Coreia do Norte

É tudo muito pior do que eu jamais imaginei

Há algumas semanas, estava escutando o podcast do Senso Incomum (É um dos 12 sites que indico para ler) e o Flávio Morgenstein fez uma colocação bastante interessante. Dizia que quando se fala em campo de concentração nazista, você imediatamente lembra das imagens. Seja pelas fotos e vídeos feitos pelos soldados aliados, seja pela vasta coleção de filmes e documentários que têm sido produzidos nos últimos 70 anos. Agora quando você fala em Gulag, ou campo de concentração comunista, você não tem imagem nenhuma.

Você não vê nada comparado à ‘Lista de Schindler’ (1993), a ‘O Pianista’ (2002) ou mesmo algo com uma pegada diferente, como ‘A Vida é Bela’ (1997). Quando você procura filmes sobre Gulags aparece um ou outro filme de baixo custo e de pouca repercussão. Já em relação a livros, existem alguns, mas também sem a mesma fama de um ‘Diário de Anne Frank’ ou ‘O Menino do Pijama Listrado’.

O fato é que o nazismo já acabou faz tempo, os campos de concentração que possuíam foram fechados ou servem atualmente como museu. Entretanto, os investimentos na criação de obras respeito do Holocausto continuam sendo feitos.

A divulgação sobre os campos de concentração na União Soviética e atualmente na Coreia do Norte já não tem o mesmo alcance. O mais impressionante é que os campos norte-coreanos já existem há mais de 50 anos e abrigam hoje entre 120 mil e 154 mil prisioneiros. É possível inclusive ver todos eles no Google Earth. Chega a ser assustador ler no mapa do Google “Bukchang Concentration Camp”.

É de se espantar que essas atrocidades estão acontecendo bem na nossa frente e o máximo que escuto quando as pessoas comentam sobre a Coreia do Norte é fazendo piada do ditador Kim. Pior, coloque Kim Jong Un no Google Imagens e em 90% dos resultados você verá o ditador sorrindo. A impressão que dá é que ele é uma das pessoas mais legais do mundo.

Ledo engano, por trás da obesidade do ditador, das paradas militares e dos testes balísticos, existe uma face bastante cruel do país. Resolvi ler a respeito e lhe contar o que aprendi nesse artigo. É bem assustador pra dizer o mínimo.

O campo 14

Uma das indicações de livro para entender o funcionamento desses campos de concentração na Coreia do Norte chama-se “Fuga do Campo 14”. Ele narra a história de Shin, desde a sua lembrança mais remota na infância até o período em que chegou aos Estados Unidos para viver livre.

Shin é um fugitivo de campo de concentração comunista da Coreia do Norte. E não é apenas isso. Ele nasceu dentro do Campo 14, o mais vigiado e com a rotina mais dura dentre todos do país. Veja o que os refugiados têm a dizer sobre esses campos.

Uma síntese dos testemunhos dessas pessoas, feita pela Associação Coreana
dos Advogados em Seul, traça um quadro detalhado da vida cotidiana nos campos:
todos os anos, alguns prisioneiros são executados em público. Outros são surrados
até a morte ou secretamente assassinados por guardas, que praticamente têm
carta branca para maltratá-los e estuprá-los. Em sua maioria, os detentos
trabalham na agricultura, na extração de carvão, na confecção de uniformes
militares ou na fabricação de cimento, subsistindo com uma dieta de fome de
milho, repolho e sal. Perdem os dentes, as gengivas ficam pretas, os ossos se
enfraquecem, e, quando chegam à casa dos quarenta anos, ficam arqueados na
altura da cintura. Como recebem um conjunto de roupas uma ou duas vezes por
ano, em geral eles trabalham e dormem vestindo trapos imundos, levando a vida
sem sabão, nem meias, luvas, roupas de baixo ou papel higiênico. Jornadas de
trabalho de 12 a 15 horas são obrigatórias até que os prisioneiros morram, em
geral de doenças relacionadas à desnutrição.

A justiça na Coreia do Norte é bastante peculiar. Muitos são presos sem saber o porquê. Simplesmente são retirados de suas casas pelas forças policiais. Outros são presos acusados de estarem tramando contra o país ou por terem criticado o governo. Aliás, quando alguém é preso, a família inteira é condenada junto e levada para a prisão.

Falta de senso de família e amizades

A situação das pessoas dentro de um campo de concentração é tão ultrajante que elas não desenvolvem afeições ou relacionamentos como costumamos ter. Você já se imaginou aos 6 anos de idade disputando um punhado de arroz com a sua própria mãe? Pois é exatamente isso que acontece lá, tamanha a restrição de alimentos.

Coreia do Norte MapaPara você ter uma ideia, Shin se alimentou basicamente apenas de mingau de milho e sopa de repolho até os 23 anos. Isso quando não era punido e ficava proibido de se alimentar. É um desespero tão grande que obriga as crianças a caçarem ratos, lagartos e insetos, caso não queiram morrer por alguma doença decorrente de déficit proteico.

Agora imagine que além disso, você aprendesse com os guardas que a sua situação miserável era culpa dos seus pais, que cometeram algum delito e foram presos. No caso de Shin, seus pais foram presos separadamente e tiveram autorização para casar e ter filhos no próprio campo. Como desenvolver amor pelos pais diante disso?

Também imagine ser aterrorizado durante toda a sua infância e adolescência a seguir as 10 regras rígidas do campo. Esta é a primeira:

1. Não tente fugir.
Qualquer pessoa pega fugindo será fuzilada imediatamente.
Qualquer testemunha de uma tentativa de fuga que não a denuncie será
fuzilada imediatamente.
Qualquer testemunha de uma tentativa de fuga deve notificar prontamente
um guarda.
É proibida a reunião de duas ou mais pessoas para conspirar ou tentar fugir.

Resumindo, fazer qualquer coisa não autorizada é punido com fuzilamento. Isso inclui roubar um punhado de milho cru e não poupa nem mesmo crianças.

Em um ambiente com essas regras, cultivar amizades e apreço pelas pessoas é algo extremamente difícil. É cada um por si na pior acepção do termo. Todo mundo desconfia de todo mundo. Qualquer pessoa pode dedurar o outro para os guardas em troca de alguma regalia e levar o companheiro à morte.

A educação, o trabalho e a fuga

O ensino dentro de um campo de concentração é bastante peculiar. As crianças chegam a adolescência sem estarem alfabetizadas. Tudo é focado para que trabalhem duro. Recolher mato, cortar toras de madeira, limpar neve, limpar banheiros sem qualquer higiene são tarefas comuns para as crianças. E fique sabendo que algumas jornadas costumam ir das 4 da manhã até às 10 da noite.

Ao final do período escolar, os alunos são colocados para trabalhar nas fábricas. Alguns vão para as minas de carvão, outros para a indústria têxtil, enquanto alguns são colocados na agricultura.  A fazenda de porcos é a mais desejada, pois nela os presos têm a oportunidade se alimentar da comida dos porcos. Escondido, é claro!

Nas demais partes do livro, são contadas as torturas que Shin sofreu, bem como a fuga dramática para a China e as dificuldades de adaptação na vida livre. É o tipo de livro que quando você acha que não dá pra piorar, é surpreendido com algo ainda mais cruel.

Não me cabe aqui contar a história inteira. Acho que já deu para ter uma ideia. De qualquer forma, o livro está à venda nas livrarias.

Mudança de versões

Dentro do próprio livro e ao pesquisar pelo assunto, percebi que é bastante comum os refugiados da Coreia do Norte apresentarem algumas versões diferentes da mesma história. O autor Blaine Harden diz que é pela desconfiança inicial que os desertores tem dos estrangeiros. Outros afirmam que os refugiados provavelmente escondem algum ato mais dramático que possam ter realizado durante a fuga, como um assassinato, por exemplo. Também dizem que eles podem estar sendo ameaçados de alguma forma.

Os mais céticos chegam a afirmar que essas pessoas são espiões enviados pela Coreia do Norte para se infiltrar em organizações estrangeiras ou que os jornalistas envolvidos tentem aumentar a dramaticidade da história para ganhar projeção.

O fato é que existem muitas semelhanças entre as histórias dos diversos fugitivos. Mesmo que um ou outro detalhe possa não ser 100% verdade, não vejo como não acreditar no quadro geral de aprisionamento e torturas. As cicatrizes de Shin, pelo menos, são verdadeiras, assim como os graves problemas de saúde detectados naqueles que escapam.

Campo de concentraçãoApenas o fato do país ser extremamente fechado e os visitantes vigiados a todo o instante, com uma série de restrições, evidencia que existe sim algo a esconder. Sem contar as deserções captadas em câmera, como a de um soldado que mesmo tendo levado diversos tiros, conseguiu atravessar para a Coreia do Sul.

Conclusão

É impressionante como muita gente cai nesse conto e ainda apoia regimes como o da Coreia do Norte, o de Cuba e o da Venezuela. Engraçado que não vejo ninguém fugindo da Suíça, de Hong Kong, de Cingapura ou dos Estados Unidos.

Hoje, existem três fatores fundamentais que têm expulsado muita gente de seu país: socialismo, guerra e perseguição religiosa. Impressionante como a primeira ainda faz muita gente de idiota útil no Brasil.

Que a história de Shin sirva de exemplo para que não cometamos os mesmos erros que alguns países tem cometido.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Este post tem 29 comentários

  1. Avatar

    Ótima postagem. Obrigado. Seria um sonho ver esse tipo de abordagem na tv aberta… Isso talvez fizesse a diferença na cabeça de alguns.

  2. Avatar

    Que historia II.

    Eu sabia que existia algo do tipo na Coreia do Norte, mas nao sabia que era desta forma tao repugnante.

    Nao temos nenhum material que fale sobre isto, muita interessante a postagem.

    Abraçao

  3. Avatar

    Texto muito bom!

  4. Avatar

    II,

    Primeiro, gostaria de desejar um Feliz 2018 à você, aos seus familiares e aos leitores do blog Investidor Internacional.

    Eu não sabia que existia algo tão absurdo e desumano na Coréia do Norte em pleno século XXI.

    Se você disse que postou as partes mais brandas, que já achei chocantes, não consigo nem imaginar o que deve ser o pior …. Agora eu entendo o motivo da notícia recente do soldado norte-coreano que desesperado conseguiu escapar para a Coreia do Sul.

    Mais absurdo ainda, é ver que existem pessoas ao redor do mundo que apoiam esse tipo de regime. O contraditório é que tais pessoas vivem em locais nos quais há liberdade de pensamento, de consumo e de oportunidades de emprego. Será que se morassem lá, se vivessem como o Shin, pensariam dessa forma?
    Eu conheço uma pessoa assim, que defende o socialismo com unhas e dentes, mas…. ganha mais de 10k por mês, tem carro, celular de última geração, viaja todos os anos para fora do país – mas sempre para países capitalistas, como EUA, Itália, Grécia, México, Holanda, etc. Nunca falou que seu sonho é visitar Cuba, Venezuela ou a Coreia do Norte.

    “Engraçado que não vejo ninguém fugindo da Suíça, de Hong Kong, de Cingapura ou dos Estados Unidos.”
    Eu também nunca vi…
    Países que oferecem realmente algo que pode ser chamado de qualidade de vida, oportunidades de crescimento pessoal e profissional, nos quais você realmente tem perspectivas e expectativas boas. Pena estarmos em um país que não faz parte dessa categoria…. 🙁

    Abraços,

    1. Investidor Internacional

      Olá Rosana,

      Obrigado pelo depoimento.

      Infelizmente, estamos cheios de socialistas de iPhone aqui no Brasil.

      Ótimo 2018!

  5. Avatar

    Já assisti vários documentários sobre a Coreia do Norte, mas nenhum que falasse sobre os campos de concentração. Pelo que vi, esse regime só existe ainda hoje pois interessa a China, do ponto de vista geopolítico. Ou seja, muito provavelmente os chineses sabem de tudo o que você descreveu e mesmo assim apoiam. E mesmo assim o mundo não se nega a fazer negócios com os chineses, fazendo vista grossa para seu maldito capitalismo de estado ancorado no modelo socialista e repressivo.

  6. Avatar

    Infelizmente a maioria dos professores da área de humanas são de Esquerda, isto faz com que os alunos aprendam Marx, não Keynes, por isto escola sem partido tem que ser lei, para acabar com a lavagem cerebral feita nos estudantes brasileiros do fundamental ao ensino superior.
    O maior exemplo é os Direitos Humanos no Brasil, que se esqueceu da máxima : Qdo se poupa os Lobos, sacrifica as Ovelhas.

    1. Investidor Internacional

      Olá Luis Fernando,

      Por isso é preciso privatizar toda a educação nacional. Para impedir que o estado pratique lavagem cerebral nos estudantes.

      Ótimo 2018!

  7. Avatar

    Prezado. O que existe na Coréia do Norte não é SOCIALISMO e nem COMUNISMO. É simplesmente uma DITADURA. O SOCIALISMO real é o Socialismo democrático que é praticado em países como a NORUEGA, SUÍÇA, PORTUGAL e que é uma corrente forte em toda a Europa. Os regimes ditatoriais nunca dão certo por causa do fator humano. Uma DITADURA poderia ser o melhor regime do mundo desde que o ditador governasse para o povo com Justiça e equidade, mas isso nunca prevalece, porque cedo ou tarde chega ao poder alguém que tendo poder absoluto abusa do mesmo. Está comprovado que os regimes que dão certo são os regimes democráticos e o SOCIALISMO precisa ser democrático para dar certo.

    1. Investidor Internacional

      Olá Carlos,

      Na minha ótica, Coreia do Norte é socialismo, é ditadura.

      Noruega, Suíça e Portugal são bem diferentes entre si.

      Noruega é uma monarquia, Suíça é uma República com alta autonomia em seus cantões. Portugal é uma república.

      Os dois primeiros têm altos índices de liberdade econômica. E a Noruega tem o Welfare State que a Suíça não tem.

      Isso não é socialismo.

      Abçs!

    2. Avatar

      Quantos séculos mais são necessários para Karl Marx ou lixos similares serem “entendidos e bem aplicados”?
      Socialismo é um lixo criado para manter um grupo rico e o resto da população na miséria e escravidão. Portugal não é socialista, é tão capitalista que está fazendo o Diabo para que pessoas ricas se mudem para lá, incluindo isenção de tributos sobre renda vinda do exterior para estrangeiros que se mudem para lá. O Investidor Internacional sabe explicar isso muito melhor do que eu.
      Este papo de socialismo ser democrático é o mesmo papo de “puta virgem”: não existe. Socialismo é o comunismo “light”, depois descambam para o lado ditatorial público e notório.
      Quando americano fugir para Cuba, ou brasileiro se mudar para a Venezuela, socialismo será tudo o que vc fala. Fora isso, sua “estória” não cola.
      Socialismo democrático, KKKKKKKKK, adorei a piada! Igual Cicciolina Virgem! Kkkkkkk

  8. Avatar

    O Socialismo é um retrocesso onde a liberdade individual e poder de escolha das pessoas é entregue na mão de um “Estado Paternalista” que promete que vai cuidar de todos filhinhos da nação.

    Acredite se quiser!!!

  9. Avatar

    Em um cenário onde se é escravizado e se passa fome, fugir é sempre a primeira opção! É fugir ou morrer tentando!

  10. Avatar

    Fuga do Campo 14 já está na minha lista de leituras há bastante tempo. Outro livro bastante indicado é Arquipélago Gulag.

    O Flavio Gordon fala bastante no ‘A Corrupção da Inteligência’ sobre esse silêncio cultural em relação às ditaduras comunistas.

    Abraços,

    IOTR

  11. Avatar

    Pois é, nunca vi nenhuma das pessoas que defendem os regimes de Cuba, Venezuela ou Coréia do Norte se dizer indignado com o que acontece com o Brasil e ir morar lá em sinal de protesto.

  12. Avatar

    Geralmente alguns que dizem gostar do comunismo gostam até não viver pessoalmente o mesmo, aqueles que vivem e não conheceram outro modelo de regime talvez até aceitem já que a informação e conhecimento para estes é de difícil acesso, os poucos que escapam jamais deseja retornar.

    Acompanho os vossos artigos e são exelentes, vou ler este livro que vós indica.
    Obrigado pela indicação e pelos conselhos de investimentos internacionais.

  13. Avatar

    Em 2010 durante a Copa do Mundo (realizada na África do Sul) a seleção brasileira jogou contra a seleção da Coréia do Norte na primeira fase. Foi noticiado na época que em algumas universidades brasileiras os diretórios estudantis fizerem assembleias para decidir se os alunos deveriam torcer pelo Brasil ou pela Coréia do Norte. Vejam o grau de alienação do nosso país!

  14. Avatar

    Belíssimo post, II!

    Vão dizer que na Coreia do Norte não foi implementado o verdadeiro comunismo/socialismo, ele foi deturpado. Na próxima tentativa vai dar certo!

Deixe uma resposta

Posts com maior repercussão

Fechar Menu