As 5 companhias mais inovadoras do mundo – Parte 1

Tesla Motors

Você sabia que pode investir nas companhias mais inovadoras do mundo?

Um dos princípios básicos para se investir em ações é participar dos lucros futuros de uma empresa. Você não quer comprar ação de uma empresa que fique estagnada, com receitas e lucros estáveis ou em declínio. Você deseja investir numa empresa que cresça, que venda cada vez mais, que crie novos produtos e soluções que terão impacto na vida de milhões e, por que não, bilhões de pessoas.

Nessa série você irá saber quais são as 5 empresas mais inovadoras do mundo, o que elas fazem, quem são seus fundadores e como você também pode investir nelas. Quatro delas são americanas e uma britânica. Pra se ter uma ideia, 13 das 20 companhias mais inovadoras são americanas.

Agora, se você prefere prefere queimar dinheiro e investir em empresas que fazem negócios altamente suspeitos como compra de refinaria em Pasadena, nem precisa continuar. Pode passar daqui alguns dias em qualquer loja de 1,99 que é lá que será vendido este tipo de ação.

O ranking

A Forbes divulgou no segundo semestre de 2015 o seu ranking das companhias mais inovadoras do mundo. Para entrar nesse ranking, a empresa precisava de 7 anos de registros financeiros e de no mínimo U$ 10 bilhões de dólares em valor de mercado. Por isso, algumas grandes empresas como o Facebook ficaram de fora.

Com o uso de um sistema proprietário do Credit Suisse chamado HOLT, uma equipe formada por pesquisadores de Harvard e do MIT determinou para a revista algo que chamaram de “Prêmio de Inovação”. De maneira simplificada, tentaram trazer o valor futuro do fluxo de caixa da empresa para valor presente e compararam o resultado com o valor atual da empresa (Enterprise Value). O Prêmio de inovação é quanto esse valor futuro é maior que o valor atual da empresa, ou seja, quanto de valor o mercado dá para os projetos futuros, ainda não realizados, da companhia.

Fábrica da TeslaTodo o processo de análise busca encontrar o valor do prêmio de inovação da empresa naquilo que é verdadeiramente inovador, como novos produtos, serviços e mercados. Buscam dessa forma, filtrar empresas que por exemplo estão crescendo mais em virtude de estarem em países de alto crescimento como Índia e China do que pela inovação em si.

O que faz uma companhia inovadora?

Se você for falar com os altos executivos, eles enchem a boca para falar de inovação, mas poucos realmente são inovadores. Inovação está mais na prática do que nas palavras. É algo mais relacionado com soluções do que com gastos em pesquisa e desenvolvimento ou marketing.

Um grande negócio é aquele que melhor resolve o problema das pessoas.

Não basta ter um grande líder para uma companhia ser considerada inovadora. A companhia como um todo é que precisa estar engajada na criação de soluções, em desenvolver novos e mais eficientes produtos e serviços.

Ao entrevistar os fundadores e presidentes das companhias com maior prêmio de inovação, os pesquisadores descobriram algumas peculiaridades.

Os grandes líderes são aqueles que fazem as perguntas corretas. Perguntas que podem transformar o mundo. Guarde isso para quando eu for falar do Elon Musk mais pra frente.

Mas também não basta perguntar. Quem aguentaria alguém que só fica perguntando, não é mesmo? Esses líderes também chamam a responsabilidade para responder essas perguntas. Eles saem da zona de conforto, colocam a mão na massa, botam a cara no mundo, tudo com o objetivo que encontrar a melhor forma de respondê-las.

Eles experimentam de diversas maneiras. Tentam a todo custo resolver problemas. Testam e aprimoram as soluções encontradas de modo a fazer o melhor.

Esses grandes líderes criam uma companhia que são seu próprio espelho. Fazem com que todos os funcionários trabalhem com a mesma gana e paixão. Contratam os melhores profissionais e tentam estimular e extrair o máximo de cada um.

Nas empresas inovadoras, os presidentes (CEOs) costumam gastar o dobro do tempo em processos de inovação do que os CEOs das empresas não inovadoras. Atuam como catalizadores do processo criativo e de inovação.

Para você entender melhor como trabalham o líder e a sua empresa inovadora, nada melhor do aprender um pouco sobre a número 1 do mundo.

Tesla Motors

Tesla MotorsNão basta apenas fazer um carro. Você precisa fazer o melhor carro. Mas não é só isso. O carro precisa ser 100% elétrico, com bateria que dure uma semana por carga (grátis) em qualquer uma das estações solares espalhadas pelos EUA. Mas isso ainda não é o suficiente. O carro precisa ir de 0 a 100 km/h em menos de 3 segundos e ser o carro de 4 portas mais rápido do mundo. Mas ainda está faltando alguma coisa. Ele precisa ser o carro mais seguro do mundo de modo a ter uma nota nos testes de colisão acima do máximo. Também deve ser possível você escolher, montar e comprar o carro pela internet e recebê-lo na porta de casa. Não está satisfeito? Que tal um design matador como o do Model S na foto que ilustra esse artigo?

Ainda quer algo mais? Saiba que num carro da Tesla as maçanetas ficam escondidas e aparecem apenas quando você se aproxima do carro. Um carro da Tesla também não precisa ser ligado, basta você entrar nele, se posicionar e ele está pronto pra sair. Nada de girar chave ou apertar botão. Por não ter motor a combustão, você tem 2 porta-malas. Um tradicional na traseira e um abaixo do capô. O motor elétrico e a enorme bateria no assoalho do veículo abaixam o centro de gravidade, tornando o carro mais estável e excepcionalmente seguro em batidas laterais. Existe ainda uma enorme tela na região central do painel, onde é possível acessar o computador do carro e ajustar cada detalhe do veículo. E é um computador de verdade, nada que lembre os atuais computadores de bordo, que medem o consumo e a autonomia. Além de tudo isso, o carro ainda dirige sozinho na estrada. É sério!

Ficou claro agora o que é inovação?

Numa época de crise para a indústria automobilística, principalmente para a norte-americana, ter aparecido alguém como Elon Musk para começar uma companhia do zero foi algo espantoso. A última fabricante de carros a ser inaugurada, dentre as que ainda existem nos EUA, havia sido a Jeep, em 1941.

Elon Musk Tesla
CEO da Tesla Motors, Elon Musk

Não bastasse isso, a Tesla chegou com uma receita diferente do que a indústria pregava. Nada de fazer carros ultra-baratos, com cortes de custos extremos e usando tecnologia ultrapassada. É uma marca que veio para tentar criar uma nova indústria de carros. Da mesma forma que o iPod fez com o Discman e o iPhone fez com o Blackberry, a Tesla veio para romper com o passado dos carros a combustão.

As inovações da Tesla estão alguns passos na frente das outras empresas. A diferença dos seus produtos para os demais é tão gritante que fica difícil até de imitar. Por isso, o público aceita pagar mais caro pelos seus produtos. É algo como lançar o carro dos Jetsons na época dos Flintstones. Duvida? Veja o vídeo ao final do artigo com todos os detalhes do Model S. Perceberá que até a chave tem um certo DNA alienígena.

Nada disso seria possível se não fosse a habilidade empreendedora e os sonhos grandes do fundador. Lembra da pergunta que os grandes líderes fazem? A pergunta de Musk quando estava na faculdade foi “O que pode mudar o futuro da humanidade?”. E as cinco respostas que ele conseguiu foram: “a internet, energia sustentável, exploração espacial (e a expansão permanente da vida fora da Terra), inteligência artificial e a reprogramação do código genético humano.” Sua imaginação é tão grande quanto a vontade de colocá-la em prática.

Exemplo de inovação na Tesla Motors

Para entender ainda mais como a Tesla é uma empresa fora da realidade é importante saber que muitas das soluções criadas dentro da empresa não são vistas diretamente no automóvel. Grande parte da genialidade está nos bastidores. Leia essa história que vou contar agora.

Quando o novo CIO (Chief of Information Officer), Jay Vijayan, assumiu, foi-lhe passada a tarefa de desenvolver um novo sistema ERP (Enterprise Resource Planning). É um software extremamente complexo que gerencia todos os aspectos de uma grande empresa, como consumidores, fornecedores e todo o ciclo de vida dos produtos. A empresa líder de mercado nesse setor em todo mundo é a alemã SAP, que é a fornecedora desse sistema para 9 entre as 10 maiores companhias automobilísticas do mundo.

Painel do TeslaEm geral, um sistema desse pode levar anos e dezenas de milhões de dólares para ser desenvolvido. É necessária toda uma integração entre softwares e a escalabilidade futura é de difícil implementação. Por esse motivo, a maioria das empresas compra o produto pronto e configura de acordo com as suas necessidades.

Como o fundador e CEO da Tesla, Elon Musk, não faz parte da maioria, ele decidiu que precisava de um sistema próprio. Chamou Jay Vijayan e disse que ele e sua equipe de engenheiros precisavam desenvolver esse software a partir do zero. Ele precisava de um sistema mais rápido e que atendesse as principais necessidades da empresa. O que já seria uma tarefa hercúlea, se tornou ainda mais desafiadora. Ele precisava do sistema pronto e rodando em poucos meses a um custo de 20% da solução do mercado. E o que aconteceu? Simplesmente, Vijayan e sua equipe entregaram a solução pronta em apenas 4 meses!

Sabe por que eles conseguiram entregar um resultado até entao considerado impossível? Nas palavras do próprio Vijayan: “Elon não fica satisfeito com bom ou muito bom. Ele quer o melhor. Então ele pergunta aos candidatos a uma vaga na Tesla que tipos de problemas complexos eles já resolveram e quer os detalhes.”

Companhias fora-de-série são feitas por fundadores fora-de-série, com funcionários fora-de-série, criando soluções fora-de-série.

Veja o tanto que foi economizado por essa visão de querer uma solução própria, encontrar as pessoas corretas e colocá-la em prática de uma maneira sobrenatural. Não é só isso. Imagine todo o impacto no desenvolvimento e controle dos novos projetos com uma solução específica voltada para a empresa. Isso sim é dar valor ao dinheiro do acionista.

Onde você entre nessa?

Você deve estar se perguntando: o que eu ganho com isso? Bom, ter gênios trabalhando com esse grau de comprometimento dá retorno. As ações da Tesla, negociadas na NASDAQ sob o código TSLA, multiplicaram o valor por 15 desde o lançamento em 2010. Poucas empresas no mundo valorizaram tanto nesse período.

Mesmo que ainda não dê lucro, pois é uma empresa em constante investimento tanto para desenvolver novas tecnologias como para ganho de mercado, as perspectivas futuras são fantásticas. Mesmo com a queda do preço do petróleo em todo mundo, ainda há um desejo muito grande de milhões de pessoas terem um veículo não poluente com todas as demais qualidades que tornam os carros da Tesla únicos no mundo. E se vai demorar para termos algum carro deles no Brasil, pelo menos podemos comprar um pouquinho da empresa agora à distância.

No vídeo abaixo, uma apresentação fora de série do Tesla Model S.

Saiba também quais são as outras quatro companhias mais inovadoras do mundo.

PS: Pra não dizer que eu desprezo as empresas brasileiras, duas aparecem no ranking, a Cielo (46º lugar) e a Ambev (58º lugar). Nem precisa dizer que são duas das empresas mais bem administradas e que mais deram retorno aos acionistas no Brasil. Só reforça o retorno financeiro que a inovação é capaz de proporcionar.

PS2: Para saber mais sobre Elon Musk e suas empresas de outro mundo, sugiro essa série de artigos do site Wait But Why.

Fontes: Revista Forbes e Wait But Why

 

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Este post tem 12 comentários

  1. Avatar

    A Tesla com certeza é uma empresa diferenciada … aparentemente está conseguindo um caminho diferente da GE, que tentou ser uma empresa super inovadora, e até é, só que em números é bastante bagaço pra pouco suco..

    1. Investidor Internacional

      Olá Rodolfo,

      Manter a inovação em companhias do tamanho da GE é bastante desafiador.

      A Tesla é muito nova e promissora. Se forem bem sucedidos farão com a indústria automobilística o que a Apple fez com a de celulares.

      Abçs!

  2. Avatar

    Excelente artigo!
    E pensar que um carro destes pouco tempo atrás era apenas uma visão.

    1. Investidor Internacional

      Olá Uó,

      Justamente os gênios fazem a visão se tornar realidade.

      Já imaginou não precisar abastecer o carro nunca mais?

      Já pensou como ficará o ar das grandes cidades apenas com carros elétricos?

      Abçs!

  3. Avatar

    Respeito a indicação, mas deixei de investir num fundo de ações dessa empresa no ano passado qdo descobri q a mesma não dá lucro e tem enfrentado problemas na linha de produção deixando de honrar seus compromissos. Acho q assim como muita empresa do universo .com a Tesla promete mais do q cumpre, como se fosse uma vendedora de sonhos. Melhor tomar cuidado e pesquisar bem antes de apostar nela.

    1. Investidor Internacional

      Olá Rodolfo,

      Não foi indicação não. Foi para mostrar o que é uma empresa inovadora. Investir ou não investir é uma decisão individual.

      Eu também tinha essa mesma impressão sua antes de aprender uma coisa:

      Empresas em franco crescimento não lucram. Elas reinvestem toda a receita (e ainda fazem dívida).

      Veja a Amazon. Ela teve prejuízo em 2012 e 2014 e lucro de U$ 0,70 por ação nos últimos 12 meses para uma ação que vale hoje cerca de U$600,00. Além disso, nunca pagou dividendos. Mesmo assim, o mercado precifica a empresa em U$ 282 bilhões. Ela subiu em torno de 100% apenas em 2015. Vai chegar uma hora que ela irá lucrar, mas ninguém sabe quando (a empresa já tem 20 anos!). Às vezes tem um sell-off grande na ação de gente que perdeu a paciência de esperar.

      Então, lucro não é o único parâmetro para avaliar uma empresa. É preciso avaliar cada caso de maneira mais profunda.

      Revolucionar uma indústria não é simples. O número de problemas no caminho é imenso. Entretanto, a empresa tem e contrata as melhores pessoas para resolvê-los.

      Abçs!

      1. Avatar

        Essa é realmente uma opinião bem diferente. Estou acostumado com a margem de segurança do Buffett/Graham.
        De todo modo, não deixa de ser válida. Gastar com novos projetos é mostrar que a empresa está investindo em si mesma. Num primeiro momento imagino que a companhia inclusive fica dependente desse modelo de negócio de sempre crescer inovando, ao contrário do que é mais fácil que é estabilizar num produto e melhorar a operação.
        Ainda não tenho coragem para colocar dinheiro, mas é sempre bom arejar a cabeça com essas novas ideias.

        1. Investidor Internacional

          Olá Antonio,

          Esse modelo Buffett-Graham pode ser útil para empresas já estabelecidas, mas a dinâmica em empresas de crescimento é mesmo outra.

          Abçs!

          1. Avatar

            Qual seria o (ou os) modelo indicado para avaliar empresas em crescimento?

  4. Avatar

    Como sempre, excelente post. Se puder, também, mandar pra mim, eu agradeço.

Deixe uma resposta

Posts com maior repercussão

Fechar Menu