nas páginas de derivativos financeiros diretamente da BM&F Bovespa, onde encontrará informações sobre commodities, juros e moedas e será possível ver cada contrato em maiores detalhes.

Como negociar mercadorias no mercado à vista da BM&F Bovespa

No mercado à vista, as transações são pagas e liquidadas quase que imediatamente. As negociações desse mercado são baseadas nas ofertas de compra e venda e fica à cargo do comprador e do vendedor finalizarem os pagamento e recebimento das negociações.

Os dois ativos mais negociados no mercado à vista são o Dólar e o Ouro.

O dólar à vista é negociado mais pelo Tesouro e por instituições financeiras, já o Ouro pode ser negociado tranquilamente pelo investidor pessoa física.

Investindo em ouro no Brasil

O princípio que norteia o investimento em ouro no Brasil é o mesmo que norteia o investimento em metais preciosos no mercado internacional. É o ativo que mantém seu valor em momentos de crise econômica e financeira e períodos hiper-inflacionários. Também protege frente à desvalorização cambial.

OuroHá diversas formas de investir em ouro no Brasil, sendo as duas mais comuns, o fundo de investimento e a negociação do contrato na BM&F Bovespa. Vamos nos ater ao segundo.

É possível comprar contratos referentes a lotes de 250g, 10g, 0,225g de ouro com teor de pureza de 0,999.

A compra e venda deste contrato é realizada pela mesa de operações da sua corretora.

O contrato de maior liquidez é o de 250g, negociado sob o código OZ1D. Ao comprar o contrato você recebe uma declaração e boletim mensal da BM&F Bovespa com a sua posição neste ativo. É possível deixar a barra de ouro custodiada na Bolsa ou retirá-la pessoalmente. Entretanto, a não que você queira usar o ouro por algum outro motivo que não o investimento, não é muito recomendável retirá-lo da custódia. Para ele ser readmitido no balcão de negócios será necessário passar por um fundidor que garanta a pureza do metal e isso terá um custo extra.

Os demais contratos relativos a 10g (OZ2D) e 0,225g (OZD3) possuem liquidez bastante restrita e não é possível retirá-los da custódia.

Ao contrário dos contratos futuros em que é necessário apenas ter parte do valor, na negociação de ouro é necessário ter o valor total do contrato.

Os custos relativos à negociação de ouro são em torno de 0,2% de corretagem e 0,07% ao mês de custódia. Este último é calculado diariamente em cima do preço máximo do ouro negociado naquele período e é cobrado mensalmente.

O imposto caso se obtenha lucro com a venda do contrato de ouro é de 15%.

É uma alternativa nacional para poder investir em ouro. Entretanto, os custos são maiores  do que o investimento em ouro no exterior.