Ações da Tesla: como investir

ações da tesla como investir

Conheça mais sobre a empresa de Elon Musk que está revolucionando o mercado automotivo mundial

As ações da Tesla estão entre as mais populares do mundo. Também pudera, no mundo das empresas disruptivas, ela é a que tem chamado mais a atenção em todo mundo. Isso se justifica por causa uma reviravolta em um mercado que tinha permanecido estagnado há décadas.

Não tenha dúvida de que os carros fabricados hoje são muito mais avançados em todos os sentidos, exceto a beleza, que os fabricados há 100, 50 ou 20 anos. Entretanto, a parte principal dos carros, o motor a combustão, tem mantido a mesma tecnologia básica de funcionamento desde o início.

Eis que surge a Tesla…

O início

A Tesla (NASDAQ:TSLA) foi fundada como Tesla Motors em 2003 por Martin Eberhard e Marc Tarpenning. Eles tinham o objetivo de montar uma empresa automotiva que também fosse uma empresa de tecnologia. Entre as tecnologias-chave para eles estavam a bateria, o software e o motor próprio.

No ano seguinte, 2004, a empresa recebeu 6,5 milhões de dólares de investimento de Elon Musk. Foi parte do dinheiro que ele recebeu ao vender o Paypal dois anos antes. Desta forma, Musk se tornou o maior acionista e chairman do corpo de diretores.

O plano mestre

Em 2006, Musk escreveu o plano mestre da empresa, que consistia no seguinte:

“Criar um carro de baixo volume, que necessariamente seria caro

Usar esse dinheiro para desenvolver um carro de volume médio a um preço mais baixo

Usar esse dinheiro para criar um carro acessível e de alto volume

E…

Fornecer energia solar.” => Sim, isso está literalmente escrito no site há mais de 10 anos!

E é exatamente isso que tem acontecido, ou no caso, já aconteceu, pois todos os itens acima foram cumpridos.

Vejamos:

O Tesla Roadster foi o primeiro carro produzido. Um conversível esportivo e elétrico não é o tipo de carro mais vendido em qualquer lugar do planeta. A produção do modelo começou em 2008 e, em 2009, foram vendidos 147 carros pela bagatela de 126 mil dólares cada.  Valor suficiente para comprar uma Ferrari semi-nova nos Estados Unidos.

Tesla Roadster
Tesla Roadster: onde tudo começou

Em 2012, o Model S foi lançado. Um sedã de quatro portas vendido por entre 57 e 87 mil dólares a depender dos opcionais e dos incentivos fiscais do estado de compra.

O terceiro veículo, o Model X, um SUV de luxo, foi lançado em 2015, por um valor a partir de 80 mil dólares, cobrindo o segmento preferido dos consumidores americanos.

Em 2017, o veículo de massa, chamado Model 3, chegou ao mercado americano custando a partir de 35 mil dólares. É hoje, disparado, o modelo mais vendido da Tesla.

Neste meio tempo, mais precisamente em 2016, a Tesla foi integrada com outra empresa de Elon Musk, a SolarCity. A empresa é responsável pela instalação de placas fotovoltaicas.

Assim se cumpriu o plano mestre de Elon Musk.

Expansão

Juntamente com a apresentação de novos modelos, a Tesla também se preocupou em construir fábricas que fossem capazes de produzi-los em larga escala. Apesar da primeira planta na Califórnia ter sido adquirida da Toyota em 2010, as demais foram construídas pela empresa seguindo o modelo de Gigafactory. Existe uma no estado de Nevada e outra em Xangai. Duas estão em construção no Texas e em Berlim.

Isso permitiu que a empresa pudesse atingir o nível de crescimento exponencial nas vendas conforme pode ser visto no gráfico abaixo:

Vendas de veículos da Tesla
Vendas de carros da Tesla a cada trimestre

Tecnologia e direção autônoma

O que coloca a Tesla acima da indústria automotiva tradicional é que ela não é uma fabricante de carros e coloca computadores neles. Ela é uma fabricante de computadores e coloca rodas neles. É um foco totalmente diferente.

A engenharia veicular e o chamado powertrain (componentes responsáveis por produzir e levar a força do motor para as rodas) é muito diferente de um veículo a combustão. Essa especialização é o ponto forte da Tesla, que possui assim um diferencial competitivo importante frente as montadoras que tiveram que começar do zero.

Outro ponto importante é que os veículos da Tesla têm vencido todos os comparativos com os carros tradicionais, tanto no quesito desempenho, quanto em segurança. O Model S Plaid, por exemplo, é um sedã familiar, cujo desempenho supera carros esportivos de milhões de dólares fabricados pela Bugatti, Porsche, Lamborghini e Ferrari.

E o apelo de não precisar abastecer o carro no posto, ainda mais com o preço da gasolina atualmente, atrai muitos compradores.

Já em termos de tecnologia, quando falamos de direção autônoma, os carros da Tesla estão alguns passos à frente da concorrência. No vídeo abaixo, eu mostrei como eles são superiores aos das demais empresas:

Outro dado importante, a Tesla não gasta um centavo com publicidade. A GM investe mais de 2 bilhões de dólares por ano e a Ford 1,8 bilhão com anúncios. No final das contas, a Tesla não gasta com publicidade e ainda vende todos os veículos que fabrica. Que outra empresa consegue essa proeza?

E antes que eu me esqueça, a Tesla vende diretamente os veículos para o consumidor final. Não existe uma rede de concessionárias terceirizadas. Você compra pela internet e retira o veículo em uma loja da própria Tesla.

O plano mestre número 2

Não bastasse ter cumprido o primeiro plano, Musk, mais recentemente, definiu o segundo plano mestre:

“Criar telhados solares deslumbrantes com armazenamento de bateria perfeitamente integrado

Expandir a linha de veículos elétricos para atender todos os principais segmentos

Desenvolver uma capacidade de direção autônoma que seja 10 vezes mais segura do que a manual por meio do aprendizado massivo da frota

Permitir que seu carro ganhe dinheiro quando você não o estiver usando”

São objetivos ousados, mas como já sabemos, Musk tem um histórico de cumprir as mais impossíveis promessas. E dada a velocidade do desenvolvimento tecnológico, é muito provável que nos próximos 5 anos, todas essas metas terão sido cumpridas.

Conclusão

A Tesla é a empresa que transformou a imagem do veículo elétrico de um carro compacto tosco de baixa autonomia para alguns dos melhores veículos do mundo em todos os sentidos. Ela preenche os critérios das empresas fora de série: tem uma boa história, um fundador visionário, é inovadora e possui visão de longo prazo. Resta saber o que mais ela pode entregar ao investidor após romper a barreira de 1 trilhão de dólares em valor de mercado.

Aviso: Declaro que não sou analista de valores mobiliários. As informações discutidas no artigo possuem propósito educacional e refletem única e exclusivamente meus estudos, pesquisas e opiniões. Não devem ser consideradas como recomendação de investimento.

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no google
Google+
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no pinterest
Pinterest

Este post tem 10 comentários

  1. Anônimo

    Tem um errinho.. nao é Paid, faltou um L, é Plaid, uma referencia geek para um filme, Spaceballs… velocidade ludicruous e depois plaid. Coisa geek hehe.

  2. GERDEN VIDA

    COMENTÁRIO MUITO ESCLARECEDOR E MUITO UTIL PARA QUEM TEM INTERESSE NA EMPRESA

  3. Johny tadeu pereira dos santos

    Bom dia, excelente materia, apesar dos meus 63 ANOS, sou super fã de técnologia, modernidade e empreendedorismo. Agora a pergunta é :
    – COMO INVESTIR NA TESLA ?

  4. Graciano

    Já tive Tesla na carteira, mas não sabia que a Tesla não gastava dinheiro com propaganda e não era vendido em concessionarias, mais um grande diferencial da empresa.

    Obrigado Raphael.

  5. Maria

    QuAL O PRAZO MINIMO P FICAR WM TESLA E OBTER RESULTADOS, ME PARECE QUE VAI CAAIR AGORA P 800, NÃO???

    1. Olá Maria,

      Curto prazo é um mistério.

      A dúvida é se a empresa irá crescer a ponto de justificar esse valor de mercado atual.

      Abçs!

Deixe um comentário

Posts com maior repercussão