Atualização da carteira internacional – 3º Trimestre 2016

carteira internacional

Atualização da carteira de investimentos internacionais e as principais notícias do 3º trimestre

Mais um trimestre se vai e é hora de atualizar nossa carteira modelo de investimentos internacionais. Se você não a tem acompanhado desde o começo do ano, sugiro que veja o artigo sobre a criação da carteira internacional, publicado em fevereiro.

Não é uma carteira recomendada, é apenas um modelo para você saber os tipos de ativos em que pode investir no exterior. A preferência, como na carteira de 2015, foi por ETFs. Eles facilitam a montagem do portfolio e requerem menos tempo para acompanhamento do que aquela com ações e títulos individuais. Se você não conhece esse tipo de investimento, existe uma página sobre ETFs bastante completa que orienta sobre tudo relacionado a eles. Acredito ser a página mais detalhada em língua portuguesa sobre esse assunto.

A notícia mais importantes do trimestre

O fato recente mais marcante nos mercados internacionais foi a crise pela qual está passando o banco alemão Deutsche Bank (XETRA:DBK). Além do banco estar exposto a um alto risco em sua carteira de crédito, que inclui empresas relacionadas ao fraking (extração de petróleo e gás natural por fraturamento hidráulico) e a tomadores de crédito de baixa qualidade dentro da própria Europa, o banco está sob ataque da procuradoria dos EUA em um processo de U$ 14 bilhões, relacionado a títulos do setor de hipotecas.

deutsche bank
Sede do Deutsche Bank

Ainda existe uma série de mecanismos de proteção que o banco poderá lançar mão caso precise criar liquidez. Poderá vender ativos, converter dívida em ações (os chamados Coco-Bonds), etc. Entretanto, quando um banco começa a enfrentar esse tipo de problema, muitas instituições, incluindo Hedge Funds, começam a levar os serviços até então prestados por ele para outros bancos, o que pode reduzir ainda mais as receitas do Deutsche Bank.

Há muito ainda o que acontecer para a insolvência do banco e uma intervenção estatal não pode ser descartada. Em se tratando do maior banco da maior economia da Europa, o efeito dominó poderá ser grande. De qualquer forma, serve como aviso para esclarecer que investimento fora do Brasil não está isento de riscos.

A variação cambial

Ao contrário dos trimestres anteriores, neste último não houve variação cambial tão significativa. A maioria das moedas internacionais apresentou valorização frente ao Real, com exceção da Libra Esterlina, conforme a lista abaixo:

Dólar dos EUA: +1,2%

Euro: +3,1%

Libra Esterlina: -0,7%

Dólar de Hong Kong: +2,4%

Franco Suíço: +2,1%

Os destaques da carteira internacional

Os grandes destaques da carteira no primeiro semestre, também pararam de subir. A cotação do ouro se estabilizou, assim como o preço das ações das mineradoras deste metal. Já a prata teve uma leve alta e nosso ETF relacionado a ela subiu 3,8% em Dólar dos Estados Unidos.

A alocação em ações foi a que teve o melhor desempenho entre todas. Powershares NASDAQ Momentum Portfolio subiu 6,4% em Dólar dos EUA. Já iShares MSCI Europe Minimum Volatility teve alta de 4,4% em Euro. O melhor desempenho, no entanto, veio das ações asiáticas, particularmente as japonesas.  iShares MSCI Asia ex-Japan Index subiu 11,1% e Value Japan teve alta de 12,9%. Ambas medidas em Dólar de Hong Kong.

Quando medido em Real, a carteira apresentou alta de 3,84% no trimestre e no ano apresenta desvalorização de 7,77%.

Dividendos

Os dividendos recebidos nos últimos três meses estão discriminados abaixo, já descontado o imposto de renda retido na fonte:

  • PowerShares DWA NASDAQ Momentum Portfolio $0,35
  • PIMCO Total Return ETF $12,26
  • Market Vectors Fallen Angel High Yield Bond ETF $29,69
  • ProShares Investment Grade – Interest Rate Hedged $15,17
  • PowerShares LadderRite 0-5 Year Corporate Bond Portfolio $1,96
  • iShares Interest Rate Hedged 10+ Year Credit Bond ETF $10,58
  • SPDR Barclays 3-5 Year Euro Government Bond UCITS ETF  €0,40
  • iShares UK Gilts 0-5yr UCITS ETF £ 9,59
  • iShares RMB Bond Index ETF  HKD 165,00
  • ABF Hong Kong Bond Index Fund HKD 164,00
  • PowerShares Active U.S. Real Estate Fund  $19,00
  • iShares European Property Yield UCITS ETF € 11,61
  • iShares UK Property UCITS ETF £ 7,12
  • iShares Asia Property Yield UCITS ETF $25,59
  • PowerShares CEF Income Composite Portfolio $54,03
  • Guggenheim Multi-Asset Income ETF $26,03

Resumo

A visão atual da carteira como um todo pode ser encontrada na tabela abaixo:

carteira internacional
Evolução da carteira de investimentos internacionais no 3º trimestre de 2016. Clique para ampliar.

 

Facebook
Google+
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Este post tem 18 comentários

  1. II,

    Gosto de acompanhar seus post pois aprendo um bocado sobre os investimentos fora.. coisa que tenho pouco conhecimento .. mercado aqui tá confuso . mas lá fora está uma panela de pressão ..

    1. Investidor Internacional

      Olá Rodolfo,

      Não está fácil para ninguém.

      Muita intervenção estatal e dos bancos centrais tem gerado distorções nos mercados.

      Isso não irá terminar bem. A questão é saber quando.

      Abçs!

  2. Opa II tudo bem?

    Você faz a sua carteira pessoal com esses ativos ou ela é só pra ilustrar?

    Seria legal se vc colocasse os ativos da sua própria carteira tambem. Não precisa colocar os valores, só os pesos de cada um e a alocação.

    Já pensou nisso?
    Abraço!

  3. Ou seja, não é uma indicação de compra, não é uma dica, não é uma sugestão, talvez um sonho de consumo? um possível portfólio futuro quem sabe, o bom é que é um começo de pesquisas para todos, eu particularmente tenho uns 30 stocks e uns 20 Reits, não sou fã de ETF tenho apenai um com 5% e estou satisfeito.

    1. Investidor Internacional

      Olá Maurício,

      Sim, não é indicação, porque cada pessoa tem um perfil, uma realidade, um objetivo e tudo isso interfere na montagem da carteira.

      Abçs!

  4. II, esta carteira é ilustrativa mas a sua carteira tem essas ações que pagam dividendos? Pergunto pois estou estudando montar minha carteira sem receber dividendos sendo majoritariamente em ETF que reinvestem os dividendos, isso tudo na fase de acumulação (10 anos aproximadamente) e sendo assim não pago imposto nenhum sobre os dividendos.

    Abraço!

    1. Investidor Internacional

      Olá BPM,

      A carteira é ilustrativa.

      Não posso comentar sobre os meus investimentos, mas há sim vários ETFs que reinvestem os dividendos.

      Abçs!

  5. Olá II.

    Você usa algum software para controle de finanças (Receitas/Despesas/Investimentos)?

  6. Bom dia.

    Qual seria a diferença de eu investir pela corretora aqui no Brasil em DRN ao invés de diretamente no exterior?

    1. Investidor Internacional

      Olá Luiz Fernando,

      Você quer dizer BDR?

      BDR são títulos representativos de ações no exterior.

      O problema que eu vejo é a falta de liquidez dos BDRs.

      Abçs!

  7. Olá II,

    Haverá atualização da Carteira Teórica para o ano de 2017?

    Abçs e sucesso!

  8. Ola Investidor Internacional,

    fiquei com dúvida sobre a alocação de 15% em Cach na tua carteira. Seria saldo em alguma conta multimoedas com alguma aplicação (tipo nosso cdb automático ou cdbs mesmo) ou dinheiro vivo mesmo?

    Outra questão, terias como disponibilizar tuas planilhas de controle de despesas/análise de investimentos?

    Abraço e parabéns pelo site.

    1. Investidor Internacional

      Olá Augusto,

      Essa alocação pode ser em dinheiro vivo ou dinheiro na conta mesmo.

      Muitos bancos te dão a opção de quais moedas você quer ter conta corrente.

      De quais planilhas você está falando? Eu só tenho as que usei para acompanhar o portfolio.

      Abçs!

Deixe uma resposta

Posts mais lidos

Fechar Menu