L’Oréal

Loreal

Saiba se vale a pena investir na maior empresa de cosméticos do mundo

Todo investidor mais curioso sabe que um dos motes do Warren Buffett é comprar empresas que tenham um diferencial competitivo, vendam serviços e produtos duráveis, que foram e continuarão sendo consumidos por muitas décadas. Muito me estranha  ele nunca ter mencionado a L’Oréal, empresa que é a maior no mercado de produtos para beleza.

Quer saber agora o quanto o setor de beleza é durável? Saiba que há evidências arqueológicas de que a henna já era usada como tintura para cabelo 1.500 anos antes de Cristo. Além disso, a própria L’Oréal já tem mais de 100 anos e seu slogan, “Porque você vale muito”, é praticamente o mesmo há 45 anos.

É isso que você irá aprender no artigo a seguir: se realmente essa perenidade vale muito.

Os primeiros passos

Foi exatamente no mercado de tintura que  a empresa começou em 1909. Seu fundador, o químico francês Eugène Schueller, após se formar fez o quê? Prestou concurso? Não. Ele desenvolveu uma fórmula que pintasse o cabeço de forma menos agressiva e mais natural que os produtos até então usados. Começou então a fabricar o seu próprio produto e passou a vendê-lo para os salões de cabeleireiro de Paris.

CabeloAté me lembra um pouco da história da brasileira que era faxineira e criou sua própria empresa de cosméticos, mesmo sem ter o mesmo conhecimento de química do francês.

Mas foi em 1920, com o fim da Primeira Guerra, que uma nova era começou. As mulheres começaram a trabalhar, ganhar dinheiro e a ter uma preocupação ainda maior com a própria imagem. E uma das maneiras encontradas a fim de manter uma aparência jovem por mais tempo é justamente esconder os cabelos brancos. Dessa forma, a empresa passou a desenvolver não só mais produtos com essa finalidade, mas também outros relacionados. Com o tempo a empresa passou a crescer internacionalmente e a atingir um mercado cada vez maior, chegando ao que é hoje, uma empresa presente em mais de 130  países e que vale em torno de € 95 bilhões.

As marcas

O crescimento da empresa também ocorreu por diversas aquisições que ocorreram nestes últimos 108 anos. Lancôme, Garnier, Biotherm, La Roche-Posay, Maybelline e a rede The Body Shop foram as empresas que passaram a compor o rol de marcas da gigante francesa. A lista abaixo mostra todas as marcas que fazem parte do seu portfolio atual.

L’ORÉAL LUXOPRODUTOS PARA O CONSUMIDORPRODUTOS PROFISSIONAISCOSMÉTICOS ATIVOSTHE BODY SHOP
LancômeL’Oréal ParisL’Oréal ProfessionnelVichyThe Body Shop
Giorgio ArmaniGarnierKérastaseLa Roche-Posay
Yves Saint Laurent BeautéMaybelline New YorkRedkenSkinCeuticals
BiothermNYX Professional MakeUpMatrixRoger&Gallet
Kiehl’sAfrican Beauty BrandsPureologySanoflore
Ralph LaurenEssieShu Uemura Art of Hair
Shu UemuraMizani
CacharelEssie
Helena RubinsteinDecléor
ClarisonicCARITA
Diesel
Viktor&Rolf
Yue Sai
Maison Margiela
Urban Decay
Guy Laroche
Paloma Picasso
Proenza Schouler

Agora faça um teste você mesmo. Quando entrar numa farmácia, olhe para o setor de cosméticos, produtos dermatológicos e tinturas de cabelo. Acredito que cerca de metade do espaço é ocupado por alguma marca da L’Oréal. É um diferencial competitivo e tanto.

A empresa como investimento

As ações da L’Oréal são negociadas na Bolsa de Paris sob o código “OR”. Ela faz parte do principal índice da bolsa francesa, o CAC 40, além de outros três índices de responsabilidade social: FTSE4Good, ASPI Eurozone® e Ethibel Excellence Sustainability.

Em termos de divisão acionária, percebe-se que a empresa é controlada por grandes grupos. A família Bettencourt Meyers é dona de 33%, os investidores institucionais internacionais detêm 30% das ações, a Nestlé é dona de 23% e os investidores institucionais franceses possuem 7% da companhia. Investidores individuais são donos de apenas 5%.

Gráfico das ações
Valorização das ações da L’Oréal nos últimos 10 anos

Os últimos resultados foram divulgados no dia 29 de julho de 2016 e correspondem aos 6 primeiros meses do ano. As vendas no semestre totalizaram € 12,89 bilhões, alta de 4,2% baseado em termos comparativos, ou seja, excluindo-se as variações cambiais e crescimento externo. Em termos de crescimento reportado, a elevação foi de 0,6%. A margem operacional aumentou 20 pontos-base e chegou a 18,3%. O lucro por ação foi de € 2,65 reportado e de € 3,59, excluindo itens não recorrentes.

Isso é algo comum nas empresas com alto grau de diversificação internacional. Você verá tanto a evolução das vendas e receitas na moeda de onde a empresa está baseada (aqui no caso em Euro pela empresa ser francesa) e uma comparação excluindo as mudanças cambiais, com o objetivo de avaliar de maneira mais fidedigna se a empresa vendeu mais ou menos. Para se ter um exemplo, as mudanças no câmbio tiveram um impacto negativo em 3,9% na comparação com o 1º semestre de 2015. A queda do Real no Brasil e do Rublo na Rússia foram as que mais prejudicaram.

Em termos de importância, é interessante avaliar quanto cada setor contribui de receita para a companhia.

  • Produtos para o consumidor: 49,2%
  • LÓréal Luxo: 28,8%
  • Produtos Profissionais 13,8%
  • Cosméticos Ativos: 8,2%

Houve aumento das vendas em toda a divisão de cosméticos e em todas as áreas geográficas, com destaque para a divisão Luxo e Cosméticos Ativos. O ponto negativo foi a queda de vendas da rede The Body Shop. Destaque positivo para a marca NYX Professional Makeup que apresentou aumento de 99% nas vendas. La Roche-Posay e SkinCeuticals com alta de 12% cada também apresentaram crescimento bastante acima da média.

Em termos geográficos, a empresa apresentou crescimento significativo nas vendas em determinados países, como Indonésia (+22%), Rússia (+16%) e Tailândia (+14%).  Em termos regionais, a América Latina teve alta de 10%, a África/Oriente Médio alta de 9,7% e o leste europeu alta de 9%. Entretanto, os dois principais mercados da empresa continuam sendo a Europa Ocidental, que corresponde a 33,5% das vendas e a América do Norte com 27,7%.

Quando se avalia o mercado de beleza como um todo, vemos um crescimento bastante constante ano a ano desde 1993, mostrando uma certa resiliência e constância no longo prazo. A exceção nesse período foi o ano de 2009, pós-crise financeira. Em geral, o crescimento da empresa tem sido maior que o do mercado, o que para uma empresa desse porte é bastante louvável.

Mercado de beleza
Crescimento do mercado de beleza no mundo

É importante ressaltar que o lucro reportado foi 21,4% menor que no mesmo período de 2015. Entretanto, dois eventos não recorrentes contribuíram para isso. Foram as baixas não contábeis, chamadas de [fusion_popover title=”” title_bg_color=”” content=”É autorizado à empresa descontar esse valor do balanço quando alguma de suas divisões apresenta resultados tão baixos que não justifica o valor pelo qual essa divisão é avaliada.” content_bg_color=”” bordercolor=”” textcolor=”” trigger=”hover” placement=”top” class=”” id=””]goodwill impairment[/fusion_popover], de duas marcas, Clarisonic e Magic, que prejudicaram em quase €450 milhões o lucro do semestre. Em contrapartida, o fluxo de caixa operacional foi de €1,3 bilhões, alta de 27% no período. Por isso é importante não só se avaliar o lucro líquido pura e simplesmente. É preciso saber o que levou a esses números.

Em termos de dividendos, a empresa se comporta como uma empresa madura que tem entregado valor diretamente para os acionistas. O payout atual é de 50%, em linha com o histórico da empresa, e os dividendos têm crescido ano após ano. Apenas de 2014 pra 2015 foram elevados em 14,8%. Isso caracteriza a empresa como de crescimento de dividendos. Se isso já não bastasse, a empresa ainda paga 10% a mais de dividendos como loyalty bonus para quem mantiver as ações por mais de 2 anos.

Dividendos
Dividendos por ação da L’Oréal nos últimos anos

Quem comprou 1 ação da empresa há 20 anos atrás, no dia 11 des setembro de 1997 ao valor de €31,56 chegou ao dia de hoje com €186,04, incluindo-se os dividendos, mas sem reinvestimento, alta de 489% em relação ao investimento inicial.

Pra finalizar os números, vale ressaltar que a dívida da empresa é baxíssima. No fechamento do 1º semestre totalizava €344 milhões, o que implica uma alavancagem de apenas 1,6%. Enfim, uma empresa de administração bastante cautelosa.

Países problemáticos

Uma coisa me chamou a atenção no material de divulgação dos últimos resultados. Foram algumas situações especiais que a empresa está enfrentando em alguns países. Para se tornar uma empresa multinacional tão grande, é preciso acabar se estabelecendo em terrenos inóspitos.

A primeira situação é a da Venezuela. A empresa encerrou os trabalhos das subsidiárias no país no dia 31 de dezembro de 2015 pelos seguintes motivos:

  • Situação econômica difícil
  • Contenções impostas pelo governo, dificultando as operações
  • Flutuações no câmbio tornando as operações impraticáveis

O impacto negativo no balanço de 2015 devido a isso foi de €107 milhões.

MaquiagemA segunda situação é aqui no Brasil. Existe uma disputa a respeito do pagamento de IPI. A empresa fez e pagou através de um cálculo e o governo contesta dizendo que o cálculo era outro. Isso aconteceu em dois anos, 2013 relativo a 2008 e 2015 relativo a 2011. Com isso o governo quer cobrar da empresa pouco mais de R$ 1 bilhão. Além existe existe a questão da mudança do IPI em 2015 para o setor de cosméticos. A empresa contesta a base legal. De acordo com alguns advogados, nesta última ela parece ter razão.

Vale abrir um parêntese aqui. Como já abordei antes, o Brasil é pior país do mundo para calcular e pagar impostos. É o Usain Bolt no quesito atrapalhar a vida das empresas. Já ouvi da boca de mais de uma pessoa a seguinte declaração “No Brasil, por mais que você faça tudo certo, pode ser que daqui 10 anos venha um fiscal e diga que não era bem assim e lhe aplica uma multa.” Ou seja, o sistema é feito para empresas e pessoas nunca terem certeza de que estão dentro da lei. Isso não só aumenta o poder do Estado, como cria um ambiente propício para a distribuição de propinas e outros ilícitos.

A terceira situação, veja só, é na própria França, berço da empresa. Qual o problema por lá? A autoridade francesa que regula a concorrência constatou práticas combinadas da empresa com seus competidores. A multa pedida é de € 189 milhões, já tendo sido paga em 2015. O processo ainda não finalizou e existe ainda uma última decisão a sair até o fim deste ano.

Venezuela, Brasil e França. Não acredito que seja coincidência.

Conclusão

A L’oreal é uma das maiores companhias do mundo. Mesmo participando de um setor bastante competitivo, a empresa possui diferenciais importantes, incluindo uma ampla distribuição geográfica, além de possuir marcas que todo mundo usa e conhece.

É uma empresa com crescimento lento e constante dos lucros e que vem aumentando progressivamente o pagamento de dividendos. Suas ações também possuem baixa volatilidade. São características importantes para um investidor que procura um portfolio mais conservador.

Se por um lado a empresa não deve apresentar aquela valorização fora de série das empresas de crescimento, por outro também não deve sofrer tanto seja por mudança de tecnologia, crescimento da concorrência ou períodos de crise.

 

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Este post tem 18 comentários

  1. Avatar

    Opa II, belo artigo!

    Eu nunca tinha procurado pra ver alguma empresa de cosmético.

    BELEZA é um mercado que NUNCA vai cair! Nunca! Nem na crise.
    Mulher nunca deixa de gastar com beleza, seja de qual classe for.

    Abraço!

    1. Investidor Internacional

      Olá Frugal,

      Já conversei pessoalmente com empresários do setor e todos satisfeitos com as vendas e muito insatisfeitos com esse último aumento do IPI e demais aspectos burocráticos.

      Abçs!

  2. Avatar

    BELEZA é um mercado que NUNCA vai cair! Nunca! Nem na crise.
    Mulher nunca deixa de gastar com beleza, seja de qual classe for.

    Abraço!

  3. Avatar

    Vc ja fez um apanhado de qto gasta com taxas anualmente para manter investimentos em tantos países diferentes? Não seria mais facil comprar esses tickets por meio de ADRs?

      1. Avatar

        Olá Investidor

        Aproveitando a carona na pergunta do colega acima, apesar de ter a facilidades de acessar 20 bolsas com apenas 1 conta, como fica a questão da tributação? Teria que ter um controle individualizado para os investimentos em cada país, correto?

        Um abraço

        1. Investidor Internacional

          Olá William,

          Não, não precisa.

          Os dividendos serão tributados na fonte e não haverá imposto lá sobre ganho de capital.

          Abçs!

  4. Avatar

    Olá,
    Excelente post como sempre. Minha duvida é também sobre a questão da tributação nessas empresas européias.
    Tenho vontade de abrir uma conta na Interactive Brokers onde teria acesso a varias bolsas.
    Minha duvida é o que vale mais a pena em termos de tributação para nós brasileiros, comprar uma ação direto na bolsa de origem (exemplo: Daimler comprar na bolsa da Alemanha, ou a própria L’Oreal na frança) ou comprar a ADR vendida na NYSE.
    Nos EUA os dividendos são retidos na fonte e vc somente declara aqui que ja foi pago, como funciona isso na Alemanha ou França?? Teria que fazer um boleto no carnê leão toda vez que receber dividendos? Descontaria lá na fonte e aqui de novo por não haver acordo de bitributação (Alemanha não tem, frança parece que tem…)?
    Desde já agradeço

    1. Investidor Internacional

      Olá Aleixo,

      Não faz diferença. Talvez a liquidez. E também muda a moeda que você está lidando.

      O Carnê leão é mensal.

      Os países que têm acordo não teriam imposto a pagar aqui, porque já é descontado lá numa alíquota maior.

      Abçs!

  5. Avatar

    Grande II, voltei aqui ao post para ler melhor e com mais calma.
    Gostei da empresa.
    Não tem uma pessoa que me convença que é melhor investir na RF do Brasil do que numa Loreal ou numa Nestle da vida.
    E se a Nestle tem 23% da Loreal, comprando Nestle vc leva as duas.
    Essas empresas globais e de multimarcar e com grande marketshare são muito impressionantes mesmo.

    Tem que ver também a questão da Loreal na China. A China é um mercado imenso, assim como a Índia, se a empresa ainda tiver muito a crescer lá, acho que dá pra dobrar de tamanho.

    Abraço.

    1. Investidor Internacional

      Olá Frugal,

      Essas Megacaps como L’Oréal e Nestle são aquelas empresas que sempre vão gerar caixa, distribuir dividendos, não irão crescer tanto, mas também têm poucas chances de afundar.

      Existe até ETF de megacaps.

      Abçs!

  6. Avatar

    Ola II, parabens pelo post.
    Cosmeticos, moda, roupa, sapatos, beleza…é um segmento que não cai nunca, lojas nunca fecham…tenho experiencia aqui em casa…rsss

  7. Avatar

    Ótima postagem, apesar do tempo em que a mesma foi postada, mas os resultados atuais dessas gigantes não deixam dúvidas!

    Se possível gostaria de mais informações de: como abrir conta nessas corretoras que dão acesso a mais de 20 bolsas (principalmente L’Oréal, Nestlé.
    Desde já agradeço!

Deixe uma resposta

Posts com maior repercussão

Fechar Menu