Investir no exterior

Você pode ser sócio de algumas das maiores empresas do mundo, cujos produtos você faz uso todo dia

É impressionante como ainda vejo em alguns lugares dizerem que o brasileiro prefere investir nas empresas do Brasil a tentar conhecer e investir nas empresas estrangeiras. Argumentam que as nacionais são empresas às quais o brasileiro está mais acostumado, pois costuma ser clientes, bem como a vê-las nos noticiários e propagandas. Nada mais fantasioso.

No mundo globalizado de hoje, o alcance que muitas empresas atingiram excede as dimensões de qualquer país ou continente. Qualquer pessoa que esteja dentro do mundo civilizado hoje tem acesso a produtos feitos por empresas originárias de todos os cantos do mundo, seja Estados Unidos, França, Inglaterra ou Suíça.

Quando comecei a estudar sobre investimento no exterior, passei a prestar mais atenção nos rótulos de produtos expostos nas prateleiras de famácias e supermercados. Não só isso, passei a observar a origem de cada produto ou serviço de que fazia uso, desde a mais recente novidade, como o Uber, ao já tradicional Carrefour.

bausch+lombPercebi que muitas dessas empresas, além de serem estrangeiras, são de capital aberto e suas ações são negociadas em diversas bolsas pelo mundo, tornando possível a qualquer um se tornar um acionista.

Nunca foi tão óbvio observar à nossa volta, o que faz sucesso e o que não faz, o que cresce e o que não dura. Além disso, com o advento da internet, a busca por informações sobre as finanças e os balanços de cada empresa na página de Relações com investidores (Investor Relations), permite uma avaliação mais profunda das companhias que fazem parte do nosso dia-dia.

Diante disso, fiz uma busca em minha própria casa e vi a enorme quantidade de empresas estrangeiras que fabricam e distribuem seus produtos no Brasil e em tantas outras partes do mundo. Muitas delas com histórico fantásticos de décadas, algumas com mais de 1 século de vida.

astrazenecaA AstraZeneca foi fundada em 1992 na Inglaterra e atua no setor farmacêutico, sendo uma das 10 maiores empresas do mundo. Trabalha na descoberta e no desenvolvimento de novos medicamentos e produtos. Suas áreas principais de atuação são ‘sistema respiratório e alergia’, ‘cardiovascular e doenças metabólicas’ e oncologia. Atualmente, seu produto número 1 é o Crestor, remédio usado no tratamento da hipercolesterolemia (aumento do colesterol no sangue). O valor de mercado da empresa é de £ 56 bilhões (R$ 316 bilhões) e suas ações são negociadas na Bolsa de Londres e Nova Iorque.

valeantA Bausch + Lomb, conhecida pelos seus produtos relacionados ao cuidado com os olhos, como colírios, lentes de contato e produtos relacionados, era uma companhia de capital aberto que foi adquirida em 2013 pela canadense Valeant Pharmaceuticals. A Valeant foi formada em 2000 pela junção de outras duas companhias. Desde então tem feito diversas aquisições (só em 2015 foram três) e atualmente atua nas áreas de dermatologia, oftalmologia e outros nichos terapêuticos em crescimento. Seu valor de mercado hoje é de U$ 66 bilhões (R$ 245 bilhões) e suas ações são negociadas na Bolsa de Toronto e de Nova Iorque.

bayerA alemã Bayer é uma empresa de presença mundial, com subsidiária em quase todos os países do mundo, empregando mais de 119 mil funcionários. Produz mais de 5 mil produtos diferentes em 3 áreas principais: farmacêutica, saúde e agricultura. Talvez os mais conhecidos são a Aspirina® e a Novalgina®, sendo que atualmente o produto responsável pela maior receita é o anticoagulante Xarelto®. Pra quem não sabe, o ácido acetil-salicílico foi o primeiro fármaco a ser sintetizado em laboratório. Outros bastante usados hoje em dia são o anticoncepcional Yasmin®, o DIU Mirena® e o anti-hipertensivo Adalat®. A ampresa hoje é avaliada em 108 bilhões (R$ 428 bilhões)e suas ações negociadas na Bolsa de Frankfurt.

johnsonsA Johnson & Johnson foi fundada em 1886 nos EUA e atualmente possui operações nas áreas farmacêutica, dispositivos médicos, biotecnologia e saúde. Possui uma forte posição competitiva, apesar da concorrência, já que 70% de sua receita são de produtos que estão ou na primeira ou na segunda posição em fatia de mercado (market share) no mundo. Dentre as marcas mais conhecidas estão Band-Aid®, Listerine®, Tylenol® e Cotonete®. A companhia possui atualmente U$ 266 bilhões (R$ 991 bilhões) de valor de mercado e suas ações são negociadas na Bolsa de Nova Iorque.

henkelA Henkel é uma empresa alemã com mais de 75 anos que opera em três áreas principais, ‘Lavanderia e cuidado com a casa’, ‘Cuidados de beleza’ e ‘Tecnologias adesivas’. Provavelmente você ou seu filho já usaram aquela cola em formato de bastão vermelho e preto da Pritt, pois ela é uma marca da Henkel. Se nunca usou, não é possível que nunca tenha colado um dedo no outro com Super Bonder, da Loctite, outra marca da empresa. A empresa vale hoje 39 bilhões (R$ 154 bilhoes) e suas ações podem ser negociadas na Bolsa de Frankfurt.

nestleA Nestlé foi fundada em 1866 na Suíça e atua nas áreas de nutrição, saúde e bem-estar. Possui receitas anuais acima dos U$ 100 bilhões e possui mais de 330 mil funcionários ao redor do mundo. É uma das maiores empresas do mundo, sendo disparada a maior dentro do setor de alimentos. Qualquer pessoa que não esteja isolada do mundo no meio da floresta amazônica, no Ártico ou em alguma tribo no interior da África já consumiu algum produto da Nestle em algum momento da vida. Nescafé®, Nespresso®, Ninho®, Bono®, Kit-Kat®, Perrier®, Alpino®, Chokito®, Nan®, Chandelle®, Chamyto®, Maggi®, Leite Moça®, Farinha Láctea®, Neston®, Negresco® e Nescau® são marcas da empresa que todos conhecemos. A ação da empresa pode ser negociada na Bolsa de Zurique e ela hoje está avaliada em CHF 240 bilhões (R$ 877 bilhões).

loccitaneA L’Occitane foi fundada na França em 1976 e atua na produção e comercialização de cosméticos e produtos de bem-estar de alta qualidade. A empresa possui cinco marcas, L’Occitane en Provence, Melvita, Le Couvent des Minimes, Erborian e L’Occitane au Brésil, esta última criada em 2013 e que usa matéria-prima da biodiversidade brasileira. A ação da L’Occitane é negociada na Bolsa de Hong Kong e seu valor de mercado é hoje de HKD 22 bilhões (R$ 10 bilhões).

unileverA anglo-holandesa Unilever, assim como a Nestle, é uma empresa que está no dia-dia de todo mundo que vive dentro da civilização. Impossível não haver nada da Unilever na sua casa hoje, seja em produtos de higiene, limpeza ou alimentos. Suas marcas mais conhecidas são Dove®, Omo®, Comfort®, Lux®, Knorr®, Hellmann´s®, Kibon®, Axe®, Maizena®, Ades®, Rexona®, Brilhante®, Fofo®, Close-up®, Clear®, Seda®, Becel®, entre outras. A empresa vale hoje £ 86 bilhões (R$ 486 bilhões) e suas ações são negociadas nas Bolsas de Londres, Amsterdam e Nova Iorque.

lorealOutra empresa dominante em seu setor é a francesa L’Oréal. A tradicional empresa de cosméticos possui 4 divisões: produtos profissionais, produtos de consumo, luxe e cosméticos ativos. Suas marcas ocupam no mínimo uns 20% das parateleiras de qualquer farmácia no Brasil. Pode procurar. L’Oréal Professional® e Kerastase® são os produtos profissionais. L’Oréal Paris®, Garnier® e Niely® são as marcas de consumo. Lancôme®, Giorgio Armani®, YvesSaintLaurent®, Biotherm® e Diesel® são as marcas Luxe. Vichy®, La Roche-Posay®, SkinCeuticals® são os cosméticos ativos. O crescimento de longo prazo da empresa impressiona. O lucro subiu 28 vezes nos últimos 30 anos. Os dividendos foram de 0,44 no ano 2000 para 2,70 em 2014. A empresa hoje vale 94 bilhões (R$ 373 bilhões) e suas ações podem ser negociadas na Bolsa de Paris.

lgA LG Electronics é uma empresa de tecnologia e produtos eletrônicos de origem coreana com atuação em mais de 119 países e com mais de 83 mil funcionários espalhados pelo globo. Atua em 4 unidades principais: Entretenimento doméstico, Telefonia móvel, Eletrodomésticos e Componentes para veículos. Suas vendas globais ultrapassaram a marca de U$ 55 bilhões em 2014. A empresa é avaliada em KRW 5,84 trilhões (R$ 18 bilhões) e suas ações são negociadas nas Bolsas de Seul e Londres.

electroluxA sueca Electrolux é outra empresa cujos produtos estão em milhares de lares no Brasil. É uma das líderes mundiais em eletrodomésticos (máquinas de lavar, refrigeradores, aspiradores de pó, fornos de microondas, aparelhos de ar-condicionado, etc), com cerca de 50 milhões de unidades vendidos em mais de 150 países anualmente. Foi fundada em 1919 e hoje possui mais de 60 mil funcionários. Suas ações estão listadas na Nasdaq OMX de Estocolmo e seu valor de mercado é hoje de SEK 78 bilhões (R$33 bilhões).

elsevierA Reed Elsevier é marca do grupo anglo-holandês Relx, fundado em 1903. É uma empresa focada na divulgação de informações profissionais em múltiplas indústrias. Publica periódicos nas áreas científica, médica, de negócios, de direito, entre outros. Entre suas publicações estão o livro Gray’s Anatomy (publicado há mais de 150 anos), o periódico médico The Lancet e a publicação de ciências naturais Cell. As ações da empresa são negociadas nas bolsas de Londres e Amsterdã e ela hoje é avaliada em £ 31 bilhões (R$175 bilhões).

colgateA Colgate-Palmolive é outra empresa com imenso alcance global. Sua pasta de dente possui 44% do mercado mundial, sendo que no Brasil o domínio é ainda maior, 72% . Além disso possui diversos outros produtos relacionados a higiene pessoal, como escova de dente, fio dental, sabonetes, shampoos, etc, bem como produtos de nutrição animal. É uma companhia com resultados fantásticos e longevos, com lucros e receita em ascenção há mais de 200 anos! Sua fundação foi em 1806. É uma das melhores pagadoras de dividendos da história, com aumento anual há 52 anos consecutivos. Em 2000, distribuiu U$ 0,34 por ação e em 2014 foram U$ 1,42. Suas ações são negociadas na Bolsa de Nova Iorque e a empresa vale hoje U$ 59 bilhões (R$ 220 bilhões).

nikePra finalizar, uma empresa cujo logotipo é reconhecido prontamente e está presente nos uniformes dos maiores atletas do mundo. A Nike foi pioneira no patrocínio de atletas profissionais para vender seus produtos. O marketing da Nike é tão brilhante e fora do padrão que eu lhe desafio a mostrar algum comercial dela que fale sobre o produto em si, seja a roupa, tênis ou a bola. Em vez disso você verá os melhores jogadores de qualquer esporte fazendo o que sabem com os produtos da empresa, seja Federer, Lebron James ou Tiger Woods. Ela domina o mercado de acessórios esportivos, com venda anuais acima dos U$ 30 bilhões e 48% do mercado de tênis e sapatos nos EUA. A Adidas, outra gigante global, tem apenas 8%. A ação da Nike é a que mais subiu em 2015 dentre as empresas do índice Dow Jones, com alta de 35%. Ela é avaliada hoje em U$ 113 bilhões (R$ 421 bilhões) e suas ações são negociadas na Bolsa de Nova Iorque.

Ainda há muitas outras empresas a citar aqui, todas com ações vendidas em bolsa, mas que tornaria o artigo excessivamente longo, como Ford, Apple, Samsung, Microsoft, Logitech, GlaxoSmithKline, Nivea, Asics, HP, Procter & Gamble, Sony, Kimberly-Clark, etc.

Basta olhar pra sua frente, para trás e para os lados e você verá a extensa quantidade de produtos de empresas estrangeiras que usa e consome todos os dias. Não existe motivo para achar que essas empresas estão distantes e que não possuem vínculo com o Brasil. Muitas não só vendem seus produtos aqui, como também possuem fábricas e tem milhares de funcionários. Talvez você até trabalhe em uma.

Além disso, o mais importante, muitas delas têm proporcionado um retorno gigantesco aos seus acionistas nas últimas décadas e até séculos. Em geral, são empresas comprovamente eficientes, de alcance global e que podem muito bem compor parte de um portfólio internacional de ações. Basta você dar o primeiro passo e abrir uma conta bancária no exterior.

 

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Este post tem 7 comentários

  1. Avatar

    Olá Investidor Internacional,

    Belíssimo artigo.
    Mais que recomendo ações da Bausch + Lomb. Uso lentes de contato especiais para ceratocone e só a Bausch + Lomb fabrica os produtos para limpeza e desinfecção, produtos que aliás custam os olhos da cara, com o perdão do trocadilho.
    Abraço.

    1. Investidor Internacional

      Olá Paulo,

      A Bausch+Lomb, agora da Valeant, e a Alcon, produtora do Opti-Free e que foi incorporada pela Novartis em 2011, dominam o mercado de produtos oftalmológicos.

      Aí eu lhe pergunto: Que empresa brasileira possui tecnologia de ponta para competir nesse mercado de biotecnologia e que tenha ações em Bolsa?

      Abçs!

  2. Avatar

    É caro Investidor, a bolsa brasileira proporciona algumas dessas possibilidades mas bem limitada… poder escolher as maiores marcas do mundo … é outro nível … são empresas monstruosas que levaram décadas pra construir seus nomes …

    Faltou o grande vício de alguns … Coca Cola rs …

    1. Investidor Internacional

      Olá Rodolfo,

      Pois é, o mercado de ações do Brasil é em torno de 1% do mercado mundial. É muita inocência achar que as melhores oportunidades estão dentro desses 1%.

      Não tem Coca-Cola em casa, só cerveja da AB Inbev. 🙂

      Abçs!

  3. Avatar

    Olá II,

    Excelente artigo.

    Eu também acho que seria muito mais interessante investir na AB InBev do que na Ambev

    A Ambev tem alcance apenas na América do Sul, Caribe e Canadá. Enquanto que a AB InBev tem alcance global.

    Com a compra da SAB, ela vai ficar ainda maior 😀

  4. Avatar

    Investidor Internacional.

    Tenho certeza de que você já sabe, mas apenas quero ressaltar aos colegas que estão iniciando nos investimentos: empresa grande e conhecida NÃO é sinal de empresa boa para investir.

    A Valeant foi bastante citada nos comentários. Ela é uma especialista global com foco em produtos bem posicionados no mercado, principalmente no setor dermatológico, estético e oftalmológico. No entanto, não apresenta uma transparência com os acionistas.

    Em 2013, 2014 e acumulado de 2015 , ela apresentou ao mercado $ 6.24, 8.34 e 7.68 cash earnings per share, respectivamente. Mas usou um método alternativo de contabilidade para chegar até eles, “justificado” pela empresa por conta de seu modelo de negócios. Explico: como aquisições são a estratégia central da companhia, existem custos altos de amortização, reestruturação e integração. A Valeant então “desconsiderou” esses custos, por não acreditar que eles eram apropriados ao resultado real da empresa.

    No entanto, quando aplicaram os padrões contábeis GAAP, o resultado foi de -$2.70, 2.67 e 0.20. É uma diferença brutal bem indigesta. Afinal, qual número realmente reflete o real estado da Valeant?

    Só pra ter uma idéia, em 2010, 2012 e 2013, nos padrões contábeis oficiais, ela apresentou prejuízo.

    Outros pontos de risco é o fato da Valeant estar atrás da Novartis e Johnson & Johnson no mercado oftamológico, bem como apresentar uma dívida exposta à altas taxas de juros variáveis. Diferentemente das grandes companhias do setor, que conseguem taxas BEM atrativas para financiar seu negócio, a Valeant tem uma dívida cara.

    Sempre estudem, pessoal!

    Feita a ressalva, concordo com o Investidor Internacional: realmente existem ótimas empresas lá fora.

    Parabéns pelo post!

    1. Investidor Internacional

      Olá Robson,

      O texto foi mais voltado para os leitores reconhecerem a presença dessas empresas em nosso mercado e descobrir que podem investir nelas lá fora.

      Foi uma seleção baseada no que eu mesmo encontrei em casa. Coloquei o que fui encontrando e algumas outras grandes empresas acabaram ficando de fora.

      Quanto a Valeant, eu fiquei sabendo do escândalo contábil, mas fui atrás e vi que a história ainda é bem mais complexa do que parece.

      A Pershing Square, que tem um investimento forte na empresa, fez uma conferência com investidores para explicar a situação.

      Eles avaliam todos os detalhes e chegam a uma conclusão. Você pode ver a apresentação aqui.

      Abçs!

Deixe uma resposta

Posts com maior repercussão

Fechar Menu