Ações da Unilever: como investir

ações da unilever

Conheça uma das maiores empresas de consumo do mundo

Quando eu comecei a investir no exterior, era muito comum algumas pessoas dizerem que era mais difícil, pois não conhecíamos as empresas de outros países. Para corrigir este engano, eu escrevi os artigo “Empresas estrangeiras no nosso dia-dia” . Neste artigo eu mostrava todas as marcas internacionais que encontrava em minha própria casa. Acredito se você fizer o mesmo e procura nas letras miúdas das embalagens, também encontrará dezenas delas.

Dentre todas as marcas que encontrei, uma se destacava, a Unilever.

A história da Unilever

No início do século XVIII, os membos da família Jurgens, que trabalhavam como carpinteiros, recebiam parte do pagamento em manteiga. Ao revender o produto, notaram que se tratava de um negócio lucrativo. Em 1860 se mudaram para a cidade de Oss na Holanda para focar neste  negócio. Já a família Van den Bergh era formada por negociantes de manteiga que já haviam se instalado nesta mesma cidade.

Em 1871, os Jurgens compraram a patente do inventor da margarina, na época feita de gordura animal. Jan Jurgens apresentou o produto para Simon Van der Bergh, que começou a trabalhar em algo similar. Isso levou ao desenvolvimento da hidrogenação. Mal sabia ele que mais de um século depois, a gordura hidrogenada se transformaria em vilã da saúde.

Do outro lado do Canal da Mancha, na Inglaterra, a Lever & Co, uma família do ramo de mercearias começava a produzir um sabonete contendo óleo vegetal que formava espuma mais fácil que os sabonetes tradicionais da época feito de gordura animal. Era comercializado sob o nome de Sunlight.

O sucesso foi tanto que precisaram contruir uma grande fábrica em Liverpool para atender a demanda. Em 1890, o negócio se expandiu internacionalmente e as vendas do sabonete atingiram 40 mil toneladas por ano. 4 anos depois, os irmãos Lever criaram um novo produto, o sabonete Lifebuoy, voltado para a desinfecção. Era a época de Louis Pasteur, Joseph Lister e Robert Koch e os microorganismos estavam começando a ser relacionados com algumas doenças.

Ações da Unilever

Ao mesmo tempo em que os Van der Berghs faziam sucesso com a Vitello, marca da sua primeira margarina, os irmãos Lever criavam o Sunlight Flakes, o primeiro sabão em pó moderno, que mais tarde se tornou Lux Flakes.

Na Holanda, tanto os Van der Berghs, quanto os Jurgens enfrentavam problemas de fornecimento de matéria-prima. Decidiram unir forças para também estabelecer negócios na cadeia de suprimentos.

Na década de 20, os irmãos Lever começaram uma campanha encorajando a lavagem das mãos (obviamente com o sabonete Lifebuoy) antes do café da manhã, do almoço, do jantar e depois da escola todos os dias da semana. Responda nos comentários se você ainda faz isso hoje em dia.

Em 1929, os negócios holandeses já haviam feito fusões com outras empresas europeias,  também focadas em produtos desenvolvidos a partir de óleos e gorduras, formando a agora Margarine Unie. A expansão para a Inglaterra gerou uma nova fusão, dessa vez com os próprios irmãos Lever, criando enfim a Unilever.

Os negócios e produtos da Unilever

A empresa divide os seus produtos em três frentes: beleza e cuidado pessoal, alimentos e refrescantes e cuidado com a casa. São mais de 400 marcas em todo o mundo.

Beleza e cuidado pessoal

Este segmento é responsável por 41% das vendas. As principais marcas sob o comando da Unilever são muito conhecidas: Axe, Clear, Dove, Glow & Lovely, Lifebuoy, Lux, Rexona, Smile, Sunsilk e Vaseline.

Alimentos e refrescantes

Este segmento gera 38% das vendas da Unilever. É formado pelas marcas Breyers, Heartbrand, Hellmann’s, Knorr, Lipton, Magnum e Unilever Food Solutions.

Cuidado com a casa

Este segmento responde por 21% das vendas e é composto pelas marcas Cif, Comfort, Day2, Domestos, OMO, Radiant, Sunlight, Surf e The Laundress.

OMO na verdade é uma sigla e significa Old Mother Owl, ou velha mãe coruja.

De todas essas marcas, 13 são conhecidas como Billion-Dollar Brands, por venderem anualmente mais de 1 bilhão de dólares cada. São elas: Axe/Lynx, Dove, Omo, Heartbrand ice creams, Hellmann’s, Knorr, Lipton, Lux, Magnum, Marmite, Rexona/Degree, Sunsilk e Surf.

A Unilever é uma empresa internacional, com presença em 191 países e mais de 2,5 bilhões de consumidores. As vendas estão divididas em 42% nos mercados desenvolvidos e 58% nos mercados emergentes. 93% das marcas são líderes em seus mercados locais.

Assim como a Procter & Gamble, talvez a principal concorrente, a Unilever costuma fazer um trabalho de renovação de marcas, visando vender aquelas com menores perspectivas e comprar ou desenvolver outras em nichos de mercado que estejam em maior crescimento.

No momento, a empresa está vendendo a Lipton e expandindo as linhas de produtos nos segmentos de beleza e de nutrição funcional.

As ações da Unilever

A Unilever (NYSE:UL, LSE:ULVR, B3:ULEV34) por muito tempo foi registrada como duas companhias, a Unilever PLC na Inglaterra e a Unilever NV na Holanda. Em 2020, a companhia decidiu simplificar sua estrutura, tornando-se uma única empresa britânica chamada Unilever PLC.

Esta é a evolução de preço da ação negociada nos Estados Unidos nos últimos 10 anos:

Ações da Unilever

Esta é a evolução da receita no período:

Receita da Unilever

Esta é a evolução do lucro por ação:

Lucro por ação

E esta é a evolução dos dividendos:

Dividendos

Conclusão

A Unilever é uma empresa de nível mundial que atua nos principais segmentos ligados ao consumo. Sua atuação em quase todos os países do mundo a deixa menos vulneráveis a crises locais, mas a deixa exposta a situações como as da Venezuela e Argentina, bem como a desvalorizações cambiais como a do Brasil.

Seus produtos consumidos “fora de casa” sofreram forte declínio de vendas devido à pandemia, mas os produtos consumidos “dentro de casa” tiveram um consumo maior.

É uma empresa de crescimento lento, que paga um dividendo razoável e cujas ações dificilmente assustarão qualquer investidor da noite para o dia.

Aviso: Declaro que não sou analista de valores mobiliários. As informações discutidas no artigo possuem propósito educacional e refletem única e exclusivamente meus estudos, pesquisas e opiniões. Não devem ser consideradas como recomendação de investimento.

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no google
Google+
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no pinterest
Pinterest

Este post tem 8 comentários

  1. Marco Aurélio

    Sempre deixo meus parabéns pela cultura e história agregada!
    Tenho Unilever na minha carteira internacional e realmente não me assustarei da noite para o dia com a qualidade dessa ação.
    Abraços!

  2. Graciano

    É sempre bonita a história das grandes empresas desde seu início.
    Bom dia e boa semana Raphael.

  3. Mauricio Silva

    Uma dúvida, as ações negociadas nos EUA são consideradas americanas como se a empresa fosse americana e entraria como país com acordo com o Brasil em relação a tributação , já com opta por comprar da Europa e Inglaterra, já não tem o mesmo direito dos acordos tributação , ou seria que independente onde se faz a compra da ação o sistema brasileiro leva em conta somente a sede fiscal da empresa , no caso Inglaterra? (NYSE:UL Americanas , LSE:ULVR Europeia , B3:ULEV34- ADR bolsa Brasileira regras brasileiras)

    1. Olá Maurício,

      Eu entendo que se você está comprando uma ADR nos Estados Unidos, a regra fica sendo a de lá.

      No caso de um americano que compra uma ADR de empresa inglesa não há imposto sobre dividendo, pois não há imposto sobre dividendo na Inglaterra (esceto nos REITs). Agora não sei o que acontece no caso da compra feita por não residente. Se a isenção é mantida ou se é descontado os 30%.

      Abçs!

  4. Walace

    Ola! A isencao dos 30% sobre empresas inglesas eh extendido ao nao residente tambem que compra atraves das bolsas dos EUA. Essa eh uma das razoes porque eu tenho algumas PLCs.

Deixe uma resposta

Posts com maior repercussão