Luxottica

A empresa que mudou o modo como usamos óculos é também um bom investimento?

Há cerca de 10 anos, eu, que nunca tinha comprado nenhum óculos escuro na vida, entrei numa Sunglass Hut para comprar um par para mim e para a esposa. A quantidade de tipos, cores e tamanhos de óculos impressionava. Todas as grandes marcas estavam presentes: Oakley, Prada, Ray Ban, Dolce & Gabbana, Armani, Michal Kors, Coach, etc. Havia opções para todos os gostos e bolsos.

Ao nos depararmos com tanta diversidade, é natural pensar que se trata de um mercado altamente disputado, onde cada empresa compete em preço e qualidade para atrair o desejo dos consumidores. Foi só recentemente quando eu finalmente resolvi trocar aqueles óculos, descobri que por trás de todas essas marcas existe apenas uma empresa, a italiana Luxottica.

A história da Luxottica

A empresa foi fundada por Leonardo Del Vecchio em 1961 na pequena comunidade de Agordo no norte da Itália. O nome da companhia é derivado das palavras italianas “Luce” (luz) e “Ottica” (ótica).

Inicialmente, ela era apenas uma fabricante de peças para óculos e as vendia para outros fabricantes. Foi apenas em 1971 que a primeira coleção com o nome Luxottica foi apresentada em uma feira de Milão.

Em 1974, ela faz sua primeira aquisição, a atacadista Scarrone, que possuía grande know-how no mercado de óculos. É o primeiro passo no processo de integralização e verticalização da companhia.

óculos
Óculos antes da Luxottica

Na década de 80, os óculos passaram por uma transformação. De um aparelho médico para um instrumento de moda. Visionário, Leonardo assinou o primeiro contrato de licenciamento com Giorgio Armani. A partir daquela data, os óculos Armani seriam feitos pela Luxottica.

Em 1990, a empresa lança ações na Bolsa de Nova Iorque como forma de acelerar seu crescimento. Durante a década de 90, a empresa aproveitou o caixa e trouxe novas marcas para seu portfólio, como Vogue Eyewear, Brooks Brothers, Persol, Bvlgari e as lendárias Ray Ban e Chanel.

Em 1999, a Ray Ban estava em franca decadência. Seus óculos de má qualidade eram vendidos por cerca de 29 dólares em postos de gasolina, farmácias e lojas de conveniência. Para uma marca com 70 anos nas costas e que aparecia em destaque em filmes como Bonequinha de Luxo e Top Gun era o fundo do poço.

A Luxottica tirou a Ray Ban do mercado e dos mais de 13 mil pontos de venda que tinha na época. Um ano depois, os óculos da marca estavam sendo fabricados com uma qualidade de primeira linha e vendidos na mesma prateleira que a Bvlgari e Chanel a um preço 5 vezes maior.

Foi também nessa época que a empresa entregou no mercado de varejo, com a compra da americana LensCrafters. Se você não conhece, saiba que numa loja desta rede você entra e em 1 hora, eles medem seu grau, fazem as lentes e montam seus óculos.

E agora um twist naquela história que eu contei no começo. Em 2001, a empresa comprou a Sunglass Hut. Sim, não só as marcas, como também a loja era da Luxottica! E neste caso, é a maior rede do mundo.

Gisele Bundchen Luxottica
Óculos depois da Luxottica

Nas décadas de 2000 e 2010, o portfólio de marcas se expandiu ainda mais, com Prada, Miu Miu, Versace, DKNY, Dolce & Gabbana, Burberry, Ralph Lauren, Tiffany & Co, Tory Burch, Coach, Michael Kors, Valentino. Só o fino da Bossa.

A história com a californiana Oakley é interessante. A Luxottica queria comprar a Oakley, principal marca de óculos esportivo e com grande penetração no mercado americano. Só que os executivos da Oakley fizeram jogo duro e não queriam ceder. A Luxottica simplesmente retirou os óculos deles das prateleiras da Sunglass Hut. A ação da Oakley despencou e eles não tiveram opção a não ser aceitar a aquisição.

Foi nessa época também que a companhia entrou a fundo no mercado de cuidados com a visão. Além das redes de varejo, adquiriu também uma rede de optometria (Laubman&Pank), uma seguradora (EyeMed) e uma de rede que mistura exames oculares, com vendas de lentes e óculos (Pearle Vision).

No site da EyeMed tem um texto interessante:

With EyeMed, you get the right mix of thousands of independent providers, top optical retailers and online options, like Glasses.com, ContactsDirect, Target Optical or lenscrafterscontacts.com. You can see the doctors you want and pick from top brands like Ray-Ban®, Oakley® and Coach®. The who, what, where and when are all up to you.

Viu? Tudo ali é Luxxotica!

Em 2017, a empresa expandiu no mercado brasileiro, com a compra das “Óticas Carol”.

E quando você achava que não havia mais nada no mercado para adquirir, em outubro de 2018 foi concluída a fusão de 46 bilhões de Euros entre a Luxottica e a francesa Essilor, criando assim a:

Se você não usa óculos, saiba que a Essilor foi fundada em 1849, valia à época mais que a Luxottica e é dona das principais marcas de lentes, como Varilux, Crizal, Transitions, Eyezen, Xperio e Foster Grant. Basicamente, era o que faltava para a Luxottica, lentes de grau.

E antes que você pergunte, eu fui na caixinha dos meus óculos e bati uma foto do lencinho usado para limpar as lentes:

Essilor Crizal

EssilorLuxottica como investimento

Pra não perder o fio da meada. O que você sabe até agora é que a Luxottica comprou tudo de mais importante no mercado de óculos, incluindo a cadeia produtiva inteira e as principais marcas, além de ter lançado ações na Bolsa de Nova Iorque.

O que você ainda não sabe é que a empresa também listou ações na Bolsa de Milão. Em 2017, ela retirou as ações dos Estados Unidos e agora com a fusão as ações saem de Milão e vão para Paris! Elas já estão sendo negociadas sobe o ticker EL.

Com a fusão, os controladores da companhia passaram a deter 62,4% da Holding. Giorgio Armani, veja só, tem 4,6% e o free-float atual é de 31,7%. O 1,2% restante está em tesouraria.

Com essa fusão, a empresa passa a ter 150 mil funcionários e uma receita combinada anual de mais de 17 bilhões de euros.

A sinergia é evidente. No próprio site eles colocam “EssilorLuxxotica, uma empresa totalmente integrada, líder global no design, fabricação e distribuição de lentes oftalmológicas, armações e óculos de sol.”

Os resultados do 3º trimestre de 2018 ainda divulgados separadamente estão no slide abaixo, retirado da apresentação para acionistas de novembro de 2018.

essilor luxottica

Segundo dados atuais, a ação está sendo negociada na casa de 106 euros, com uma relação Preço/Lucro de 31, um Return on Equity (ROE) de 13% e um Dividend Yield projetado de 1,4%.

Estes números ainda não refletem as sinergias da administração combinada dos negócios. O mercado de lentes e óculos não é lá um dos que mais cresce no mundo, mas a posição privilegiada nele pode manter a empresa em um crescimento constante, mesmo que não seja extraordinário.

Conclusão

A EssilorLuxottica é um caso de fusão entre praticamente dois monopólios. Os resultados dela para os acionistas poderão ser melhor conhecidos daqui um ano, mas você já pode imaginar o preço dos óculos de grife quando todos vierem com as lentes muito mais avançadas tecnologicamente da Essilor. É um caso para ser visto de perto, pois não é sempre que encontramos uma empresa com tamanho domínio em um determinado mercado.

Eu ainda não troquei os óculos de sol, mas no final de semana passado, comecei a experimentar alguns. Entrei numa loja das Óticas Carol e o modelo que ficou melhor no meu rosto foi mesmo um Ray Ban.


Por mais que a Essilor-Luxottica seja uma excelente companhia, ela ainda não está entre aquelas com maior potencial de ganhos na Bolsa. Se quiser conhecer as ações mais promissoras eu lhe convido a conhecer o Passaporte Internacional.

 

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Este post tem 16 comentários

  1. Avatar

    saudações e sucesso pra ti meu nobre.

  2. Avatar

    Boa Rafael.
    No momento só opero na bolsa americana.
    Pena terem saído.

    Abs e bons trades.

  3. Avatar

    suas informações expandem nossos conhecimento.

  4. Avatar

    Maravilha. Gostaria de receber conteúdos explicatórios, sobre investimentos no exterior.

    Serei grato.

    Boa noite!

  5. Avatar

    Beleza de matéria Raphael. Mais uma vez obrigado!

  6. Avatar

    Não sabia que a Luxottica era este império. Vou analisar com calma esta empresa quando voltar a fazer aportes na NYSE.

    1. Investidor Internacional

      Olá Investidor Solitário,

      As ações são negociadas em Paris agora. No mercado americano agora só através do mercado OTC.

      Abçs!

  7. Avatar

    Bom dia Raphael
    Eu moro na Alemanha e procuro guardar 15% do meu salário todo mês.
    Como vc sabe quase não temos inflação e os juros são baixíssimos.
    Eu não sei onde investir esses 15% mensais. As taxas dos bancos superam o investimento!
    Obrigada
    Cristina

  8. Avatar

    No Brasil a Luxottica comprou a maior rede de varejo e também o maior fabricante brasileiro, a Tecnol de Campinas, 110 milhões de euros.

Deixe uma resposta

Posts com maior repercussão

Fechar Menu