A ciência da longevidade

longevidade

Veja como investir na medicina do século XXI

Como você já deve ter percebido em seu próprio círculo familiar, os seres humanos tem alcançado idades cada vez mais avançadas. Na minha família mesmo, já atingimos a marca de 100 anos e alguns especialistas acreditam que em breve haverá um número razoável de pessoas acima dos 120.

Estudos clínicos visando o estudo da longevidade dobraram de número nos últimos 7 anos. Apenas em 2018 foram investidos mais de 800 milhões de dólares em startups voltadas ao anti-envelhecimento.

Tida até mesmo nos dias atuais como um processo natural, o envelhecimento já é considerado por muitos como uma doença que pode ser tratada ou pelo menos postergada.

Este novo entendimento traz uma série de repercussões que vão desde aspectos individuais como qualidade de vida até os custos com atendimento médico e hospitalar, passando pela sustentabilidade dos modelos de previdência e aposentadoria.

É assunto para um outro post, mas acreditar que você pode parar de trabalhar cedo, porque atingiu um montante tal que lhe permitirá viver bem até o fim da vida é algo bem perigoso.

Mas o que falarei neste artigo é como você, investidor, pode participar desse mercado de alto crescimento capaz de tomar uma parte relevante dos mais de 3 trilhões de dólares, que correspondem ao mercado mundial de saúde.

O que é o envelhecimento?

Segundo um artigo publicado na revista Cell, chamado “The Hallmarks of aging”, o envelhecimento é caracterizado pela perda progressiva da integridade fisiológica, levando a um funcionamento anormal e maior vulnerabilidade à morte. Esta deterioração é o fator primário para a maioria das doenças humanas, incluindo câncer, diabetes, doenças cardiovasculares e neurodegenerativas.

Os cientistas categorizaram em 9 tipos os processos biológicos que levam ao envelhecimento:

  1. Encurtamento do telômero (extremidade dos cromossomos)
  2. Dano ao DNA
  3. Erros na expressão dos genes
  4. Proteínas se tornando menos funcionais
  5. Células não morrem quando estão programadas para morrer
  6. Má função na produção de energia celular pelas mitocôndrias
  7. Comunicação celular ineficiente
  8. Desbalanço metabólico
  9. Depleção de células-tronco

Um dos pontos-chave do processo de envelhecimento está relacionado ao DNA. No processo de multiplicação celular nem sempre os genes são copiados perfeitamente e as novas células acabam não sendo geneticamente idênticas à célula-mãe.

Conforme os anos vão passando, esses erros vão se acumulando. Isso altera a função dos genes e todo o processo decorrente deles como a produção de proteínas e o controle de inúmeros processos moleculares passa a não funcionar adequadamente. Um defeito nos genes supressores de tumor, por exemplo,  pode levar ao surgimento de câncer.

A própria célula possui mecanismos de reparo de DNA, mas que podem não ser suficientes se os erros forem muitos. Uma das vertentes de pesquisa, inclusive, é melhorar os mecanismos de reparo de DNA.

Mudança de paradigma na medicina

O entendimento sobre os processos que levam ao envelhecimento, particularmente no que se refere ao componente genético pretende transferir a abordagem do processo curativo e relacionado aos sintomas para a abordagem preventiva.

O objetivo será impedir que o mau funcionamento das células leve a doenças. Inúmeras empresas têm investido em pesquisas que permitem não só sequenciamento do DNA, como também a detecção e a solução de problemas a ele relacionados.

O Projeto Genoma Humano criou o primeiro “rascunho” de um DNA humano no ano 2000, após um processo de 15 meses e que custou 300 milhões de dólares. Em 2003, com mais 150 milhões de dólares investidos, chegou-se ao resultado final de DNA humano completo.

Hoje, é possível sequenciar o DNA humano por menos de 500 dólares! Espera-se que nos próximos anos, este valor caia para menos de 100 dólares. Essa brutal redução de custos fatalmente levará à massificação da análise genética no rol de exames laboratoriais.

Os tipos de tratamento

Células-tronco

As células-tronco são células totipotenciais, capazes de se transformar em qualquer tipo de célula do corpo humano. Conforme envelhecemos, o número de células-tronco que produzimos diminui. Esta queda está relacionada com a piora da função dos órgãos.

Diversas companhias têm desenvolvido tratamento de reposição de células-tronco, que substituem as células defeituosas. Em animais de laboratório, elas foram capazes de prolongar o tempo de vida em até 40%.

Senolíticos

Como você viu anteriormente, o mau funcionando celular leva a uma série de doenças relacionadas, como aterosclerose, inflamações, perda da função de órgãos e tecidos, etc.

As drogas senolíticas são capazes de identificar e matar essas células velhas e defeituosas, também chamadas de células-zumbi.

Os estudos em animais mostraram que ratos tratados com essas drogas chegam muito mais saudáveis a uma certa idade do que os ratos que não as receberam. Sabe aquela ideia de chegar aos 80 com o corpo de 30? Está mais perto do que você imagina.

É algo tão moderno, que a maior parte dos artigos que encontrei foi publicado em 2019.

Terapia gênica

Atualmente já existem 5 genes identificados que contribuem para o prolongamento da vida. Avaliar e, se for o caso, corrigir o mau funcionamento desses genes pode ser um importante caminho para melhorar o funcionamento das células e retardar o envelhecimento.

Quais as principais ações no mercado da longevidade?

Existe uma série de empresas desenvolvendo soluções que retardam o envelhecimento.

Illumina (NASDAQ:ILMN)

Eu já escrevi um artigo específico sobre a Illumina, empresa líder no sequenciamento de DNA.

Crispr Therapeutics (NASDAQ:CRSP)

A empresa atua em diversas frentes como tratamento de hemoglobinopatias, oncologia e medicina regenerativa. CRIPR é a sigla para Clustered Regularly Interspaced Short Palindromic Repeats. É uma técnica que permite editar o DNA.

Thermo Fisher Scientific (NYSE:TMO)

A companhia produz uma vasta gama de equipamentos laboratoriais usados na pesquisa e nos procedimentos relacionados aos estudos genéticos sobre envelhecimento e longevidade.

Conclusão

Se no passado, a ideia de máxima longevidade, e por que não dizer eternidade, vinha de bilionários excêntricos que gastavam fortunas para congelar seus corpos após a morte com a esperança de serem “acordados” com alguma tecnologia futura, hoje a ideia é menos mórbida. Ela está mais ligada a tomar algumas pílulas por dia e retardar o processo de envelhecimento e o aparecimento de doenças.

Se existe uma coisa em que as pessoas gastam dinheiro com prazer é para ficarem jovens e bonitas. Mesmo que esse não seja seu objetivo, estar do outro lado do balcão, sendo acionista das melhores e mais inovadoras empresa de biotecnologia do mundo poderá deixar seu patrimônio com uma cara muito melhor.


Encontrei este vídeo da geneticista Lygia Pereira que trata deste assunto e mostra diversos outros exemplos. Vale a pena conferir.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Este post tem 8 comentários

  1. Avatar

    Post muito bom! Parabéns!

  2. Avatar

    Boa Raphael…de volta aos bons artigos.
    Tem uma chinesa que vem fazendo um bom trabalho nessa área e tem código NASDAQ: BGNE.

    Abs.

  3. Avatar

    Mais um ótimo trabalho. Parabéns Raphael.

  4. Avatar

    Olá II,

    Eu tenho apenas uma ação no setor de medical. é a ABBV (Abbvie). Ela é uma boa pagadora de dividendos. Tem tido um registro de impairment no annual report de 2018 porém eles tinham perspectivas de retomada de crescimento.

    Conhece essa empresa? O que acha dela? Eu sou investidor de longo prazo.

    1. Raphael Monteiro

      Olá Alexandre,

      Conheço sim. A Abbvie é um spin-off da Abbott. O problema é que ela vai perder a patente do Humira, seu best-seller, em breve e ainda não encontrou uma droga tão promissora para ocupar esse espaço.

      É preciso ficar atendo nisso.

      Abçs!

Deixe uma resposta

Posts com maior repercussão

Fechar Menu