Investir no Exterior

Nossa carteira modelo para estudo de investimentos no exterior

Com o objetivo de discutirmos estratégias de investimento no exterior, o site “Investidor Internacional” resolveu divulgar uma carteira para estudos visando o acompanhamento de longo prazo, tanto pela evolução do patrimônio, como pela renda.

Alocação de ativosPrimeiramente, esta não é uma carteira recomendada. Cada investidor deve realizar o seu próprio estudo e montar o seu próprio portfolio ou contratar profissional especializado para tal. Segundo que para nossa simulação não são levados em conta os custos tanto para envio de recursos ao exterior, como os de corretagem. Este último por exemplo aumentaria os custos de compra em torno de 0,5%. Além disso, as taxas de câmbio usadas aqui refletem os dados do Banco Central do Brasil. Os bancos comerciais e casas de câmbio usados para transferência de recursos possuem uma cotação diferente.

Ao se montar uma carteira de investimento, também não é recomendado a compra de todos os ativos ao mesmo tempo. Deve-se fazer as compras de maneira periódica para pegar diferentes variações de preço e evitar investir tudo às vésperas de uma forte queda. Em nossa simulação, usamos a cotação relativa ao fechamento do dia 31/12/2014 de acordo com o Google Finance.

Todos os países nos quais foram feitas as alocações, exceto Cingapura e Hong Kong, permitem a compra unitária de ação ou ETF. Nos países asiáticos só é permitida a compra em lotes, que podem variar de quantidade dependendo da ação. Portanto a alocação desses ativos pode estar um pouco diferente da meta definida na primeira coluna da tabela.

Nos próximos posts, serão discutidos em mais detalhes os motivos da alocação escolhida e a avaliação de cada ativo individualmente. Não tenha dúvida que tentar reduzir o universo de milhares de opções a 35 ativos não é trivial. Foi optado por um balanceamento mesclando a simplicidade e eficiência dos ETFs com a escolha de ativos individuais. Foram estudadas as alocações dos grandes fundos de investimento internacionais, bem como a dos gestores de grandes fortunas pelo mundo. Diversos livros e publicações sobre alocação de ativos também serviram de base para o portfolio.

No início de cada mês, será feita uma nova atualização do valor dos ativos e dos dividendos recebidos. Estes últimos serão automaticamente adicionados na alocação Cash/Metals (Dinheiro/Metais) e serão usados para o rebalanceamento da carteira ao final de 2015. Exceto por acontecimento excepcional com algum ativo, pretende-se seguir com essa alocação até 31/12/2015, quando será feita uma nova avaliação sobre a manutenção ou troca de alguma ação ou ETF.

Clique na imagem abaixo para ter uma visão mais detalhada da carteira:

carteira internacional 2015

E nesta página ficarão arquivadas todas as atualizações de portfolio para consulta.

 

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Este post tem 2 comentários

  1. Avatar

    Inter,

    Que bom que voltastes. Isto é, suponho que vc é o antigo investidor internacional que tinha uma página no blogspot. O ruim desse sistema é que tem que se identificar, mas é sua escolha…

    Pergunto a ti, se esses ativos formam a sua carteira? É teórica ou real?

    1. Investidor Internacional

      Olá,

      Nunca montamos uma página no blogspot. Essa é a primeira.

      A carteira é teórica. Serão feitas atualizações mensais e rebalanceamentos anuais.

      Abçs!

Deixe uma resposta

Posts com maior repercussão

Fechar Menu