Greve dos caminhoneiros

Mesmo as boas intenções podem levar um país ao colapso

Em meio ao caos e à guerra de opinião que têm se instalado no Brasil nos últimos dias, não me resta outra opção a não ser abordar alguns aspectos (muitos deles ocultos) que estão envolvidos em toda essa confusão.

Também estou sentindo bem de perto as consequências desse caos. Fui atrapalhado no trânsito 4 vezes no mesmo dia em virtude dos protestos. Dois de caminhoneiros, um de vans e outro de motociclistas. Também vejo de perto a dificuldade para encontrar combustível e conseguir honrar compromissos profissionais.

E como este é um problema que afeta todos nós, seja no nosso dia a dia, seja de maneira mais ampla inteferindo em nossa liberdade, resolvi encontrar informações que deixasse tudo mais claro e lhe fizesse entender o que está acontecendo.

Uma breve resumo da greve dos caminhoneiros

Tudo na verdade começou em julho de 2017 com a nova política de preço adotada pela Petrobras em relação aos combustíveis. Dentro dessa nova política, os reajustes de preço da gasolina e do óleo diesel nas refinarias passararam a ser diários e seguiriam mais de perto os preços internacionais. No mesmo mês, o governo resolveu também DOBRAR os impostos (PIS e COFINS) sobre a gasolina e diesel com o objetivo de arrancar 10,4 bilhões de reais da população e reduzir o déficit primário de 139 bilhões de reais. De lá pra cá com a explosão de preços do petróleo e do dólar, os reajustes para o consumidor final passaram do limite do tolerável. Só neste mês de maio, o preço do diesel e da gasolina subiram em torno de 10%.

Diante disso e do peso que o combustível representa de custo no transporte de cargas do Brasil, as entidades de caminhoneiros começaram a organizar paralisações como forma de pressão ao governo para que o preço do óleo diesel fosse reduzido.

2018 com a cara de 2013

Vamos voltar no tempo agora e relembrar 2013. Você se lembra que naquele ano grandes mobilizações de massa tomaram às ruas pelo aumento de 20 centavos nas passagens de ônibus, certo? Tudo havia começado com o Movimento Passe Livre e demais grupos progressistas. No final das contas, a coisa tomou uma proporção muito maior do que se imaginava e as reinvindicações se tornaram bastante genéricas como o “fim da corrupção” e “escolas padrão FIFA”.

Retornando a 2018, vemos claramente que existe um problema com o preço dos combustíveis. Ele está caro demais.  O problema é que muitos não conseguem identificar porque o combustível está caro. Muitos culpam a Petrobras. Outros culpam o Temer. Tem gente que culpa a Dilma e o PT. Enfim, a maioria reconhece que temos um problema, mas erram em descobrir a causa.

E é aí que eu quero chegar. Quero entender e mostrar pra você, porque pagamos tão caro por combustível em nosso país.

Por que o combustível é tão caro no Brasil?

Vou expôr alguns fatores que somados justificam o alto preço do combustível vendido no Brasil.

1º – O problema do refino

O mercado de refino no Brasil é dominado pela Petrobras. Ela detém 98% desse mercado no Brasil. Sim, 98%! É praticamente um monopólio. Sem concorrência, é a Petrobras que determina o preço do diesel e da gasolina nas refinarias.

A única alternativa a isso é importar diretamente os combustíveis. E segundo a Agência Nacional do Petróleo, em 2017, o aumento das importações de gasolina e diesel foram de respectivamente 82% e 67%, em resposta à mudança na política da Petrobras.

Mas por que as grandes petrolíferas mundiais não abrem refinarias no Brasil, um dos maiores mercados do mundo? Isso você deveria ter aprendido com nossa “presidenta” Dilma. Lembra do que ela fez? Manteve o preço dos combustíveis artificialmente baixos para garantir a reeleição e com isso “sangrou” o caixa da Petrobras em dezenas de bilhões de reais e ainda tornou a empresa a mais endividada do mundo. Você gostaria de entrar no mercado com um concorrente desses? Nem a Exxon, a Chevron ou a Shell!

Daí temos o primeiro problema. O setor de refino de combustíveis é um monopólio mantido por uma empresa estatal, com altíssima carga de interferência política no setor, que inibe o surgimento de novas empresas.

2º – O problema da logística

O Brasil é um país de dimensões continentais. Transporte é algo que tem uma crucial importância para o funcionamento de praticamente todos os setores da economia. A soja precisa sair de Mato Grosso e chegar no Espiríto Santo. Um armário precisa sair do Rio Grande do Sul e chegar em Goiás. Remédios precisam sair de São Paulo e chegar ao Piauí. Daí você já percebe que tudo precisa estar redondo para você poder se alimentar, vestir, escovar os dentes, etc.

O setor de transportes é altamente regulado pelo governo. É ele que determina a construção de estradas, ferrovias, aeroportos, portos, etc. E como tudo que tem a mão forte do estado, cria-se uma enorme distorção.

A primeira distorção é o completo abandono do modelo ferroviário em prol do modelo rodoviário. Este último é pior em praticamente todos os sentidos. Não vou falar dos acidentes, roubos de carga e da condição das estradas. Vou focar apenas no combustível, que foi o estopim de toda a discussão.

Veja esse vídeo abaixo da CSX (NYSE:CSX), empresa ferroviária americana:

Os trens da CSX levam uma tonelada de carga por 436 milhas (701 km) gastando apenas 1 galão (3,7 litros) de diesel. Essa é a medida de eficiência de combustível em transporte, no inglês ton-mile-gallon. Essa eficiência é em média de 3 a 3,5 vezes melhor que a do transporte por caminhão e ainda emite 75% menos gases do efeito estufa!

Estes são dados dos Estados Unidos. Agora imagine no Brasil, onde do 1,7 milhão de quilômetros de estradas apenas 210 mil são pavimentados.

Além do maior consumo, estradas ruins geram um gasto muito grande com a manutenção da frota. Pelo que pesquisei, a vida útil de um caminhão de carga no Brasil é em torno de 10 a 12 anos. Encontrei até um estudo que mostrou que para o modelo de caminhão avaliado, o melhor momento para troca era com 6 anos. Agora, sabe qual a vida útil de uma locomotiva? Chuta, vai. Mais um pouco. Sim, uma locomotiva dura em torno de 50 anos!

Então temos claramente aqui um desequilíbrio. A produção é controlada por uma única empresa estatal e o consumo é muito maior do que deveria ser se usássemos mais o transporte ferroviário. Não bastasse, os trabalhadores e empresários do setor vivem no limite, trabalhando em um péssimo ambiente de alto risco e custos enormes.

3º O problema dos impostos

Sempre eles. Vamos fatiar o preço da gasolina para ver o que estamos pagando quando abastecemos o carro. As informações são do site da Petrobras para o período entre 13 e 19 de maio de 2018:

  • 9%: distribuição e revenda
  • 12%: custo do etanol anidro (corresponde em volume a 27% do litro da gasolina)
  • 29%: ICMS
  • 16%: CIDE, PIS/PASEP e COFINS
  • 34%: realização Petrobras

Agora veja as informações do óleo diesel:

  • 9%: distribuição e revenda
  • 7%: custo biodiesel
  • 15%: ICMS
  • 13%: CIDE, PIS/PASEP e COFINS
  • 56%: realização Petrobras

Então vemos que o preço da gasolina possui 45% de impostos diretos e o óleo diesel 28%. Sem falar nos impostos indiretos que a Petrobras e todo o resto da cadeia produtiva paga.

Particularmente o preço da gasolina é muito susceptível aos impostos, que são um verdadeiro roubo descarado. “Ah, mas a Alemanha e a Itália cobram mais impostos que nós.” Sim, eles também estão errados e lá a gasolina custa uma fortuna. Por outro lado, os carros são bem mais eficientes (mais tecnologia e não são flex). Pra você ter uma ideia, os carros mais econômicos europeus, como o Citroen C3 1.6 Blue HDI e o Opel Corsa 1.3 CDTI chegam a fazer mais de 30km/litro de gasóleo (o nome do diesel em Portugal). Entre os carros a gasolina, o FIAT 500 é o mais econômico e faz 26 km/l.

Voltando aos impostos, o ICMS varia bastante de estado para estado. De um lado, temos Santa Catarina como o estado que cobra menos, em média 1 real por litro e do outro, temos o Rio de Janeiro que cobra cerca de 1,60 real por litro.

Nos Estados Unidos, os impostos sobre a gasolina são de 18 centavos por galão a nível federal e entre 12 e 58 centavos a nível estaduall. Traduzindo em reais por litro, daria em média 49 centavos por litro. Como você viu, só de ICMS, Santa Catarina, o estado mais barato, cobra o dobro.

4º O socialismo

Sim, ele mesmo. Sabe quando você pede para os políticos hospitais públicos de qualidade, remédios gratuitos, escolas e universidades públicas padrão-FIFA, estradas bem conservadas, etc? Então, o dinheiro para bancar tudo isso vem de onde? Cai do céu? Vem dos políticos? Não, ele vem exatamente do seu bolso. A gasolina cara, a bebida cara, o automóvel caro, a roupa cara, o estacionamento caro, o brinquedo caro. Em tudo isso está embutido o preço do socialismo. Socialismo este que aflora quando milhões de pessoas gritam entusiasticamente que educação é um direito e que saúde é um dever do estado.

Essas palavras “tão lindas” da Constituição trata o mundo como um conto de fadas, onde basta escrever num papel que escolas e hospitais se materializam. Os gastos com essas áreas somados ao custo da Previdência, do funcionalismo federal, do abono salarial, do seguro-desemprego, dentre outros são despesas obrigatórias colocadas na Constituição. Isso corresponde a cerca de 87% das despesas do governo federal, o que deixa menor margem para readequação de despesas.

Mas você não está pagando só isso não. De presente você ainda recebe um bônus, que é pagar por algo inútil e extremamente caro.

Thomas Sowell explica:

“É incrível como algumas pessoas acham que nós não podemos pagar médicos, hospitais e medicamentos, mas pensam que nós podemos pagar por médicos, hospitais, medicamentos e toda a burocracia governamental para administrar isso.”

É impossível você ter todos os serviços públicos que você deseja sem o aparato burocrático que fica entremeado nele. E isso sai muito caro. Sabe como é, os burocratas precisam empregar muita gente para dar conta disso, precisam de vários benefícios, precisam dar aquela forcinha nas licitações para os amigos, entre outras coisas que não preciso dizer.

Voltando aos serviços estatais, você acha certo os caminhoneiros e todo o resto dos paulistas bancarem a USP, a UNESP e a UNICAMP, que consomem 9,57% do ICMS arrecadado no estado? É muito provável que se um caminhoneiro investisse tudo que ele já pagou de ICMS na vida, ele poderia pagar uma faculdade particular para o filho com a certeza de que o filho efetivamente estivesse matriculado e não precisaria pagar a faculdade dos outros por toda uma vida.

É mais um dos motivos do porque todos os serviços devem ser privatizados. Além da economia de dinheiro, não estaríamos formando milhares de comunistas de boutique todos os anos.

Agora veja o destino dos outros impostos:

Greve dos caminhoneirosCIDE: investimento em infraestrutura de transporte, em projetos ambientais relacionados à indústria de petróleo e gás, e em subsídios ao transporte de álcool combustível, de gás natural e derivados, e de petróleo e derivados.

PIS/PASEP e COFINS: são impostos nefastos que incidem na receita de praticamente todas as empresas do Brasil (exceto optantes pelo Simples). Sua empresa pode estar tendo prejuízo, que precisará pagar esse tributo. O destino do dinheiro é a previdência social, a saúde e a assistência social.

Aí você tem parte do dinheiro que é jogado no saco sem fundo da Previdência. Você paga os aposentados e pensionistas de hoje e reza para as próximas gerações conseguirem pagar a sua. Não há garantia de nada e uma mudança na lei pode jogar suas décadas de contribuição no ralo, enquanto a elite da classe política e do judiciário recebe bilhões.

Conclusão

Os motivos que levaram à greve dos caminhoneiros e a esta crise são diversos. Não podemos perder o foco e aceitar o discurso dos oportunistas de plantão. Vê-se claramente, que as digitais do estado estão por toda a parte. No monopólio e no uso político da Petrobras. No controle sobre a infra-estrutura de transportes. Nos impostos e em todo o gasto do dinheiro arrecadado com eles.

Pedir redução de impostos e aumento dos serviços estatais é algo completamente delirante e fora da realidade. Vejo muita gente agindo assim. Não é difícil perceber que o estado tem crescido cada vez mais, bem na nossa frente, alimentando-se única e exclusivamente do que nós produzimos. E cadê os ótimos serviços que muitos querem em troca? Sinto lhe comunicar. Nunca virão.

Quando eu vejo a imagem dos ministros dando coletiva e imprensa vejo a imagem do Tiririca no centro de comando da NASA, orientando o resgate da Apolo 13. Pior, os safados sabem muito bem que gastam demais com eles mesmos e não querem perder os privilégios. A única proposta é trasnferir os custos dos grupos de maior poder de pressão para aqueles de menor poder. E quem paga a conta no final somos nós.

As mudanças precisam ser profundas. Da minha parte gostaria de retomar a Monarquia, como um sistema mais estável que esse revezemento de ladrões na presidência da República. O Brasil precisaria ser dividido em condados abaixo do nível de estados, com maior autonomia e menor interferência federal. Obviamente que essa Constituição deveria ser jogada no lixo e outra baseada na dos Estados Unidos posta em prática. Centenas de órgãos públicos deveriam ser fechados, as estatais privatizadas e o mercado aberto à livre concorrência internacional.

Do jeito que a coisa anda, vejo o Brasil como um paciente com câncer gravíssimo e as únicas soluções propostas são fazer uma lipoaspiração e um tratamento cosmético na face. Isso não tem a menor condição de dar certo.

Fontes:

Reportagens do G1, Valor, UOL, Agência Brasil.

Sites da Petrobras, ANP e CSX.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Este post tem 49 comentários

  1. Avatar

    Parabéns pelo excelente post.

    Porém, é uma pena que um liberal como você seja apoiador do Bolsonaro, um ser oportunista que sempre exigiu a mão do Estado na economia.

    Abraço.

      1. Avatar

        A única solução?

        Então 200 milhões de pessoas no Bananil dependem do Bolsonaro?

        Cara, veja o histórico dele. Um exemplo: na época da reforma da previdência de 1998, que o Temer por acaso foi relator, o salvador Bolsonaro pregava o fuzilamento do FHC pois, segundo ele, estavam arrochando os funcionários públicos e por ai vai.

        Quer mais? Foi contra o Plano Real, foi contra a quebra do monópolio da Petrobrás feita pelo “comunista” FHC, e, pra fechar com chave de ouro, declarou apoio ao falecido ditador Hugo Chavez.

        Esse é o ser que devemos ter como única esperança?

        1. Investidor Internacional

          Olá,

          A única solução entre os candidatos a presidência. Desculpe se não fui muito claro.

          Não acho que devemos criticá-lo pelas opiniões de 20 anos atrás.

          As pessoas mudam de opinião, ainda mais no Brasil, onde cada vez mais se percebe que o estado é o problema.

          Eu mesmo muito antigamente acreditei no manual da FUVEST onde dizia que a USP era gratuita. Já achei ser correto quem estudou em faculdade pública ser obrigado a trabalhar para o estado como forma de retribuição. Já achei que os EUA exerciam uma influência maligna sobre nós.

          Enfim, muito de ideia.

          Única esperança de contermos o progressismo dentro do sistema eleitoral. E se o Paulo Guedes colocar em prática o que diz, aí sim podemos ter uma melhora econômica. Não concordo com tudo que os dois falam e nem vou defendê-los até a morte, mas dos que se apresentam para ocupar a presidência e um cargo-chave no governo, eles são os mais indicados no momento. Você tem alguma outra sugestão de candidato que consiga pautas liberais? O João Amoedo e o Flavio Rocha parecem bons, mas não tem apelo eleitoral. Aí entra outro ponto, eleição não elege o melhor.

          Assista ao episódio Era Vargas do Brasil Paralelo e verá de maneira mais apresentável como o sistema presidencialista adotado no Brasil nos colocou nessa situação. Não adianta muito mudar o presidente, o problema é bem mais profundo.

          Abçs!

          1. Avatar

            Mudar de opinião ao longo do tempo faz parte.

            Mas incoerência não. E Bolsonaro é um incoerente e oportunista.

            Se você quer achar que ele é a única saída paliativa, por mim ok.

            Interessante que hoje foi divulgado que o Bolsonaro tem um projeto de lei pra punir obstrução de rodovias. Mas está defendendo os caminhoneiros baderneiros e inclusive dizendo que vai revogar qualquer multa a eles imposta.

            Piada não? Esse é o bolsonaro: sempre indo contra ele mesmo.

              1. Avatar

                Pode ser o próprio Bolsonaro por mim, mas não com esta áurea de única esperança.

                Pode ser Amoedo que, apesar de poucas chances, tem apoio do Gustavo Franco.

                Pode ser, na verdade, qualquer um menos alguém do PT ou o Boulos.

                A questão é não cair nesta falacia oportunista de única solução viável que liberais estão enxergando no Bolsonaro.

                1. Investidor Internacional

                  Olá,

                  Bom, é o único não esquerdista com apelo eleitoral. Amoedo e Flávio Rocha tem propostas bem liberais. Seriam opções, mas os eleitores não conhecem e em algumas pautas mais conservadoras, o Amoedo pelo menos foge da raia.

                  Concordo que ele tem um monte de falhas e que não é nenhum salvador da pátria, mas é o que temos pra hoje.

                  Impossível achar alguém que tenha 100% das ideias compatíveis com as minhas ou com as suas. Então entre pós e contras, cada um que escolha.

                  O modelo presidencialista que temos é esse aí, com essas opções. Sou totalmente contra essa estrutura.

                  Abçs!

    1. Avatar

      Caso bolsonaro venha a ganhar ele vai confiar a economia a Paulo guedes pois ele nao vai querer se meter nisso vai so querer muita acao do Paulo guedes e ele pelo visto vai levar esse ministro ate o fim do mandato que e otimo se o Joao amoedo tivesse viajando palestrando desde o inicio Como bolsonaro hoje ele seria muito conhecido mas so a pouco tempo ele comecou mais forte no seu marketing

      1. Avatar

        Pobre Paulo Guedes… mas um sendo ludibriado pelo Bolsonaro.

  2. Avatar

    Parabéns pelo Post.

    Penso exatamente igual a você.

    De crise em crise e maquiagem em maquiagem…

    Daqui a pouco pão e circo (copa), mais um surto de ebola ou outra doença qualquer, povo sofrendo…e pra fechar outros/mesmos inúteis no governo

    1. Investidor Internacional

      Olá Gil,

      O governo coloca tanta pedra no nosso sapato que chega num ponto que estoura uma revolta.

      Aí ele tira um pouco pra aliviar e depois começar a colocar de novo.

      E assim, o Brasil vai vivendo.

      Abçs!

  3. Avatar

    Muito bom. Acertou em cheio as causas.
    E as coisas ainda vão piorar muito se a taxa de juros americana voltar a subir, se o preço internacional do petróleo aumentar, com a escalada da nossa dívida pública (que chegará facilmente a 90% do PIB) e quando o governo, em breve (2019?), esbarrar no teto de gastos.
    O Brasil é um barquinho desgovernado no meio de um oceano de problemas violento e impiedoso.

    1. Investidor Internacional

      Olá Paulo,

      Estamos sempre no limite. Um desequilíbrio e créu!

      A solução é corte maciço de gastos do estado, mas vai tentar tirar privilégio dos safados de Brasília.

      Abçs!

  4. Avatar

    Olá II,

    Parabéns pelo post. Muito bem escrito. Infelizmente vivemos em um país socialista. A constituição é toda socialista, concordo com você que ela tem que ser jogada no lixo.
    Quando eu falo com meus colegas que a Petrobras tem que ser privatizada e outras empresas também, eles só faltam me bater. Mesmo eu argumentando.

    Abraços.

    1. Investidor Internacional

      Olá Cowboy,

      Muita gente não liga causa e efeito.

      Causa: Gastos absurdos do estado. Efeito: Altos impostos e produtos caros.

      Tem algum coisa muito errada em um país em que para comprar algum produto a preço acessível, você precise trazer do Paraguai ou dos Estados Unidos.

      Abçs!

  5. Avatar

    A conta vai chegar, ela sempre chega, no final alguém vai pagar a conta.
    Abraço!

  6. Avatar

    Investidor Internacional,

    Excelente post!
    O Brasil perde muito ao não investir no transporte ferroviário e aquaviário.
    O preço dos combustíveis é absurdo nesse país – assim como a maioria do que compramos aqui…

    Abraços,
    Simplicidade e Harmonia

    1. Investidor Internacional

      Olá Rosana,

      Sim, deveríamos investir mais nesses outros transportes. Bem lembrado o pluvial. Temos muitos rios no país.

      Entretanto não é o Brasil (estado) que precisa investir. São os empreendedores. O estado só não deve atrapalhar.

      Lembra que nos Estados Unidos muita gente fez fortuna construindo estradas? Um deles foi Leland Stanford. Ele mesmo, fundador da Universidade Stanford, uma das melhores do mundo.

      Agora tenta explicar pros progressistas que deixar a iniciativa privada explorar o transporte traz muitos benefícios.

  7. Avatar

    Olá, Raphael! Excelente artigo. Faltou apenas mencionar a famigerada ANP, agência nacional reguladora do setor de combustíveis. Ops! Mais uma digital do estado encontrada!
    Parabéns e sucesso.

  8. Avatar

    Excelente post, II. Tambem acho que Bolsonaro é o menos pior dos candidatos. Já vi entrevistas de seu coordenador de campanha na área de economia, o Paulo Guedes, e apreciei muito. O grande problema é que o país está dividido já que não é uma nação de fato e existem vários interesses em jogo.E qualquer que seja o presidente eleito terá sérios problemas de governabilidade no sentido de implementar medidas cruciais de solvencia do Estado. A médio prazo enfrentaremos um aumento de custo absurdo para rolagem da dívida interna, aumento progressivo e expressivo da inflação e, no final, quem permanecer nos de noticia.

    1. Investidor Internacional

      Olá Marcos,

      Colocar um presidente melhor é medida paliativa.

      É tanto interesse oculto e grupos de poder por trás, que dificulta as mudanças necessárias.

      Abçs!

  9. Avatar

    Maravilhoso, elucidativo e claro post, PARABÉNS!
    O grande problema da massa dos brasileiros (ou nós como seres humanos) é se acharem entendidos em tudo e se posicionarem como um caminhão desgovernado, sem qualquer fundamento.
    Muito se fala sobre a elevada carga tributária nesse país com excesso de leis de cunho pessoal e nada social, porem se esquecem que o que está errado não é a carga tributária, mas a matemática tributária onde a conta nunca fecha, muita receita e pouco retorno em infraestrutura, haja visto que, a exemplo, a Dinamarca que lidera o ranking da maior carga tributaria mundial tem em contrapartida uma gestão de 1°mundo,com grande reflexos em serviços e infraestrutura a favor da população, retornado, com isso o quarto IDH do mundo. Antagônico? não, isso é eficiência. Somos um pais de primeiro mundo em arrecadação e uma vergonha mundial na liderança no ranking de corrupção e desprezível IDH Global mantendo a posição 78° 🙁

    1. Investidor Internacional

      Olá Gorete,

      Como eu tenho absoluta certeza de que será impossível ter a mesma eficiência no setor público, prefiro que tudo seja privatizado, desregulamentado e aberto ao mercado externo.

      Além disso, eu sou contra, por questão de princípios, do estado arrecadar impostos de todos para oferecer serviços ruins para alguns.

      Privatizar tudo nem é mais questão de opinião, mas de sobrevivência do país.

      Abçs!

  10. Avatar

    Ótimo post, super esclarecedor. Parabéns!

  11. Avatar

    Barbaridade, excelente artigo!
    Me senti lendo o site do IMB.
    Parabéns!

  12. Avatar

    Excelente post, Raphael;
    O problema todo é esse “socialismo” (que é comunismo mesmo),Essa gente que está no governo não sabe trabalhar, veja que não souberam dar uma solução justa e eficaz rapidamente. Tentaram jogar a culpa nos patrões (porque aqui no Brasil todos são contra eles) e impingir multas (mais dinheiro na conta deles mesmos). Nós, o povo é que deveríamos ter o poder de colocar o exército para cobrar multa e patrulhar essas quadrilhas disfarçadas de políticos.
    Semana passada, vi no arquivo N da Globonews, que já tivemos 30.000 km de ferrovias! Foi tudo destruído, porque era símbolo do imperialismo estrangeiro.Acho que somos o único País do mundo que destrói o que está pronto e funcionando. Hoje, não há conservação de estradas (municípios, estados e governo federal) não fazem mais nada. Dizem que não tem dinheiro (só o STF custa 500 milhões de reais por ano) e o que eventualmente “sobra”, distribuem para os funcionários (você viu que o BNDES deu mais 4 salários para cada um?) Isso nessa crise enorme, com a Lava Jato e todos olhando!
    Segurança jurídica para investimentos não há. Quem se habilita a investir aqui?.
    Veja a Fordlândia e o Daniel Ludwig que tentaram fazer investimentos vultosos aqui no que deu – virou tudo mato de novo.
    Constata-se que o povo tem mentalidade populista (e comunista também). As esquerdas trabalham noite e dia para isso e estão conseguindo. Tudo que querem é acabar com a produção. Veja, na Venezuela, que só produz petróleo, estão tendo que importá-lo porque comunista não gosta e não sabe trabalhar. Conta-se nos dedos os liberais democratas no nosso País.
    Vi muitos pedindo a volta do ladrão lula para resolver o problema. Dá para entender?

    1. Investidor Internacional

      Olá Sonia,

      Obrigado pelo depoimento.

      A corda estoura do lado mais fraco.

      O nosso dinheiro continua caindo na conta dos políticos, como se nada estivesse acontecendo.

      Olha essa notícia. É deste mês:

      “Neste ano, o Orçamento da União reservou R$ 888,7 milhões para o Fundo Partidário e outros R$ 1,7 bilhão para o Fundo Eleitoral. Ambos são distribuídos entre as legendas de forma proporcional à bancada dos partidos no Congresso.”

      Isso que me deixa revoltado.

      Abçs!

  13. Avatar

    Mais um post magnifico.
    Parabéns !

  14. Avatar

    Excelente texto. Eu também voto no Bolsonaro. No que “temos pra hoje” é o melhor nome.

  15. Avatar

    Fugindo um pouco do tema … você conhece e pode indicar alguma corretora de valores que opere na bolsa de valores de Londres ou na bolsa de valores da Europa e aceite cliente brasileiros?

  16. Avatar

    Situação de hoje em dia está sendo ridicularizada, e o povo não cai na real e está virando uma piada. Na boa, não vai mudar é nunca. foi um erro gravíssimo por não aproveitar a oportunidade de mudar o Brasil. lamentável, o povo adora facada mesmo. E o texto, muito profissional, meus parábens!

    1. Investidor Internacional

      Olá Rafael,

      Obrigado pelas palavras.

      Perdemos a oportunidade em 2015 e agora. A maioria desorganizada jamais chegará a lugar nenhum.

      Abçs!

  17. Avatar

    Muito bom.

    Uma redução dos impostos poderia ajudar o país a se desenvolver? E minha opinião, sim. O povo teria mais dinheiro no bolso resultando e mais poder de compra, produtos e serviços mais baratos e ascensíveis e menor seriam as despesas para contratar funcionários, diminuindo o desemprego. Estou errado nesse pensamento?
    Essa má administração das contas públicas é fácil, “vamos gastar e (talvez ficar com um pouco) e se faltar o povo paga”.

    1. Investidor Internacional

      Olá Emanuel,

      Sim, você está correto.

      Entretanto, não é apenas meramente uma questão de percentual de impostos, mas toda a burocracia envolvida no ambiente de negócios brasileiro. A grosso modo, enquanto pra conseguir determinada autorização, um suíço leva 1 dia e 1 procedimento, o brasileiro leva 3 meses e 5 procedimentos.

      Abçs!

  18. Avatar

    Errou já de cara. Tudo começou com as vendas de caminhões financiados a 2% ao ano, até 2013, gerando alta oferta de frete. Depois, em 2015 e 2016 a recessão recorde, gerando a queda da demanda por frete.
    O resultado foi esse. Agora vem o tabelamento ou mais greve. Tanto um quanto o outro acabam com o país.

    1. Investidor Internacional

      Olá João,

      Sim, essa foi uma informação que só apareceu depois do artigo publicado. Como sempre o governo manipulando o mercado e gerando bolhas.

      Teve ainda uma outra informação de que o governo criou uma burocracia gigante e aumentou os custos de quem terceirizava o frete, gerando mais custos e perda de tempo para o setor.

      Abçs!

      1. Avatar

        Essas informações são antigas. Os 4 anos de vendas recordes de caminhões devido ao financiamento de 2% ao ano sei desde aquele tempo. A recessão recorde (nem a de 1980/81 foi pior) já é informação conhecida há tempos.

Deixe uma resposta

Posts com maior repercussão

Fechar Menu