Netflix

Netflix

Veja como você poderia ter ficado milionário se tivesse investido na maior rede de TV on-line do mundo

Em 2007, a Apple revelava seu próprio smartphone, o iPhone. Num mundo então dominado por Blackberries e Nokias, a tela touchscreen da empresa da maçã marcou um novo padrão a ser seguido.

Esse artigo não é sobre a Apple, mas podemos dizer que a Netflix causou o mesmo efeito em seu mercado. Numa época em que era comum assistir filmes em DVD e as TVs por assinatura via cabo ou satélite eram os xodós da famílias, a empresa introduziu seu sistema de TV on-line, onde passou  a ser possível assistir aos programas na hora em que você quiser.

O sucesso foi imediato e o número de clientes começou a crescer de forma assombrosa. Atualmente a Netflix possui mais de 100 milhões de assinantes em quase 200 países.

O que pouca gente sabe é que a Netflix também é uma companhia de capital aberto e tem ações negociadas na Nasdaq sob o código NFLX. Sim, você pode participar dos resultados de uma das companhias que mais cresce no mundo!

O que você verá agora é como começou um dos negócios mais fantásticos da história e quantos bilhões os investidores já faturaram em cima desse sucesso. Inclusive verá como seria possível facilmente ter ficado milionário investindo nesta ação.

Um pouco de história

A empresa foi fundada em 1997, na Califórnia, por Reed Hastings e Marc Randolph. como sendo uma locadora de DVDs pelo correio. Você pedia o DVD no site e eles mandavam pra você. Chegava em 2 ou 3 dias. Já vinha até com um envelope pronto pra você mandar de volta depois de assistir. Era um modelo que enfrentava a então gigante do setor de locação de filmes, a Blockbuster. O trabalho da empresa, na época, era muito mais voltado a parte de logística e distribuição de DVDs do que na produção de filmes e séries.

Uma curiosidade que você verá em várias empresas de sucesso americanas também aconteceu com a Netflix. Um dos fundadores, Hastings, havia vendido meses antes uma outra companhia, a Pure Software, por quase U$ 500 milhões. Isso há 20 anos. O que você faria se embolsasse esse valor? Ficaria de pernas pro ar em algum lugar paradisíaco, não é mesmo? Mas o empreendedor americano pega parte desse dinheiro e funda outra companhia. Esta é a diferença entre o espírito de um empreendedor serial e o de um ganhador de loteria, por exemplo.

House Of Cards
House of Cards

Voltando a Netflix. O serviço de aluguel de DVDs mesmo começou em 98, ano em que o DVD ainda não tinha “pegado” nos EUA, mas estava começando a substituir o VHS. Algum tempo depois a empresa mudou de aluguel de DVD para assinatura, modelo em que se pagava uma mensalidade e se podia alugar filmes à vontade.

A empresa abriu o capital na Nasdaq em 2002, ano em que ainda nem dava lucro. Em 2003, atingiu a marca de 1 milhão de assinantes. Em 2005, já distribuía 1 milhão de DVDs pelo correio por dia. Dois anos depois, em 2007, a emprega enviou seu bilionésimo DVD.

E foi nesse mesmo ano de 2007 que a Netflix começou a oferecer o serviço de streaming on demand, permitindo acesso instantâneo aos filmes e shows direto no computador. Era um adicional ao serviço de locação de DVDs. Com o tempo, foi-se expandindo para os demais aparelhos (videogames e portáteis) e para outros países.

Em 2011, o grande erro de querer dividir a empresa em duas. Uma voltada para os DVDs e outra para transmissão on-line. O mercado foi implacável. A ação colapsou mais de 75%. Diante dessa situação, o presidente da empresa recuou, manteve a companhia única e o valor da empresa se recuperou algum tempo depois.

Em 2013, lançou sua primeira produção original, House of Cards, de enorme sucesso e ganhadora de inúmeros prêmios.

Atualmente, a Netflix sozinha consome mais de 37% de todo o tráfego de internet na América do Norte.

O mercado e o diferencial competitivo

O caso de sucesso da Netflix se deve em ser a pioneira em TV por assinatura on-line e on demand no mundo. Assim a empresa surfou na onda de mudança de comportamento em massa dos consumidores, que se cansaram da experiência da TV paga comum, com seus aparelhos inconvenientes, controles remotos complicados e programas com horários predeterminados. O consumidor do século XXI prefere o modelo em que você assiste ao seu programa favorito na hora em que quiser e no aparelho que escolher, seja TV, computador, tablet ou smartphone. E para isso nem precisa estar em casa.

A expansão da TV on-line vem se apoiando em 4 fatores:

  • Aumento de velocidade da internet
  • Maior penetração das Smart TVs
  • Flexibilidade para moldar a programação de maneira individual
  • Inovações tecnológicas

Desta forma, este modelo vem se consolidando e recebendo cada vez mais consumidores. A Netflix, como primeira e maior empresa do ramo, já gravou o seu nome como sinônimo desse novo mercado à frente de nomes como a Amazon e a Hulu. E mesmo com a concorrência adicional do YouTube e iTunes, a empresa tem mostrado diferenciais para manter a preferência do público.

O número de produções originais de sucesso  lançadas nos últimos 4 anos é um desses diferenciais. Aqui vai uma lista dos filmes e séries originais que mais repercutiram em todo o mundo (em ordem):

  1. 13 Reasons Why (disparado)
  2. Chasing Cameron
  3. Fuller House
  4. Luke Cage
  5. Stranger Things
  6. Black Mirror
  7. Unbreakable Kimmy Schmidt
  8. Orange Is The New Black
  9. The OA
  10. Master of None
  11. Bloodline
  12. House of Cards

Se você assistiu alguma e quiser deixar comentários a respeito, seria interessante, porque são justamente a fidelidade e o marketing boca-boca duas das razões para o enorme crescimento da empresa.

13 Reasons Why
13 Reasons Why

Como falei no ínicio, a empresa já possui 20 anos de idade, mas só se instalou no Brasil em 2011. Só pra você ter uma idéia, nestes 6 anos de Brasil, a operação local já conseguiu mais assinantes que a Sky e tem uma receita maior que a do SBT.

O motivo é simples. Facilidade de assinar. Facilidade de cancelar (quem já tentou cancelar a Sky, sabe da dor de cabeça). Preço competitivo (R$ 19,90 na Netflix, 69,90 da Sky, ambos nos pacotes básicos). Acervo de qualidade e flexibilidade de horário e aparelhos onde se pode assistir.

Netflix como investimento

Os números referentes à Netflix não podem ser simplesmente comparados com a mesma régua que se mede o McDonald’s ou a Louis Vuitton, empresas mais antigas e estabelecidas. A Netflix é uma empresa de crescimento, com foco em aumentar o número de assinantes, dominar o mercado de streaming e incrementar as receitas.

Desta forma, o reinvestimento das vendas em ações de marketing e novas produções são fator fundamental para alcançar esses objetivos. O lucro líquido, neste momento, fica em segundo plano.

Outro ponto a se avaliar nesse tipo de empresa é a questão da dívida. Muitas empresas nesta situação emitem papéis para financiar o crescimento. Portanto, sempre é bom ficar de olho se a evolução das receitas é superior ao das dívidas.

No momento (últimos 12 meses) os principais dados da empresa são esses (dados retirados da Morningstar):

Valor de MercadoU$ 67,5 bilhões
Preço/Lucro (últimos 12 meses)203,3
Preço/Lucro (estimado para 2017)149,3
Preço/Crescimento dos Lucros2.9
Preço/Valor Patrimonial22,7
Margem Líquida3,5%
Margem Operacional6,2%
Retorno sobre Ativos (ROA)2,6%
Retorno sobre Patrimônio (ROE)12,7%
Receita TotalU$ 9,5 bilhões
EBTIDAU$ 664 milhões
Lucro Líquido U$ 337 milhões
Lucro por AçãoU$ 0,77
Fluxo de Caixa Livre- U$ 1,7 bilhões

Quem olha um P/L de 203 e um fluxo de caixa livre negativo já se espanta, mas como já falei é uma empresa de crescimento. Então vamos ver a evolução dos principais números nos últimos anos (gráficos retirados do site GuruFocus).

Primeiro a evolução da receita. De U$ 35 milhões em 2000 para U$ 8,8 bilhões ao fim de 2016

Receita da Netflix

O crescimento da receita ano a ano, em média de 35 a 40% de crescimento em relação ao ano anterior:

Receita por ação ano a ano

A evolução do lucro líquido. De prejuízo de U$ 58 milhões em 2000 a lucro de U$ 186 milhões em 2016.

Evolução do lucro líquido

Já a questão da dívida é algo que começa a preocupar. A empresa acabou de anunciar uma oferta de € 1,3 bilhão (São euros mesmo) em notas sênior com 3,625% de juros anuais e maturidade para 2027. Conforme você pode ver no gráfico abaixo, as dívidas de longo prazo da empresa já somam U$ 3,4 bilhões:

Divida da Netflix

A resposta da empresa é que ela espera que o crescimento no número de assinantes permaneça forte como hoje ainda por algum tempo e este crescimento está fortemente relacionado a produção e divulgação de conteúdo de qualidade.

E por que é tão importante ter uma ampla base de assinantes? Primeiro porque dilui os custos e a empresa consegue manter um preço de assinatura competitivo. Segundo que com a base atual de 100 milhões de clientes, um reajuste de U$ 1 na mensalidade aumentaria teoricamente a receita anual em U$ 1,2 bilhão. Imagine agora com 200 ou 300 milhões de clientes.

Se você leu bastante artigos aqui do site já sabe que uma das maneiras de se chegar em números astronômicos de clientes é entrando na China, país atualmente sem a presença da Netflix. E como entrar nesse mercado, um pote de ouro que bloqueou o Google e o Facebook? Através de um acordo com algum dos gigantes de internet locais. E o primeiro acordo já está sendo discutido. Nele a Netflix licenciria suas produções para o iQiyi.com, plataforma de vídeo da Baidu, atualmente com 20 milhões de assinantes. Inclusive esse processo alavancou as ações das duas companhia nesta última semana, fazendo a ação da Netflix, inclusive, atingir seu topo histórico.

Conclusão

Como você pôde ver, a Netflix é uma empresa em franco crescimento. O número de assinantes, a receita e o lucro não param de aumentar. Obviamente a expansão dos lucros será menor que dos demais números pela exigência de maiores investimentos em marketing e criação de conteúdo original.

A questão é saber até onde irá este crescimento e o quanto dele já está precificado na ação. No segmento doméstico (Estados Unidos), bastante relevante, a empresa acredita que pode chegar entre 60 e 90 milhões de assinantes. Atualmente possui cerca de 50 milhões. Em termos internacionais, as possibilidades são ainda maiores, já que sua presença em muitos países ainda não está consolidada e ela está na porta do maior deles, a China.

O fato é que a empresa é líder num mercado que ela praticamente criou, o de TV on-line. Se aparecerão novos competidores? É possível, mas a empresa tem enfrentado bem seus atuais concorrentes. Se aparecerá uma nova tecnologia que mudará o modo como os consumidores assistem TV? É possível, mas nada muito diferente tem sido mostrado ainda.

Por enquanto, a empresa vai de vento em popa, investindo bilhões em conteúdo de altíssima qualidade e conquistando cada vez mais assinantes no mundo todo.

Esse sucesso todo até levanta uma questão:

Será que as atuais TVs por assinatura terão o mesmo destino do telefone fixo?

E pra terminar é bom saber que se você tivesse investido apenas U$ 10 mil no IPO da Netflix em 2002, você teria hoje U$ 1.285.867,77. Sim, bem mais de 1 milhão de dólares! Lembrando que a ação sofreu dois desdobramentos: 1-pra-2 em 2004 e 1-pra-7 em 2015.

Gráfico da Netflix
Evolução do preço da ação da Netflix em comparação ao índice Nasdaq Composite
Facebook
Google+
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Este post tem 13 comentários

  1. Excelente post. A questão é encontrar um papel hoje como Netflix, Amazon, Apple, dentre outras. Mas o case Netflix parece ser interessante mesmo. Aproveito para divulgar meu blog: http://www.finansferas.com.

    1. Investidor Internacional

      Olá Finansferas,

      O problema é que, no Brasil, você só fica sabendo desses fenômenos depois de descobertos por todo o mercado.

      Entretanto, acredito que muitas dessas empresas, como é o caso da Netflix, continuará a crescer por um bom tempo.

      Abçs!

  2. Grande II,

    Realmente, Netflix é um caso de sucesso! Conheci a empresa quando passei um tempo nos EUA em 2004. Naquela época cheguei a usar os serviços deles e achei fantástico!

    Tinham duas opções de receber o DVD:
    1- em casa;
    2- em máquinas espalhadas em supermercado, tipo vending machine de refrigerante.

    Para devolver também haviam duas opções:
    1- colocava na sua caixa de correios da sua residência e o carteiro levava;
    2- ou devolvia nas máquinas de vending machine.

    Meu pensamento, que se permanece até hoje, era que esse tipo de serviço não daria certo aqui, você deve saber as razões.

    Bom que ele mudaram o negócio e hoje temos acesso à esse tipo de conteúdo.

    Sobre ter investido 10k e hoje ter 1kk, penso ser muito fácil fazer esse tipo de afirmação quando já aconteceu! O difícil é achar uma nova oportunidade como essa, que com certeza existirá!

    Abrs!

    1. Investidor Internacional

      Olá Nordestino,

      Muito interessante sua experiência.

      Realmente é difícil acertar uma empresa de tamanho crescimento no início, mas a probabilidade de encontrar uma nos Estados Unidos é infinitamente maior do que aqui no Brasil.

      Quantas empresas brasileiras com ações em Bolsa conquistaram o mundo? A Ambev, a Embraer (cujos lucros são instáveis) e a BRF (que deu prejuízo recente). Nenhuma com o nível de crescimento que as empresas de tecnologia americanas são capazes atualmente.

      Abçs!

  3. II,

    Top o post ombre a Netflix. Acredito que ela vá crescer ainda e por isso estou incluindo ela na minha carteira. Penso que outros programas de TV poderão ser acessados diretamente no Netflix deixando a TV a cabo paga obsoleta.

    Ouvi dizer que a Fox ia parar de passar algumas séries. Imagina se não é uma boa oportunidade de aumentar a clientela da Netflix se isso acontecer?! Muitas pessoas são viciadas em séries e se parar de passar na TV, essas pessoas irão querer assistir na Netflix e além do mais, convenhamos, o preço do Netflix é muito barato.

    Abraço!

    1. Investidor Internacional

      Olá BPM,

      A Netflix ganha no preço e na flexibilidade de assistir na hora que quiser.

      Acho que a TV comum só vai servir para programas ou esportes ao vivo.

      Abçs!

  4. Excelente postagem, amigo. Por isso gosto de investir em empresas pequenas. Mais arriscadas, mas altas possibilidades de ganhos.
    Abraços

    1. Investidor Internacional

      Olá AdP,

      Obrigado por comentar.

      Se existe um setor alta capacidade de gerar um crescimento assim, é o de tecnologia.

      E quantas empresas de tecnologia com capacidade de conquistar o mundo são negociadas na Bovespa?

      Abçs!

  5. Sempre quis conhecer a história do Netflix mas ainda não tinha parado para pesquisar. Obrigado por compartilhar.
    Abraço!

  6. Ola II, otima materia sobre a NF. Estive consultando os dados da NetFlix no site morningstar.com e reparei que a empresa nao paga dividendos. Procede ou seria falta de informacão do site?

    abs,

    1. Investidor Internacional

      Olá Pelegati,

      Acredito que não pague. Eles gastam fortunas para fazer séries de sucesso uma atrás da outra. Não sobra muito pro acionista. 🙂

      Abçs!

Deixe uma resposta

Posts mais lidos

Fechar Menu