Amazon e Netflix: duas ações americanas que não param de surpreender

Amazon e Netflix - ações americanas

Nada está tão bom que não possa melhorar para essas duas empresas

Tenho que confessar que fico preocupado com o nível da bolsa americana e não me surpreenderia com uma queda forte nestes próximos 1 ou 2 anos. Entretanto, esta preocupação some quando são divulgados os resultados das empresas.

Nesta última semana, Amazon e Netflix divulgaram os resultados do primeiro trimestre e fizeram a alegria dos investidores. São duas empresas que já vêm “voando” há um bom tempo e parece que o fôlego não dá sinais de acabar. Não é à toa que estão no topo das ações americanas que mais se valorizaram nos últimos anos (+922,4% para a Netflix e +509,4% para a Amazon em 5 anos).

Este artigo vai lhe mostrar os últimos detalhes sobre o que essas empresas têm feito para surpreender positivamente tanto analistas, quanto investidores.



Netflix (NASDAQ:NFLX)

No última dia 16 de abril, a Netflix divulgou os resultados do primeiro trimestre. Eles não poderiam ser melhores.

A começar pelo número de assinantes que superou, e muito, tanto as expectativas dos analistas, quanto o guidance da empresa. Houve novos 1,96 milhão de assinantes americanos, sendo que a previsão era de 1,48 milhão pelos analistas e 1,45 milhão pela empresa.

Em termos de assinantes internacionais, a empresa ganhou 5,46 milhões de novos clientes frente aos 4,98 milhões esperados e 4,9 milhões do guidance.

O número de assinantes ao final do trimestre atingiu 125 milhões e a expectativa para o segundo trimestre é adicionar mais 6,2 milhões.

A receita saltou 43% e atingiu 3,7 bilhões de dólares. A margem operacional subiu de 7,5% para 12,1% no trimestre. O lucro por ação saiu de 40 centavos para 64 centavos.

Mesmo com um fluxo de caixa livre negativo de 287 milhões, a empresa não se sente pressionada. A expectativa é a de que este fluxo seja negativo em 3 a 4 bilhões de dólares ao final de 2018. A companhia possui 2,6 bilhões de dólares em caixa e emitirá dívida para financiar a criação de conteúdo original.

Os planos da Netflix são ambiciosos. Preveem um investimento entre 7,5 e 8 bilhões de dólares em novos conteúdos apenas no ano de 2018. Isso inclui séries, filmes, documentários, especiais, entre outros, incluindo programas em idioma estrangeiro (não-inglês).

Olha só o que eu tirei direto da carta aos acionistas:

“Nosso investimento em produção internacional continua a crescer com grandes séries originais em idioma estrangeiro, como O Mecanismo. Inspirada livremente em eventos reais e do criador de Narcos, José Padilha, este drama está no caminho de se tornar uma das nossas séries originais mais assistidas no Brasil.”

Sem falar em “La Casa de Papel”, série espanhola que já é a mais assistida da história da Netflix entre os conteúdos não falados em inglês. O fato é que o conteúdo distribuído pela Netflix, original ou não, é de enorme qualidade e tem atraído milhões de novos assinantes.

Netflix - ações americanas
Evolução das ações da Netflix nos últimos 5 anos em comparação com o índice Nasdaq

Amazon (NASDAQ:AMZN)

A Amazon divulgou os resultados no último dia 23 de abril. Logo de cara chama a atenção uma queda de 28% no fluxo de caixa livre no trimestre quando comparado com o mesmo período de 2017. Por outro lado, as vendas líquidas subiram 43% no mesmo período (39% se ajustado o câmbio).

Se levarmos em conta os últimos 12 meses, as vendas líquidas da Amazon subiram 36% para impressionantes 193 bilhões de dólares! 60% vindas dos Estados Unidos, 30% dos outros países e 10% da Amazon Web Services.

O lucro operacional no trimestre subiu 92%, atingindo 1,927 bilhão de dólares. Nos últimos 12 meses, o lucro foi de 5 bilhões (+22%). Já o lucro líquido apresentou forte alta de 125%, totalizando 1,629 bilhão no trimestre.

Na comparação com a expectativa dos analistas, a receita bateu as estimativas em 1,1 bilhão de dólares e o lucro por ação simplesmente esmagou a previsão, sendo de 3,27 dólares por ação, frente aos 1,25 dólares esperados.

O segmento internacional continua apresentando prejuízo, enquanto a Amazon Web Services já responde por mais da metade do lucro operacional.

Após os resultados, diversos analistas voltaram para a calculadora e revisaram para cima os preços-alvo e as projeções futuras da empresa. E se não bastasse a força do resultado atual, a Amazon já anunciou alta de 20% no preço da assinatura do serviço Prime para novos membros. O Prime, que isenta o cliente de pagar frete e fornece outros benefícios, já ultrapssou a marca de 100 milhões de assinantes.

“A AWS tinha uma vantagem incomum por ter estado há sete anos no mercado antes de enfrentar uma competição relevante e a equipe nunca tirou o pé. Como resultado, os serviços da AWS são de longe os mais envolventes e mais ricos em funcionalidade. AWS deixa os desenvolvedores fazerem mais e com maior agilidade. E isso só melhora a cada dia. Por isso, você está vendo esta incrível aceleração no crescimento da AWS, agora por 2 trimestres seguidos. Meu muito obrigado para todos os consumidores da AWS. Podem ter certeza de que nós trabalharemos duro por vocês.” – Jeff Bezos

No meu primeiro artigo sobre a Amazon, eu já falava que Bezos seria o homem mais rico do mundo, mas não imaginava que a ultrapassagem pra cima do Bill Gates fosse feita de jato supersônico. Na última lista de bilionários da Forbes, que já refletia o impacto desses últimos resultados, Bezos já estava com 112 bilhões de dólares em patrimônio, 22 bilhões à frente do fundador da Microsoft.

Amazon - ações americanas
Evolução das ações da Amazon nos últimos 5 anos em comparação com o índice Nasdaq

O segredo do sucesso

Se existe uma característica em comum entre essas duas empresas americanas de sucesso, ela se chama satisfação do consumidor.

Você conhece alguém que já assinou Netflix e não está satisfeito com os programas? Ou alguém que foi mal atendido pela Amazon?

São empresas que não medem esforços para entregar além do que o consumidor espera. Esforços e dinheiro. Investimento de 8 bilhões de dólares em conteúdo original durante 1 ano como a Netflix está fazendo não é visto todo dia. Para você ter uma ideia, em fevereiro de 2018, a Netflix contratou Ryan Murphy da 21st Century Fox pela bagatela de 300 milhões de dólares.

Murphy é o produtor de American Horror Story e Glee, séries de tremendo sucesso. Ele se junta a Shonda Rhimes, que deixou a rede ABC para produzir conteúdos online. Ela foi uma das responsáveis pelas séries “Grey’s Anatomy”, “Private Practice” e “Scandal”.

Já a Amazon fechou um acordo de 2 anos com Robert Kirkman, criador do sucesso “The Walking Dead”. São as empresas de streaming capturando o que de melhor existe em Hollywood para a produção das melhores séries.



Conclusão

Bom, o mais interessante de tudo isso é ver que enquanto alguns analistas são pegos de surpresa com os resultados e revisam as estimativas para cima, outros já ficam temerosos com o preço das ações, que podem estar sobreavaliadas pelo mercado.

Vejamos, Netflix está atualmente com um índice Preço/Lucro de 210, enquanto este índice para a Amazon é de 247. À primeira vista pode parecer muito, mas são empresas de crescimento e que investem muito, o que acaba consumindo a receita.

De maneira simples, os números mais usados para avaliar este tipo de empresa são o crescimento do número de clientes/assinantes e também de vendas e receita.

Enquanto houver crescimento, estes números de valuation continuarão esticados. E devemos lembrar que são empresas de nível mundial, com operação em dezenas de países e que têm ainda um grande mercado em potencial pela frente.

Além disso são companhias exponenciais, que operam modelos escaláveis e passíveis de replicação. São características que permitem crescimento mais acelerado que as empresas tradicionais. É um dos motivos do porque elas estão entre as ações americanas que mais se valorizaram na última década.

Se este crescimento irá continuar na velocidade atual, só o tempo dirá. Mas dada a conquista de mercado por essas companhias que têm o consumidor como razão de existir, acredito que ainda haja  um longo caminho pela frente.




Facebook
Google+
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Este post tem 6 comentários

  1. Os mercados estão esticados mesmo mas os números não mentem. Qualquer queda nos preços dessas ações considero uma importante oportunidade de compra!

  2. Muito bom post para variar II. São empresas que mesmo na comparação com outras americanas e europeias podem ser consideradas no momento ilhas de excelencia de gestão e projetos. Aproveitando o ensejo gostaria de saber qual ou quais os sites voce pesquisa sobre ETFs e ações no exterior. Já assinei o Sure Dividends que vce recomendou mas gostaria de olhar mais materiais. Grande abraço

    1. Investidor Internacional

      Olá Marcos,

      O Sure Dividend é mais voltado a empresas pagadoras de dividendos e por consequência disso seleciona empresas mais estáveis e com caixa mais seguro.

      Pra pesquisar ETF tem o etfdb.com

      Abçs!

  3. Muito bom!
    Tenho certo receio com essa agressiva estratégia de investimentos da Netflix, deixando seu fluxo de caixa sempre no vermelho. Mas é de se admirar a criação de conteúdos originais de extrema qualidade.
    Fiz um post hoje sobre as receitas da Amazon também, se puder da uma conferida no meu site.
    Abraços.

    1. Investidor Internacional

      Olá Economista,

      Eles querem aumentar primeiro a base de clientes, afugentar competição e o lucro fica pra depois.

      É bastante compreensível.

      As duas são exemplos de que lucro não é tudo.

      Abçs!

Deixe uma resposta

Posts mais lidos

Fechar Menu