Atualização da Carteira Internacional – Dezembro de 2015

Fechamento de 2015 da carteira de investimentos e algumas considerações sobre diversificação internacional

Chegou a hora de fechar o ano para nossa carteira de investimentos internacionais.

Antes de falar sobre a evolução da carteira em si, tanto no mês de dezembro, quanto em relação ao ano todo, é importante lembrar, como falado anteriormente, que a carteira foi elaborada apenas para estudo, não tem cunho especulativo, nem objetiva fazer market-timing e que a evolução de 1 ano não quer dizer muita coisa quando se pensa em investimento de longo prazo, que pode levar mais de 30 anos.

O mercado é cheio de altos e baixos e o importante é se manter em ativos de qualidade ou se manter em ETFs que seguem os índices de mercado. A carteira de 2015 teve uma mescla de ambos, com predomínio de ETFs nas alocações de renda fixa, ações e metais preciosos e escolha de ativos individuais na porção de REITs.

Em dezembro não houve muitas oscilações bruscas na carteira, com exceção da queda de 5,7% do REIT British Land em Libra Esterlina. No mais, pequenas oscilações no campo negativo para os ativos de ações e bonds, estes últimos provavelmente refletindo a elevação de juros nos EUA. Também importante lembrar a distribuição alta de U$ 1,53 do ETF PIMCO Total Return, que costuma dar um extra aos acionistas no final de cada ano. Além disso muitos outros ativos também distribuíram dividendos no último mês do ano.

Investir em DólarNo total, quando medida em Reais, a carteira apresentou valorização de 41,9% no ano, incluindo os dividendos. A carteira de ações subiu 35,5% (sem dividendos), a de renda fixa subiu 37,7% (sem dividendos), a de REITs subiu 44,9% (sem dividendos) e a de moedas e metais preciosos subiu 49,2%, lembrando que a carteira de moedas recebeu todos os dividendos distribuídos ao longo do ano. Se não levarmos em conta os dividendos, a valorização dessa parte da carteira ficaria em 38,4%.

Como se pôde ver, ter investimentos bem longe do Brasil lhe protege de grandes catástrofes políticas e econômicas que nosso país cisma em criar de tempos em tempos. Ficar com suas economias “presas” no Brasil lhe deixa extremamente vulnerável à má gestão do país e por consequência a perda de valor da moeda e à desvalorização dos investimentos relacionados à economia real, sejam ações ou FIIs. Em suma, ficar exposto a apenas um país (e não estamos falando da Suíça) torna a carteira volátil e arriscada. Falarei mais sobre a situação atual do Brasil ao longo do mês.

Criei uma tabela com a valorização de cada ativo no ano de 2015 em moeda local (exceto a parte de cash, que está com a valorização das moedas em relação ao Real), bem como os dividendos líquidos (já descontados os impostos para investidores não residentes) distribuídos no ano. Alguns ativos, marcados com * apresentaram descasamento entre a posição deles na carteira e os dividendos, já que não foi contabilizado os dividendos a serem distribuídos em 2016, com data ex-dividendo em 2015, nem aqueles distribuídos no começo de 2015, com data ex-dividendo em 2014.

Valorização e Dividendos
Valorização e Dividendos em 2015. Clique para ampliar.

Na carteira de ações houve queda de todos os ativos, exceto o ETF Vanguard FTSE Developed Europe, representativo do mercado europeu, que apresentou alta de 5%. Na carteira de renda fixa, houve queda de todos os ativos, em particular do ETF iShares Global High Yield Corp Bond CHF Hedged, que caiu 10%. Os títulos High Yield costumam sofrer mais em época de alta de juros.

A carteira de REITs que foi escolhida ativo por ativo apresentou uma mescla de resultados. Alguns caíram fortemente, outros subiram bem e houve aqueles que não se movimentaram muito. Os destaques positivos ficaram com Extra Space Storage com alta de 50% em Dólar Americano, cumprindo sua função de REIT de crescimento e Derwent London com alta de 22% em Libra Esterlina. Digital Realty Trust com alta de 14% também tendo sido selecionado com a função de crescimento conseguiu uma boa valorização. No campo negativo, Suntec REIT caiu 21% e WP Carey desvalorizou 16%.

Outro ponto importante a se lembrar em relação aos REITs é em relação a manutenção e aumento dos dividendos. Dos 16 REITs da carteira, 13 aumentaram dividendos em relação ao ano de 2014, 2 mantiveram os dividendos iguais e 1, Keppel DC REIT, é um REIT que foi criado no final de 2014 e não tem histórico. É muito importante esse compromisso dos REITs, principalmente os americanos, em ir aumentando os dividendos e tentar nunca reduzi-los ou cortá-los. Valoriza-se muito, tanto empresas, como REITs que possuem essa característica, pois mostra capacidade administrativa e respeito com o acionista.

No campo das moedas, houve valorização expressiva de todas as moedas frente ao Real, sendo o Dólar dos Estados Unidos, o que mais subiu, juntamente com o Franco Suíço, apresentando alta de 47%. O dólar canadense foi o que menos subiu, alta de 23%. Já os metais preciosos caíram em 2015 quando medidos em Dólar dos EUA, com 12% de queda para o ouro e 16% para a prata.

Abaixo os dividendos recebidos em dezembro de 2015:

VEUR: € 0,09758 por ação – Total: € 27,61 (-30%) = €19,33

3010: HKD 0,75 por ação – Total: HKD 750,00

3145: HKD 0,045 por ação – Total: HKD 180,00

BOND: U$ 1,53 por ação – Total: U$ 107,10 (-30%) = U$ 74,97

3141: HKD 0,067 por ação – Total: HKD 268,00

SLXX: £ 1,1449 por ação – Total £ 29,76 (-10%) = £ 26,79

IEMB: U$ 0,4669 por ação – Total U$ 15,87

0823: HKD 0,9899 por ação – Total: HKD 989,90

O: U$ 0,1905 por ação – Total: U$ 7,24 (-30%) = U$ 5,06

EXR: U$ 0,59 por ação – Total U$ 17,11 (-30%) = U$ 11,97

HR_UN CAD 0,1125 por ação – Total CAD 11,02 (-25%) = CAD 8,26

SRU_UN CAD 0,1375 por ação – Total CAD 10,72 (-25%) = CAD 8,04

A seguir a carteira como um todo:

Carteira de Investimentos
Clique para ampliar




Facebook
Google+
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Este post tem 33 comentários

  1. Parabéns pelo desempenho da carteira.
    Vc opera por qual banco/corretora? Essa carteira está toda em um único banco/corretora?

    1. Investidor Internacional

      Olá NobreJP,

      Essa é uma carteira teórica com o intuito de estudo. É possível ter uma carteira assim com apenas uma conta.

      Fique atento e assine a lista de e-mail que em breve ficará bem fácil abrir uma conta no exterior.

      Abçs!

      1. Olá, II. Aguardo ansiosamente pelo e-mail.

        Abraços.

  2. Valeu pelo post II. Vc tem alguma previsão pra publicar sobre o assunto das melhores corretoras ou bancos que vc usa?

    Abs,

  3. Excelente desempenho. Parabéns!

    Obrigado por todos os ensinamentos ao longo do ano!

  4. Uma recomendação (URGENTE) de post seria a forma mais fácil de tirar dinheiro daqui da banânia sem pagar muitas taxas.

    Descobri que com conta no BB americas (EUA) você tem como transferir dinheiro de sua conta BB (Brasil) sem pagar ordem de pagamento e com cotação de dólar comercial. Apenas é pago o IOF

  5. Muito bacana mesmo … estou aprendendo um bocado por aqui … ainda não me sinto confortável pra migrar boa parte do meu investimento pra fora … mas tenho bastante interesse em aprender … acompanhar sua carteira esse ano foi muito bom, além dos vários posts sobre corretoras lá de fora .. etc … de como abrir.. como apurar imposto …

    Como são milhares de ativo com liquidez só nas bolsa dos eua … tenho dando uma estudada e pesquisa nos etfs … o que você acha do etf de reit VNQ? E o que acha do etf de um que chamam de dividend aristocrats código NOBL?

    Penso que se for começar .. começaria por esses 2 …

    1. Investidor Internacional

      Olá Rodolfo,

      Como é muita opção, é preciso se orientar para não se perder.

      Esses 2 ETFs são bem conhecidos e podem sim compor uma carteira voltada para a renda.

      Abçs!

  6. Suas dicas são ótimas…
    Estou abrindo a mente para este mundo que é novo para mim.
    O BB Américas é um banco sólido?
    Vale a pena abrir no BB Américas ou no Citibank (nos EUA)? Pergunto pois irei em Orlando, FL, no mês de abril e lá só tem BB Américas, não tem Citi; destarte, terei que viajar até uma agência mais próxima do Citi que creio ser em Boca Raton (perderei um dia das férias) para abrir a conta no Citi. Tenho conta nos dois bancos no Brasil, por isto estas foram minhas opções.
    Obrigado.

    1. Investidor Internacional

      Olá Lissandro,

      Não tenho como dizer se o BB Americas é sólido, mas ele faz parte do mesmo conglomerado do Banco do Brasil. Então estão ligados.

      Até onde eu sei, a conta para clientes do BB SA só pode ser aberta online e com valores acima de 10 mil dólares. Confirme no site.

      Abçs!

      1. Ok, obrigado.
        Estou no aguardo das suas indicações de Banco e Corretora parceiros, conforme informado acima.
        Abraço.

      2. Presencialmente da para abrir com 2.000 usd, eu acho. Abertura à distância que é 10k.
        Não cobram taxas de Swift, o dólar usado na cotação é o comercial. Só paga IOF.
        Melhor opção no momento!

        1. Investidor Internacional

          Oi João Paulo,

          Quando li no site, falava que presencialmente só para residente dos EUA.

          O melhor é ligar lá e perguntar.

          Abçs!

  7. Então, se fosse uma conta real, não seria melhor dividir a carteira em duas corretoras/países distintos? Tipo uma nos EUA e outra na Europa.

    1. Investidor Internacional

      Olá NobreJP,

      Não é necessário e além disso pode incidir mais custos.

      A corretora tem diversas subcontas para você manejar todas as moedas e receber os dividendos de acordo.

      Suponha que você tenha dois ativos em dólar, um comprado na Suíça e outro nos EUA. Quando receber dividendos, os dois caem na mesma conta e facilitam o reinvestimento. Não é melhor?

      O que é interessante é ter uma conta em um banco e outra numa corretora. Não necessariamente no mesmo país. Aí você tem o melhor dos dois mundos. Falarei mais sobre isso em breve.

      Abçs!

  8. Prezado II

    Gostaria de tirar uma dúvida

    Pq vc investe em ETFs ao invés de selecionar empresas?

    Eu sei que no caso dos ETFs é muito mais prático, rápido, diversificado e com menos custos.

    Entretanto, acredito que para quem consegue se aprofundar na análise fundamentalista e dispor de tempo para selecionar empresas sólidas, de setores interessantes, lucro crescente, dívida controlada etc e também puder realizar um monitoramento anual das empresas desta carteira poderá obter retorno superiores aos ETFs.

    O que vc acha disso?

    Um abraço

    1. Investidor Internacional

      Oi Ricardo,

      Tudo é uma questão de opção.

      Os ETFs facilitam muito, podem eles já dispõem de critérios dos mais diversos e montam uma carteira pra você sem a necessidade de ficar se aprofundando em análises. Fora o nível de diversificação, que é impraticável fazer sozinho.

      Abçs!

  9. Prezado investidor internacional

    Parabéns pelos posts , pois tenho certeza que muitos investidores ainda não possuem contas no exterior por desconhecimento e tb devido aos bancos brasileiros não terem interesse em saída de recursos do Pais.
    Os seus posts mostram que são simples fazer essas operações.

    Estamos aguardando o seu post relativo a empresas offshore , com comentários relativos as vantagens e desvantagens (tributárias , sucessão , rentabilidade e etc)

    1. Olá II,

      Também aguardo ansiosamente esse post que o Marcos comentou.

      Um abraço

  10. Aguardando ansiosamente o post sobre off shores
    abraço

    1. Investidor Internacional

      Olá,

      Fique tranquilo que eu não esqueci.

      Assim como o artigo sobre tributação, esse é um tema que requer um cuidado extra.

      Abçs!

  11. Saudações II,

    Ainda que com mais de um mes de atraso, desejo a vc e a todos que frequentam este espaço um ótimo 2016.

    Em relação aos REITs que integram a carteira teórica, além de critérios geográficos e de moeda, e natureza dos imóveis que os compõe, que outros critérios para uma boa diversificação vc leva em conta? Pergunto porque no post vc cita dois REITS aos quais atribui função de crescimento.

    Aproveito para te perguntar se no processo de escolha vc faz algum tipo de valuation em relação a eles para, com base no fluxo anual de dividendos por exemplo, confirmar uma compra ou eventualmente postergá-la.

    Agradeço desde já.

    1. Investidor Internacional

      Olá shoemaker,

      O mais simples é realmente dividir de forma geográfica e por tipo de imóvel. Os REITs dessa carteira teórica especificamente também foram escolhidos pelo histórico de dividendos ( yield e tempo de crescimento).

      Os de crescimento são aqueles mais novos e que estão em plena aquisição de imóveis.

      Abçs!

  12. Investidor internacional,

    Excelente trabalho, parabéns! Uma dúvida, para investidor em ZKB Gold-USD, só com corretora ou banco suíços? Ou com uma corretora nos EUA eu conseguiria?

    Grato,

    1. Investidor Internacional

      Olá Guilherme,

      Obrigado.

      Qualquer corretora que ofereça acesso à bolsa da Suíça. As principais que eu menciono, oferecem.

      Abçs!

  13. Olá II, bacana seu site.
    Montei uma carteira teórica e quero começar a aportar ainda esse ano.
    Estou em dúvida entre abrir conta na Interactive Brokers ou na Vanguard.
    Comentei um excelente artigo do Market Watch falando sobre diversificação no exterior no meu blog.
    Minha carteira para estudo é composta por ETF de ações, de bonds e de REITS.

    o etf de bond será o EMB
    o etf de reit será o VNQ
    os etfs de ações seão NOBL, o VOO, o VHT
    no exterior EWH, EWS, EWA

    II, onde eu posso simular a compra deles e posso ver os rendimentos de dividendos deles, da carteira teórica? Será que pelo google finance eu consigo fazer isso? Onde vc faz a sua carteira teórica e vê os dividendos deles? obrigado, vou te colocar no meu blogroll.

Deixe uma resposta

Posts mais lidos

Fechar Menu