CAN SLIM: Como funciona essa estratégia vencedora

can slim

Conheça as bases para analisar ações de crescimento

“O segredo do sucesso em investimentos é um processo metódico e compreensivo, que usa tanto a análise fundamentalista, quanto a análise técnica em todas as suas qualidades. As características comuns dos vencedores do passado mostram o melhor ponto de partida para o processo de pesquisa.”

Este é o recado de William J. O’Neil quando ele apresenta a sua metodologia CAN SLIM no livro “How To Make Money in Stocks – A Winning System in Good Times or Bad”, publicado em 1988. De lá pra cá, muita gente tem aplicado seus métodos para investir nas melhores ações de crescimento.

Inclusive um estudo realizado pela Associação Americana dos Investidores Individuais mostra que, desde 1988, a estratégia CAN SLIM alcançou um rendimento de 20,3% ao ano contra 5,9% ao ano do S&P 500.

O’Neil estudou as melhores ações do mercado desde 1953 para encontrar o que elas tinham em comum, tanto em termos fundamentalistas, quanto no comportamento dos gráficos. Encontrou 7 fatores fundamentais que ocorreram em praticamente todas elas. Cada letra do CAN SLIM corresponde a um desses fatores e você lerá sobre cada uma delas agora.

C : Current Quarterly Earnings per share

Lucro trimestral atual por ação: deve mostrar um aumento de pelo menos 18% a 20% acima do mesmo trimestre do ano anterior.

Este dado é obtido comparando-se o lucro por ação atual com o do mesmo trimestre do ano anterior. Importante se atentar a fatores não recorrentes que podem ter modificado os resultados. Também vale a pena comparar com os mesmos trimestres dos anos anteriores para ver se o crescimento vem sendo mantido.

A : Annual Earnings per share

Lucro anual por ação: deve ser significativo o crescimento nos últimos cinco anos e deve mostrar consistência, com aumentos a cada ano em relação ao ano anterior.

A ação deve mostrar um crescimento significativo nos lucros quanto feita a comparação ano contra ano. O lucro por ação deve ser crescente, de preferência acima de 25% em relação ao ano anterior. Se o crescimento do lucro por ação estiver aumentando entre os anos, é ainda melhor.

Além dos lucros, O’Neil analisa a lucratividade da empresa por meio de três métricas principais:

  • Forte crescimento das vendas
  • Altas margens de lucro
  • Alto Return on Equity (ROE): pelo menos 17%

N : New

Novos produtos, nova gestão, novos recordes: devem ser novos produtos ou serviços sendo vendidos, ou nova gestão oferecendo inovação; preços das ações deve estar atingindo novas máximas.

Novos produtos que sejam um salto de qualidade ou sejam únicos em atender alguma demanda do mercado são algo que você procura em empresas de crescimento.

Nova administração com pessoas capazes que inovar e fazer a empresa crescer é algo que pode trazer maior qualidade e crescimento para a empresa.

Quando a ação atinge novas máximas e rompe as antigas resistências é um excelente sinal de compra, ao contrário do que muitos tendem a acreditar.

S : Supply and Demand

Oferta e procura: deve haver um pequeno ou número razoável de ações em circulação para criar pressão compradora; e deve haver aumento de volume quando a ação começa a subir.

Um dos conceitos econômicos mais básicos é o de oferta e procura. Quando há muita oferta e pouca procura, o preço cai. Quando há muita procura e pouca oferta, o preço sobe. Aumento de volume em uma ação que possui um baixo “free float” (número de ações em circulação) favorece a alta do preço. Pouco volume de negócios com grande número de ações em circulação tem o efeito contrário.

L : Leaders

Líderes: Compre líderes da indústria e do mercado, evite retardatários.

O’Neal observou que ações que historicamente possuem performance ruim tendem a permanecer assim. São os retardatários. Ao contrário, as ações que mais têm subido tendem a alcançar novas máximas. Essa, inclusive, é uma das bases da estratégia de momentum.

A força relativa é um dos principais critérios para identificar as ações que estão subindo. É uma comparação com as demais ações do mercado. Um índice acima de 50 significa que a ação sobe mais que a média do mercado. O ideal é que este índice esteja acima de 70.

I : Institutional Sponsorship

Apoio institucional: Compre ações com um pequeno número de investidores institucionais, que tenham bons históricos de desempenho.

Investir em ações que estão sendo encarteiradas por grandes instituições é seguir o “big money”. Quanto mais conhecidos forem os investidores institucionais de uma ação, mais suporte de compra ela possui. Além disso, conhecer o histórico dos fundos que a possuem podem ser um critério importante. Fundos de qualidade e ótimo histórico comprando e aumento a exposição a uma ação são um bom preditivo de que aquela ação é um bom investimento.

M – Market Direction

Mercado: A direção geral do mercado deve ser positiva.

A estratégia CAN SLIM prega que você só deve investir em ações com o mercado em alta (bull market). Mercados em baixa (bear market) não são um bom momento para investir em ações. Aguarda-se a confirmação de um mercado altista para você iniciar a procura por ações.

O sinal da “xícara e alça”

No original “Cup and handle”, este é um padrão gráfico no qual a ação faz duas formas de “U” seguidas. A primeira mais funda (xícara) e a segunda mais superficial (alça). Após o segundo “U” forma-se o padrão que invariavelmente leva a novas altas no preço da ação:

Cup and handle - CAN SLIM
Formação de “xícara e alça” no gráfico da ação indica alta

 

Conclusão

A técnica CAN SLIM, resumidamente, é uma estratégia usada para encontrar empresas de alto crescimento, que:

  • Estejam subindo mais que a média das ações em uma tendência de alta do mercado
  • São compradas por investidores institucionais
  • Têm baixo número de ações em circulação em comparação com o volume negociado diariamente
  • Têm algo novo a apresentar

Ao contrário de muitas estratégias disponíveis no mercado, esta é realmente usada por muitos investidores americanos, sejam profissionais ou amadores. O histórico de rentabilidade é muito favorável. A forte alta das empresas de tecnologia no ano de 2020 tem o dedo da estratégia CAN SLIM. Muita gente comprando os vencedores fizeram com que muitas ações continuassem em alta por meses a fio. É preciso atenção, no entanto, pois no mercado em baixa são as ações que mais podem sofrer.

Enfim, assim como os critérios do Terry Smith, acredito que o CAN SLIM possa adicionais informações adicionais  quando se procura investir por meio do stock picking. Conhecer a fundo as ações, tanto em termos fundamentalistas, quanto gráficos pode ajudá-lo a ter melhores resultados no mercado, como a história tem mostrado.

5/5 - (5 votes)

Aviso: Declaro que não sou analista de valores mobiliários. As informações discutidas no artigo possuem propósito educacional e refletem única e exclusivamente meus estudos, pesquisas e opiniões. Não devem ser consideradas como recomendação de investimento.

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no google
Google+
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no pinterest
Pinterest

Este post tem 12 comentários

  1. Marcos Celio

    A estrategia é muito boa e deve levar sim a resultados consistentes. O problema é garimpar essas ações no gigantesco mercado americano sem a ajuda de um bom software.

  2. Sergio

    Bom dia Raphael! É uma técnica interessante q eu até já faço uso em parte (uso da análise gráfica junto com algumas ferramentas fundamentalistas), mas não conhecia esse livro. Vou comprar e ler. Valeu pela dica.

  3. Holder Global

    Muito bom a matéria do conteúdo parabéns…..obrigado por compartilhar…..abraço…..

  4. Marcelo

    Olá Raphael. Coincidentemente, já aplicava esses conceitos em sua grande maioria. Evidentemente, essa abordagem do “Cup and Handle” achei bastante interessante e inovadora para mim, uma vez que buscava sempre uma consistência entre lucro x cotação. Se observarmos com bastante atenção, o período pós-pandemia iniciado em abril de 2020 representa muito bem esse padrão, uma vez que a grande maioria das empresas tiveram um movimento típico de “alça”, quando ao terem seus preços duramente afetados, recuperaram-se logo após levando o mercado a atingir índices jamais vistos, superando, com folga, à época da exuberância irracional do início dos anos 2.000, conforme podemos observar nos dias de hoje. Talvez acrescentar uma análise dos Ciclos de Mercado seria bastante interessante. Muito bom esse artigo Raphael. Gostei bastante. Esses compartilhamentos de insights, fruto de suas pesquisas, são valiosas por demais. Para mim tem sido de grande valia e tem ajudado muito em meu aperfeiçoamento como investidor.

  5. Rafael

    Bem interessante o assunto, alguns itens com certeza são de grande valia. Só não concordo em comprar só no bull market, no bear é a chance de você adquirir muito mais ações com valor mais baixo, e em uma retomada ter um grande retorno.

    1. Olá Rafael,

      A estratégia, acredito eu, só funciona em todos os seus aspectos. Critério é critério.

      Abçs!

  6. André

    É uma estratégia mas na prática bem complexa pois envolve analise fundamentalista, valuation, momentum e grafismo. Sem um time atuando é quase impossível por em prática.

    1. Olá André,

      Requer atenção em todos esses detalhes, mas ,como mostrado, traz resultados.

      Como eu costumo dizer, stock picking não é tão simples como tentam vender.

      Abçs!

Deixe um comentário

Posts com maior repercussão