Atualização da Carteira Internacional – Janeiro de 2015

Investir no exterior

Nova atualização de nossa carteira de investimentos no exterior

Foi atualizado a valor de mercado nossa Carteira Internacional de investimentos para 2015. Em nosso modelo de estudo foi procurado dar pesos iguais (25%) para as principais classes de investimento (Ações, Renda Fixa, Imobiliário e Dinheiro/Metais).

Em janeiro, o destaque ficou com os REITs. Nossa carteira de REITs apresentou alta expressiva de 7,1%, com destaque para PSP Swiss Property (PSP:swx), que subiu 18,5% em Reais (10,6% em Francos Suíços). A alta tão expressiva está relacionada tanto à valorização do Franco Suíço quanto pela redução dos juros no país alpino, que atingiu o patamar recorde de -0,75% (sim, juros negativos).

Einstein House
Interior da casa em que Einstein morou em Berna, capital da Suiça, que se encontra em uma das propriedades de PSP Swiss Property. Clique para ampliar.

Mesmo Unibail-Rodamco (UL:xams), com a queda da cotação do Euro, após o anúncio do estímulo monetário do Banco Central Europeu, apresentou valorização de 9,5% em Reais (17,5% em Euros).

Em tempos de recorde de juros baixos nos países desenvolvidos, os REITs têm sido o último refúgio do investidor que procura renda. A outra opção, empresas pagadoras de dividendos, já estão com valuation menos atrativos e dividendos em níveis baixos historicamente.

Dividendos recebidos este mês, descontando impostos e colocados na alocação “cash”:

HR_UN CAD 0,1125 por ação – Total CAD 11,02 (-25%) = CAD 8,26

Nossa carteira de ações apresentou leve baixa (-0,8%), com desvalorização da carteira americana, valorização da carteira asiática e estabilidade na carteira européia.

A carteira de renda fixa teve alta de 1,3%, beneficiada também pela valorização do Franco Suíço e pela não subida dos juros nos EUA e Europa. Como os títulos de renda fixa nos países desenvolvidos são geralmente pré-fixados, uma alta dos juros deve levar a desvalorização dos papéis. Procuramos ETFs que tenham vencimentos variados (os de curto prazo sofrem menos quando os juros sobem) e que apresentam rendimentos maiores (preferência por títulos de empresas a títulos de governos).

A alocação em dinheiro e metais preciosos permaneceu praticamente estável (-0,1%), com a valorização do ouro e prata compensando a desvalorização do Euro, Libra Esterlina e Dólar de Cingapura.

Contabilizando a posição total, a carteira apresentou valorização de 1,9% em Reais no mês de janeiro.

O histórico mensal da carteira internacional pode ser visto aqui e o valor atual, atualizado com a cotação de fechamento de 30/1/2015, na imagem abaixo:

carteira internacional 2015
Carteira internacional. Clique para ampliar.




Facebook
Google+
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Este post tem 7 comentários

  1. top o Blog cara. li todo o conteúdo, vou acompanhar sempre.

    só achei que ficou um GAP entre “é facil e pratico investir no exterior” e já estar apresentando a carteira com variação mensal (muito bem distribuida)

    quais corretoras posso investir? qual o processo? quais os custos?

    enfim, apenas uma ideia… mas ta show cara, continue com as postagens pois vc ganhou um seguidor!

    abraço

    1. Investidor Internacional

      Olá,

      A carteira foi para mostrar um modelo de alocação de ativos possível quando se tem acesso a diversos mercados. É muito diferente do Brasil. Isso porque está demonstrado o que é possível fazer com uma conta em corretora. Se você associar com um banco que negocie títulos de renda fixa individuais ou investimentos estruturados, o leque é ampliado mais ainda.

      Também foi para aproveitar a virada do ano e ficar mais fácil acompanhar e contabilizar a evolução. Além disso, segue a estratégia de muitos modelos de alocação, que fazem o rebalanceamento anual.

      O material sobre bancos e corretoras já está sendo feito e será publicado.

      Abçs!

      1. Muito bom mesmo.
        Passei o olho nos ETFs e achei bem diversificado. Senti falta apenas em ações e BONDs de mercados emergentes.
        Também não entendi, se o foco é ETF, por qual motivo não faz o mesmo com REITs. Mas olhei bem por cima e parece ter diversificação setorial.
        Também não teria uma alocação tão expressiva em moedas/ouro de 20% do Portfólio, acho um pouco exagerado. Ficaria, mas aqui é minha opinião, apenas com no máximo 10%.

        Abraço!

        1. Investidor Internacional

          Obrigado pelo comentário.
          Existem ações e bonds de mercados emergentes sim.
          Quanto aos REITs, não havia um ETF que satisfizesse algumas necessidades, como por exemplo ser listado em Hong Kong ou Cingapura.
          Moedas e ouro são 25% do portfolio. É um portfolio bem conservador.
          Em breve, haverá mais detalhes dos porquês de cada alocação.
          Tem muitas coisas nas entrelinhas que à primeira vista não é possível perceber.
          Abçs!

  2. II,

    parabéns pelo site.

    Você faz os investimentos em diferentes moedas a partir da mesma conta em apenas uma corretora ou você tem diversas contas em países diferentes?

    Obrigado,

    DM

Deixe uma resposta

Posts mais lidos

Fechar Menu