Destaque Portfolio Internacional

Nova atualização de nossa carteira de investimentos no exterior

O mês de março terminou e como de costume trazemos a atualização da carteira internacional de investimentos com os valores do fechamento do dia 31.

A carteira apresentou forte alta de 10,1% no mês e de 20,4% no acumulado do ano.

Mais uma vez o destaque vai para a desvalorização do Real, que em março apresentou fortes perdas frente às principais moedas internacionais, -19% em relação à Libra Esterlina, -11,4% frente ao Dólar Americano, -10,8% comparado ao Dólar de Hong Kong e -8,9% em relação ao Franco Suíço.

Real vs Dolar

O Real começou o ano valendo U$ 0,37 e terminou o primeiro trimestre valendo U$ 0,31.

Mais uma vez, esta situação reforça a importância da diversificação internacional. Se por muitos anos o Real esteve valorizado, nos últimos meses houve uma inversão bastante abrupta.

Aqueles que já acumulavam moedas ou investimentos no exterior, conseguem, por exemplo, viajar e fazer compras no cenário atual sem maiores traumas. Já quem não se preveniu, está tendo que amargar um câmbio bastante desfavorável.

Impossível dizer se o pior já passou, já que o cenário no Brasil ainda é de inflação alta, recessão e turbulência política. Fatores extremamente negativos para a moeda.

Por outro lado, os fortes estímulos econômicos nos Estados Unidos e mais recentemente na Europa, associado às taxas de juros extremamente baixas e até negativas, como é o caso da Suiça e Alemanha, pode direcionar o fluxo para o Brasil. Mas isso só acontecerá quando nosso país parar de ser um pólo de repulsão aos investimentos.

Moedas InternacionaisEm relação a variação de nossos ativos em moeda local, a maioria das posições permaneceu estável. Houve algumas performances negativas mais importantes nos REITs. Link apresentou desvalorização de 3,5%, Sunlight com perda de 5,7%, Suntec desvalorizou 5,1% e PSP Swiss Property perdeu 7,4%. A performance positiva de destaque ficou com Extra Space Storage com ganho de 2,7%.

Houve um belo aumento nos dividendos recebidos em março, já que algumas empresas que distribuem com menor frequência costumam distribuir neste mês. Os valores já estão com o desconto de imposto na fonte (withholding tax) nos países onde ele existe e foram aplicados na alocação “cash”:

VEUR: € 0,14088 por ação – Total: € 39,86 (-30%) = € 27,90

BOND: U$ 0,16 por ação – Total: U$ 11,20 (-30%) = U$ 7,84

IEMB: U$ 0,3891 por ação – Total U$ 13,22

SLXX: £ 1,1218 por ação – Total £ 29,16 (-10%) = £ 26,25

0435: HKD 0,105 por ação – Total HKD 420,00

O: U$ 0,189 por ação – Total: U$ 7,18 (-30%) = U$ 5,02

DLR: U$ 0,85 por ação – Total U$ 22,95 (-30%) = U$ 16,06

EXR: U$ 0,47 por ação – Total U$ 13,63 (-30%) = U$ 9,54

UL: € 4,80 por ação – Total € 67,20 (-30%) = € 47,04

HR_UN CAD 0,1125 por ação – Total CAD 11,02 (-25%) = CAD 8,26

CWT_UN CAD 0,1334 por ação – Total CAD 10,40 (-25%) = CAD 7,80

A carteira atualizada está abaixo:

Carteira Internacional 2015
Fechamento do mês de março. Clique para ampliar.

 

Caso queira ver todas as atualizações mês a mês é só visitar a página da carteira.

 

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Este post tem 4 comentários

  1. Avatar

    Hoje com o aumento dessa desvalorização do real, vocês acreditam que ainda é uma boa começar a diversificar em países estrangeiros ou é melhor esperar um pouco e se o real valorizar, começar a diversificar?

    1. Investidor Internacional

      Olá,

      É um momento bem delicado para começar a investir em bolsa americana por exemplo.

      Dólar valorizado e bolsas americanas em níveis recordes.

      Talvez valha a pena aguardar o câmbio estabilizar e começar a fazer aportes periódicos de menor valor.

      Por outro lado, o Euro desvalorizou bastante este ano e não está tão descolado do Real.

      Abçs!

    1. Investidor Internacional

      Olá,

      É uma taxa alta para os padrões atuais.

      Acredito que o emissor não seja “grau de investimento”.

      Fora dos “high yield” ou “junk bonds” dificilmente consegue-se algo positivo em euros ou franco suíços.

      Abçs!

Deixe uma resposta

Posts com maior repercussão

Fechar Menu