A máfia do PayPal

Mafia Paypal

Uma das histórias mais incríveis do capitalismo americano e seus filhos que não param de nascer

Em 2007, a revista Fortune conversou com os antigos fundadores do PayPal, empresa pioneira e que há 20 anos revolucionou os pagamentos online. Nessa conversa, descobriu que mesmo após a venda da empresa para o eBay, eles ainda se comunicavam, alguns inclusive trabalhavam juntos e que eles passaram a se auto-entitular como a “Máfia do PayPal”.

O mais interessante que o jornalista Jeffrey O’Brien descobriu, além de obviamente perceber que todos moravam em mansões caríssimas, dirigiam carros esportivos ultra-velozes e tinham mordomos, foi saber o que cada um estava fazendo.

E o que ele revelou foi bem interessante e vou lhe contar no final do artigo. Primeiro, vamos começar do começo.

A origem do PayPal

Em 1998, Peter Thiel, Luke Nosek, Max Levchin e Ken Howery fundaram uma empresa chamada FieldLink. Era uma companhia de segurança que permitia aos usuários encriptar informações em seus Palm Pilots ou PDAs (lembra deles?), de modo a se tornarem carteiras digitais (Olá, Bitcoin!).

Mais tarde, a empresa se tornou a Confinity, cujo objetivo era desenvolver uma plataforma para transferência de dinheiro. Em 2000, a empresa se funde com X.com, um dos primeiros bancos online fundado por ninguém menos que Elon Musk. Um ano depois, a fusão é rebatizada como PayPal.

Mesmo com o choque de culturas entre os oriundos das duas empresas, em 2001 e 2002, o PayPal já é um enorme sucesso. Seu logotipo já é visto por todo site do eBay e a parceria entre as duas empresas impulsiona ambos os negócios.

No dia 15 de fevereiro de 2002, a companhia lança ações na NASDAQ sob o ticker PYPL. Colocada a 13 dólares, a ação fecha o primeiro dia cotada a 20! Meses mais tarde é adquirida pelo próprio Ebay por 1,5 bilhão de dólares. Mas ao final de 2002, os principais nomes do PayPal já haviam deixado a empresa.

Peter Thiel - Máfia do Paypal
Peter Thiel

Nesses 4 anos em que a empresa teve uma ascenção meteórica, ela enfrentou a crise russa, o estouro da bolha “ponto com” e o 11 de setembro, antes de ser adquirida. Pra suportar tudo isso, é preciso entender a essência de uma startup de tecnologia de sucesso.

Produto inovador: Na virada para o século XXI, não era tarefa simples fazer compras, pagar e transferir dinheiro pela internet. A preocupação com a segurança deixava muita gente receosa em colocar o número do cartão de crédito, além de que muitos sites não tinham estrutura suficente para aceitá-los. O PayPal veio e resolveu o problema de ambos ao tornar possível usar o seu endereço de e-mail para comprar e vender. O número do cartão ficaria protegido dentro do sistema do PayPal.

Time: Os fundadores e funcionários tinham características semelhantes. Workaholics altamente inteligentes, competitivos, com alto grau de conhecimento em matemática, programação e idiomas. Ninguém tinha MBA ou PhD. Essa é a diversidade que eu defendo. Diversas pessoas altamente competentes.

Recursos: No início, o PayPal dependeu do aporte de fundos de Venture Capital para montar e tocar seus negócios. Ele “queimou” mais de 180 milhões de dólares até ser adquirido pelo eBay. Só pra você ter uma ideia, o PayPal chegou a pagar 10 dólares para cada novo usuário que se registrasse, o provocou um prejuízo trimestral acima de 20 milhões de dólares por algum tempo. Criar um grande negócio e expandir a base de usuários era muito mais importante do que lucrar. É por isso que esses pequenos capitalistas precisam ser alimentados pelos grandes.

Os melhores imigrantes

Se existe um país que atrai as pessoas mais inteligentes do mundo, este país é os Estados Unidos. Esteja você fugindo de um governo repressor, de guerra ou mesmo querendo recomeçar a vida, os Estados Unidos provavelmente será um destino cogitado, independente de onde você tenha nascido.

Possuir grandes universidades e empresas de sucesso, bem como a cultura de valorizar a competência e capacidade individuais torna os Estados Unidos o país das oportunidades. O PayPal é só mais um exemplo de como imigrantes fora de série podem alcançar a glória no “país dos livres”:

Veja só quem são os fundadores e os principais funcionários da fase inicial do PayPal: Peter Thiel e Jwed Karim nasceram na Alemanha. Max Levchin é ucraniano. Luke Nosek nasceu na Polônia. Elon Musk, Roelof Botha e David Sacks são sul-africanos. Steve Chen é de Taiwan. Premal Shah é indiano. Yishan Wong é chinês. A maioria deles vindo das Universidades de Stanford e Illinois.

Será que os empreendedores só querem mesmo dinheiro?

Chegou a hora da grande revelação que eu prometi no início do artigo, que é a resposta para essa pergunta aí.

Você tem esse monte de gente fora de série, que montou uma empresa espetacular e revolucionou os meios de pagamento digitais. Após colocar muitos milhões no bolso, você poderia imaginar que eles tivessem se mudado para alguma ilha paradisíaca e estariam “vivendo de renda”.

Max Levchin - Máfia do Paypal
Max Levchin

Nada mais longe da verdade.

A resposta são justamente os “filhos” que os fundadores e primeiros funcionários do PayPal criaram e estão criando nestes últimos 16 anos.

Peter Thiel após deixar o PayPal fundou a Clarium Capital Management, um fundo macro com rendimentos acima de 50% ao ano nos dois primeiros anos. Depois fundou a Palantir Technologies. Depois, foi o primeiro investidor anjo que colocou dinheiro no Facebook. Seus 500 mil dólares se transformaram em mais de 1 bilhão quando vendeu as ações. Depois fundou a Founders Fund, uma empresa de venture capital que fez investimentos em startups como Linkedin, Yelp, Asana, Quora, Transferwise, Stripe, entre outras. Também fundou a Valar Ventures, a Mithril Capital e a Y Combinator. Ufa!

Max Levchin investiu na Yelp em 2002 e até 2012 era o maior acionista e chairman até 2015. Fundou a Slide, uma rede social para compartilhamento de mídia que foi adquirida pelo Google. Atualmente toca duas empresas que fundou, a Glow e a Affirm.

Elon Musk dispensa muitas apresentações. Co-fundador da Tesla, SpaceX e SolarCity.

Ken Howery e Luke Nosek se tornaram sócios no Founders Fund.

David Sacks fundou a Geni.com e a Yammer.

Jawed Karim, Steve Chen e Chad Hurley foram os criadores do YouTube, posteriormente vendido ao Google.

Roelof Botha se tornou sócio na Sequoia Capital e foi investidor inicial no YouTube.

Luke Nosek e Ken Howery - Máfia do Paypal
Luke Nosek e Ken Howery

Reid Hoffman fundou o Linkedin, depois vendido para a Microsoft por 26 bilhões de dólares. Também foi investidor anjo no Facebook.

Russel Simmons e Jeromy Stoppelman co-fundaram a Yelp.

Não vou falar de todos, mas o raciocínio acho que deu pra entender. Esse pessoal não coloca o dinheiro em primeiro lugar. A motivação para eles é criar empresas, soluções e produtos que tenham utilidade para os outros. Quantas vezes você usou o PayPal para comprar online? Quantos vídeos no YouTube já assistiu? Tem conta no Linkedin? A Yelp não é tão conhecida no Brasil, mas é o site de avaliação de restaurantes e afins mais utilizado dos Estados Unidos.

Essa é a essência do capitalismo: servir ao próximo! Com exceção dos criminosos, obviamente, ninguém fica rico nesse sistema sem atender a necessidade dos outros. Um médico só fica rico se atende muitos pacientes e faz um bom trabalho com eles. Um executivo só ganha um alto salário se fizer a empresa crescer, atendendo uma clientela maior. Um vendedor só ganha dinheiro se o seu produto for útil para quem compra.

O dinheiro é uma consequência e não a causa para um serviço bem feito

Os fundadores do PayPal criaram essa ferramenta fantástica, venderam para outro e ao invés de se aposentarem precocemente, foram abrindo novos empreendimentos e contribuindo para que outros tirassem suas ideias e empresas do papel. E o resultado é essa multiplicação de riqueza que parece não ter fim.

Conclusão

Vejo que existe um movimento entre os sites e blogs de finanças brasileiros e internacionais em relação a aposentadoria precoce. Há muita gente fazendo conta de quanto precisa juntar para poder parar de trabalhar o mais rápido possível.

Cada um decide o que fazer da vida, mas vejo como uma mentalidade de certa forma perigosa. O foco deveria estar em gerar o máximo de valor para os outros, seja no trabalho que for. O acúmulo de capital e a posterior falta de necessidade do dinheiro vindo do trabalho para manter as contas do dia-dia será consequência. E é possível que você goste tanto do que faz que não queira parar.

Lembro até que num episódio de “O Aprendiz” um dos melhores participantes vira para o Justus  e diz que tinha um sonho de se aposentar aos 50 anos e abrir uma vinícola. O Roberto Justus quase infartou. Está a partir de 6:20.

Claro que nem todos são capazes de criar uma empresa bilionária atrás da outra, mas nenhuma das pessoas que eu citei queria de antemão ficar milionário ou se aposentar. Eles varavam noites trabalhando, comiam junk food e dormiam em sacos de dormir embaixo da mesa do escritório para entregar um produto revolucionário. Terem ficado ricos foi apenas consequência.

Portanto, gere valor para os outros. Existem 7 bilhões de pessoas aguardando uma oferta que elas não poderão recusar.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Este post tem 29 comentários

  1. Avatar

    100% correto!
    Parabéns.

  2. Avatar

    Excelente post. Veja que durante todos os anos em que esses caras trabalharam, podiam se focar exclusivamente no que criavam. Provavelmente não ficaram semanas ou meses aguardando um alvará ou uma licença da agência reguladora de startups. Pelo contrário, estavam protegidos, foram nutridos e cuidados até que pudessem andar sozinhos.
    Por isso meu conselho para quem é jovem e quer seguir um caminho empreendedor, mesmo que seja para solucionar problemas característicamente brasileiros é: sai do Brasil.
    Vai para o vale do silício, ou pra Hong Kong, ou Londres, e só volta quando tiver o produto pronto.

    1. Investidor Internacional

      Olá Tarik,

      No exterior, a chance de reunir pessoas com essa mentalidade e conseguir recursos é realmente bem maior.

      Abçs!

  3. Avatar

    Muito bem colocado caro Investidor Internacional.
    Seguindo a mesma linha eu recomendo o livro The Millionaire Fastlane do MJ DeMarco.
    Fala exatamente sobre isso e sobre um processo para gerar valor para as pessoas deixando de lado esse “conto” do investidor de longo prazo. Buy & Hold por 30 anos, vida em stand by para viver de renda de 1MI, 2MI, 3MI.

    1. Investidor Internacional

      Olá h0p,

      Conheço esse livro. Inclusive tem um fórum sobre ele.

      Já está na minha lista, mas ainda não li.

      Abçs!

  4. Avatar

    Segunda é o dia internacional de lermos a resenha do caro I.I. Muito boa!!
    Só faço uma ressalva, na verdade é mais um ajuste de viés: não são todos que possuem características de empreendedor e não são todos que querem ter.
    Vi que você deixa a questão em aberto, mas de fato há pessoas que querem logo parar de fazer o que fazem e aproveitar o que já conseguiram.
    Como a preocupação do texto também é a massificação da oferta desse tipo de “produto” (aposentadoria precoce), concordo contigo de que esse “boom” de starups pode ser aproveitado por todos, mesmo para aqueles que não entendem de tecnologia.
    O problema é que a lógica da valorização desses “investimentos” é muito diferente do tradicional, o que afasta os neófitos do ramo.
    Abs.

    1. Investidor Internacional

      Olá Leandro,

      Sim, cada um decide seu caminho, mas acho que a mentalidade de “gerar o maior valor possível” é mais importante do que “quero me aposentar cedo”.

      Abçs!

    2. Avatar

      O empreendedor e o investidor tem a mesma mentalidade, são variações sobre o mesmo “mindset”. Se todo mundo conhecesse a dinâmica com certeza preferiria ser empreendedor ou investidor, mesmo não tendo as qualidades necessárias. Você não acha?

    3. Avatar

      Montar o próprio negócio é mais arriscado do que investir em ações de dividendos para Buy&Hold, mas tem mais retorno quando dar certo.

      Pessoalmente, eu tenho uma ideia boa de negócio e espero morrer trabalhando nele. Porém, se tivesse um emprego onde não fosse respeitado, iria querer sim me aposentar o mais rápido possível.

      Também acho que essa moda de se aposentar o mais cedo possível perigosa (assim como tudo que é “mentalidade de gado”).

      Sites como Financial Samurai podem ser tóxicos. Tem gente dizendo para se aposentar mesmo quando gosta do que faz, isso já é fanátismo.

      O pior mesmo, pior de tudo na minha opinião, é usar dinheiro (não o valor) como meio de aprovação social.

    1. Investidor Internacional

      Olá Leandro,

      Acho que é bem isso que está escrito. Spotify já é uma marca conhecida mundialmente e optou por esse tipo de listagem. Já empresas menos conhecidas acabam contratando os bancos para fazer o IPO. Não vejo nada demais.

      Pior é veículo de comunicação usar uma citação de “usuário de Twitter” como argumento.

      Abçs!

  5. Avatar

    Que texto sensacional! É um prazer de ler, realmente é fascinante.

  6. Avatar

    Muito bom! O interessante é que a maioria quer ter uma ideia milionaria mas poucos querem ralar para implementá-la. Se o foco é o dinheiro a coisa não flui, mas se o foco for resolver o problema das pessoas….a história está cheia de exemplos. Muitas das empresas que morreram em dado momento pararam de querer resolver os problemas do mercado e se acharam acima de tudo e de todos – puff….dançaram!

  7. Avatar

    Sensacional! O vídeo do “O APRENDIZ” fechou com chave de ouro o tópico. Acompanho bastante a blogosfera de finanças e tenho minhas metas financeiras, mas este post foi um choque de realidade do que ainda posso realizar, com a energia, recursos e conhecimento.

    Vejo muita energia e inteligencia sendo desperdiçadas nas linhas de pensamentos ~earlier retirement~. Muita gente imaginando chegar nesse “nirvana financeiro” como se tudo na vida se resumisse a isto. E as vezes eu mesmo caio nesse tipo de mindset que, como você disso, nào é errado, só não é adequado para todo mundo.

    Enfim, eu tirei tantos insghts deste post que você não faz ideia. Obrigado por compartilhar!

  8. Avatar

    Muito bom. E mesmo sem levar em conta a obra do acaso em ter sucesso financeiro ou empresarial a mensagem principal é válida: gerar valor para os outros, que automaticamente gera valor pra você mesmo e te faz não querer parar nunca, seja lá no que for.

  9. Avatar

    Muito boa a postagem II!

    Nos fez repensar vários conceitos!

    Abração

    VDC

  10. Avatar

    Muito bons os exemplos, mas pense em alguém q não foi muito orientado cedo e anos mais tarde quando estuda e “acorda”, se vê em uma família com filhos q ama e em um emprego q paga bem as suas contas, mas q não o satisfaz. Acho q esse último exemplo é muito comum no Brasil. E nesse caso acho válido fazer uma boa poupança para ter mais segurança para uma troca de função q traga mais valor para sociedade e mais satisfação para o chefe de família. Realmente a solução varia de pessoa para pessoa da realidade de cada país. No nosso infelizmente não temos esse estímulo de empreender. Abraços.

    1. Investidor Internacional

      Olá André,

      Exato. Cada pessoa tem uma situação e está em certo momento na vida.

      Quanto mais cedo as pessoas perceberem que existem diferentes caminhos a percorrer, mais prosperidade teremos.

      Abçs!

  11. Avatar

    Quanto será a soma de todo o dinheiro de todas as empresas que você citou no post?!

  12. Avatar

    Algo aconteceu ao terminar de ler este post. Sim, são mais de 7 bilhões aguardando sua proposta. Se não faço, alguém vai fazer. O conhecimento está aí, à disposição de todos. Então, vamos queimar os neurônios.

  13. Avatar

    Muito bacana seu post, irei acompanhar as novidades deste Blog. Este tipo de assunto tem me ajudado bastante, confesso. Gratidão!

Deixe uma resposta

Posts com maior repercussão

Fechar Menu