Investindo em Tecnologia

Investindo em Tecnologia

Uma revolução silenciosa que gera bilhões de dólares para quem investe no exterior

Se existe uma área do conhecimento que está em constante evolução e muda a maneira como as pessoas no mundo inteiro vivem, esta área é a de tecnologia.

O número de empresas, produtos e serviços criados neste segmento de mercado cresce dia após dia. Do californiano Vale do Silício até Shenzhen na China, os investimentos em empresas de tecnologia são cada vez maiores.

O fato é que as empresas mais avançadas nesta área estão localizadas fora do Brasil e muitas possuem ações listadas nas bolsas internacionais, seja em Nova Iorque, Londres ou Tóquio.

E este é só o primeiro de uma série de artigos sobre os diferentes tipos de tecnologia que estão sendo desenvolvidos por empresas em que você pode investir agora ou poderá no futuro.

Um pouco de história

Não existe exatamente um marco zero no desenvolvimento tecnológico, pois é algo que se desenvolve há milhares de anos, mas em se tratando da tecnologia para uso pessoal, acho que podemos começar essa história com a criação do computador pessoal.

Já contei um pouco sobre o surgimento dos PCs no artigo sobre a Microsoft. Além dela, outra empresa que teve pioneirismo importante foi a Apple. A primeira foi realmente a inventora do software e a segunda participou tanto da criação do software como do hardware. Além disso, foi a primeira empresa a colocar no mercado a interface gráfica e o mouse para computadores domésticos.

A IBM, cujas origens remontam ao século 19, foi uma competidora importante no mercado de PCs durante as décadas de 80 e 90, ao mesmo tempo em que desenvolvia instrumentos em praticamente todas as áreas da tecnologia e muitos dos seus pesquisadores faturavam prêmios Nobel.  Para rodar esses computadores todos era necessário utilizar processadores desenvolvidos pela também norte-americana Intel.  Empresa que lidera até hoje este segmento.

macintosh
O primeiro Macintosh da Apple

Outras empresas norte-americanas que participaram de todo esse novo mercado de computação foram a Xerox, a Hewlett-Packard e mais tardiamente a Dell Computer, a chinesa Lenovo, a suíça Logitech, além da taiwanesa Acer. Seja pela fabricação de PCs, como de periféricos, incluindo impressoras, monitores, mouses, teclados, etc.

Também não podemos nos esquecer de todos os demais componentes internos dos computadores. Placas-mãe, memórias, placas de vídeo, etc. Todas necessárias para o computador funcionar. Aqui temos uma infinidade de empresas, a maior parte de Taiwan, como Asus, ASRock, Gigabyte, MSI, além das americanas AMD, Corsair, Micron, Seagate, Western Digital e nVidia.

Já no quesito software, muitas outras empresas têm se destacado nestas últimas décadas, como, por exemplo, as americanas Oracle, Adobe e Symantec, a japonesa Trend Micro e a gigante alemã de software corporativo SAP.

Passando agora para o campo dos eletrônicos, tivemos uma série de aparelhos eletrônicos que tomaram conta dos lares e da vida de pessoas do mundo inteiro. Videocassete, walkman, aparelhos de som, televisores, etc. E aqui tivemos uma participação importante das empresas japonesas. Nomes como Panasonic, Toshiba, Sharp, Sony, Aiwa (mais tarde adquirida pela Sony) revolucionaram o planeta. O walkman da Sony teve um impacto muito maior que o iPod, quando foi criado em 1979. Na época, muitos duvidavam, afinal quem iria querer ouvir música sozinho?

Já no que se refere aos videogames, a primeira empresa que dominou foi a japonesa Nintendo. Mesmo que tenha se originado em 1889, a Nintendo deslanchou em 1985, com o NES e em 1989 com o GameBoy.

Entretanto, com a entrada da Sony e seu Playstation em 1994 e da Microsoft com seu Xbox em 2001, a Nintendo caiu para a terceira colocação e as duas empresas já consagradas passaram a ser os nomes dominantes dentro do entretenimento eletrônico.

Já no ramo de jogos temos atualmente empresas como a Activision Blizzard (ATVI), a Electronic Arts (EA) e a Take-Two Interactive (TTWO), responsáveis respectivamente pelas franquias Call of Duty, Fifa e Grand Theft Auto. Duvida que as produtoras de jogos têm gerado grandes retornos aos acionistas? Veja só o gráfico comparando estas três empresas contra o ETF QQQ, que segue o índice da Nasdaq, e o ETF EWZ, que segue o índice MSCI Brazil, nos últimos 5 anos:

Ações de tecnologia

Agora passando para o ramo dos smartphones e tablets, temos em primeiro lugar a Apple. A empresa reinventou o smartphone e fez com que toda a indústria perseguisse o padrão do iPhone. Além disso, foi a criadora do tablet e também estabeleceu o padrão desse mercado. Junto com ela, temos os demais players, como as coreanas Samsung e LG, as chinesas Lenovo, Huawei e ZTE, a Sony e as taiwanesas Asus e HTC. Dentro desse universo também é sempre bom citar os fornecedores de componentes, como as taiwanesas Hon Hai Precision, que você deve conhecer pelo nome de Foxconn, a Taiwan Semiconductor Manufacturing, além da americana Qualcomm e da britânica ARM.

Por último, o segmento mais dinâmico e crescente da tecnologia, a internet. Longe da atratividade dos sites e vídeos online, temos que nos lembrar de toda a infraestrutura responsável pela transmissão destes dados. E ninguém é tão importante nesse negócio quanto a Cisco. A empresa do Vale do Silício foi a criadora do router, que permitiu a comunicação entre diferentes redes.

Já na vitrine da internet temos a Alphabet, responsável pelos dois sites mais visitados da internet, o Google e o YouTube, e seu concorrente direto, o Yahoo!. Já o terceiro site mais visitado do mundo é o do Facebook, que também é dono do Instagram e do Whatsapp. Dentro desse meio também temos o Linkedin, que agora é parte da Microsoft, o Twitter e o trocador de mensagens Snapchat. Este último teve as ações lançadas agora em 2017 na Nasdaq.

Isso pra não falar do mundo à parte que é a internet na China, onde temos as empresas que dominam o maior mercado do mundo, como a Tencent e a Baidu. Já falei das empresas chinesas de internet aqui antes.

Já dentro da área de comércio eletrônico, temos a gigante Amazon, o Alibaba, o eBay e a empresa de pagamentos PayPal.

E antes de terminar, não custa lembrar da Netflix, maior operadora de TV pela internet do mundo.

Vamos aos números

Sei que cometi algumas injustiças deixando muitos nomes de fora, mas o fato é que o número de empresas estrangeiras que mudaram o mundo nestas últimas décadas é imenso. E todas estas marcadas em negrito tem ações negociadas em bolsa de valores atualmente.

Aposto que algum produto de pelo menos 10 destas empresas você já usou. Acertei? Se disse não, abra seu computador, smartphone ou tablet, que lá estarão elas.

Veja só quanto elas valem hoje, segundo a lista Forbes 2000 de maio de 2017, lembrando que as quatro primeiras são também as quatro maiores empresas do mundo entre todas as áreas.

 VendasLucroValor de mercado
Apple (EUA)$217,5 bi$45,2 bi$752,0 bi
Alphabet (EUA)$89,9 bi$19,5 bi$579,5 bi
Microsoft (EUA)$85,3 bi$16,8bi$507,5 bi
Amazon (EUA)$136 bi$2,4 bi$427 bi
Facebook (EUA)$27,6 bi$9,5 bi$407,3 bi
Tencent (China)$22,8 bi$6,2 bi$277,1 bi
Alibaba (China)$21,5 bi$5,7 bi$264,9 bi
Samsung (Coréia do Sul)$174 bi$19,3 bi$254,3 bi
Oracle (EUA)$37,4 bi$8,9 bi$182,2 bi
Intel (EUA)$59,4 bi$10,3 bi$170,3 bi

Se ainda resta alguma dúvida em relação às empresas de tecnologia serem bons investimentos, saiba que desde o dia 8 de julho de 1977 até 23 de junho de 2017, o índice Nasdaq subiu 6.170% contra 2.335% do S&P 500 e 2244% do índice Dow Jones.

Conclusão

Para você lucrar neste mercado já tão desenvolvido como o de tecnologia é importante ter acesso a ações de empresas do mundo todo, sejam norte-americanas, européias ou asiáticas. É nos EUA, Reino Unido, China, Coréia do Sul e Japão que as empresas de maior destaque estão situadas.

Se ainda não sabe como abrir uma conta fora do Brasil, sugiro a leitura da série Como abrir uma conta no exterior.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Este post tem 9 comentários

  1. Avatar

    Muito bom o artigo, II. Realmente, as empresas de tecnologia são as mais inovadoras e que mais faturam no mercado mundial. Porém, na minha humilde opinião, para o pequeno investidor, que visa o longo prazo, o risco envolvido está na possível obsolescência de seu produto. Tratando-se de empresa que necessitam de constante investimento e inovação, sempre haverá a dúvida de que seus produtos continuarão ou não serem aceitos no mercado. Além disso, é difícil para o pequeno investidor identificar empresas com vantagem competitiva em um ambiente tão concorrido assim. Assim, na minha opinião, prefiro ficar de fora de companhias desse setor.

    Abraços.

    1. Investidor Internacional

      Olá OdranoelGeyer,

      Acho que é um setor como os outros. Realmente gastam muito com pesquisa e inovação e também com aquisições.

      Todo ano ouvimos falar que o novo iPhone não é tão bom quanto esperavam, mas continua vendendo horrores.

      Essas grandes companhias como Alphabet, Microsoft, Apple e Samsung tem tanto dinheiro em caixa, que se aparecer alguma nova empresa de sucesso no mercado, eles vão lá e compram.

      Pra quem não entende muita coisa, os ETFs são uma boa opção. O mais popular que investe na Nasdaq é o Powershares QQQ.

      Abçs!

  2. Avatar

    Excelente ponto abordado, II.

    As empresas de tecnologia chinesas são deixadas de lado pelos investidores ocidentais. Um dos principais motivos é a ausência de familiaridade. ”Tencent? VipShop? JD? Baidu? Nunca ouvi falar, não deve ser bom.”

    Foge a regra o AliBaba, devido ao AliExpress. Mas é o ponto fora da curva.

    O que não pode ser deixado de lado é o crescimento exponencial do mercado digital chinês e, consequentemente, dessas empresas, que estão se tornando verdadeiros colossos no mercado acionário mundial.

    Abs

    1. Investidor Internacional

      Olá Termos Reais,

      O fato é que o mercado chinês de internet é o maior do mundo e ele é fechado às grandes empresas americanas como Google, Facebook e Netflix. Para acessar este mercado, que além de ser o maior é o que mais cresce, você precisa se tornar sócio de uma empresa de lá.

      O preconceito pode se enganar, mas os números não.

      Abçs!

  3. Avatar

    II,

    Quando falo sobre investimentos no exterior, o que comecei a fazer somente este ano, sempre peço a pessoa para me listar o nome de 10 empresas que ela conhece desde que nasceu e digo que todas estão listadas na bolsa e que algumas possuem mais de 100 anos de existência então investir fora é mais simples do que aparenta.

    Desta lista que você postou eu colocaria 10% em cada uma sem medo algum e depois iria estudar outras menos conhecidas. Elas podem cair e ter balanços ruins? Claro, qualquer empresa pode mas com certeza a resiliência delas é absurda.

    Muitas tem patrimônio virtual né, como é o caso de Netflix mas daí é visão de futuro sobre essas empresas. Qualquer hora dessas vou falar do que acho sobre a Netflix para o futuro mas alerto que não é análise, é apenas minhas opinião.

    Ah! Estou te acompanhando no Inversa.

    Abraço!

      1. Avatar

        II, inglês é fluente, não escutei, vou procurar, valeu a dica!

  4. Avatar

    Olá, na matéria fala da empresa Foxconn e gostaria de saber qual o ticker desta empresa nos EUA, pois o nome da empresa, que é Hon Hai, tem um ticker HNHPF que não consigo achar na minha corretora americana. Há algum outro ticker?

Deixe uma resposta

Posts com maior repercussão

Fechar Menu