Companhia maravilhosa

companhias maravilhosas

Veja como reconhecer a companhia maravilhosa de Warren Buffett

Eu procuro não citar Warren Buffett com frequência, mas quando alguma de suas frases ou ideias dão margem a uma discussão mais profunda sobre algum assunto que irá beneficiar os pequenos investidores, eu acabo cedendo.

Você já deve ter ouvido a seguinte frase do Oráculo de Omaha:

“É muito melhor comprar uma companhia maravilhosa a um preço justo do que uma companhia justa a um preço maravilhoso.”

Pois bem, você já parou para pensar sobre o que seria uma companhia maravilhosa?

Nas palavras do próprio Buffett, a definição de companhia maravilhosa está intimamente ligada ao conceito de “fosso econômico”, uma vantagem competitiva e duradoura que permite a uma empresa se difrenciar dos concorrentes e obter retornos superiores, mesmo em ambientes competitivos de negócios ou durante as crises econômicas.

Dentro dessa filosofia de investimento, devemos considerar as características que destacam uma companhia das outras e elas envolvem aspectos qualitativos e quantitativos. Os aspectos qualitativos estão relacionados a características não diretamente mensuráveis com números, como apelo da marca, qualidade dos gestores, modelo de negócios, exclusividade dos produtos, satisfação dos clientes, cultura corporativa, etc. Os aspectos quantitativos estão relacionados a lucratividade, evolução de receita e lucros, situação financeira, entre outros.

Abaixo eu enumero 10 características que tornam uma empresa maravilhosa e mostro alguns exemplos.

As 10 principais características das companhias maravilhosas

Vantagens competitivas fortes e duradouras

Aqui entra o pioneirismo e o domínio de determinado mercado, a dificuldade dos clientes em trocarem para um concorrente, a qualidade incomparável dos produtos ou do modelo de negócio e a força da marca.

Como exemplo, temos o Windows da Microsoft (NASDAQ:MSFT), que é o padrão em sistema operacional para computadores e notebooks, o Google (NASDAQ:GOOGL,GOOG), que domina praticamente todo o mercado de buscadores de internet e a Adobe (NASDAQ:ADBE), que possui o Photoshop, software líder na edição de imagens.

Liderança de mercado

A liderança de mercado está firmemente relacionada ao fator anterior. Imediatamente me vem à mente as mesmas empresas citadas antes, mas também a Colgate-Palmolive (NYSE:CL), líder mundial em produtos de higiene oral. É quase impossível alguém no mundo civilizado não ter pelo menos um tubo de pasta de dente da Colgate no banheiro.

Poder de precificação

Quando uma empresa produz produtos tão extraordinários que conquistam e satisfazem milhões de clientes pelo mundo e, além disso, tornam esses produtos objetos de adoração dos clientes, ela consegue vendê-los pelo preço que bem entender. A Apple (NASDAQ:APPL) vem logo à cabeça, pois consegue vender smartphones, tablets e computadores a preços muito superiores aos da concorrência.

Presença em um mercado favorável

Devemos saber se a empresa está num mercado em crescimento e com perspectivas claras ou em um mercado incerto e em constante mudança. Como exemplo, posso citar a Walt Disney Company (NYSE:DIS). Ela está no mercado de cinema, que tem se sustentado muito bem, no de parques temáticos, também bastante previsível, e agora está entrando no mercado de streaming, com o Disney+. Já o mercado de tabaco, apesar de ainda ser lucrativo, tem vendas cada vez menores.

Presença de múltiplas fontes de receita

Uma empresa que não depende apenas de uma fonte de receita, podendo diversificar seus mercados, tem vantagens que uma empresa unidimensional não possui. Como já falado, a Walt Disney Company consegue receita de parques temáticos, programas de TV, filmes e agora streaming. A Apple vende uma série de aparelhos tecnológicos, bem como diversos serviços associados. A Toyota Motor (TYO:7203), por exemplo, apesar de ser líder mundial e produzir produtos de qualidade, vende apenas carros, mercado que é não é tão favorável no momento.

Resiliência a avanços tecnológicos

Aqui entram empresas que não estão susceptíveis a disrupção tecnológica. Uma empresa como a Boston Beer Company (NYSE:SAM), fabricante da cerveja Samuel Adams, um produto que é consumido há séculos, vai continuar vendendo a bebida independente das novas tecnologias. Por outro lado, empresas de varejo, do setor bancário e de pagamentos tem sido afetadas de uma forma ou de outra com as novas tecnologias.

Forte geração de caixa

Agora começamos a mencionar fatores numericamente mensuráveis. Aqui entram a geração de Fluxo de Caixa Livre (FCL), ou seja, se a empresa tem gerado mais dinheiro do que tem gastado. Também é importante a relação FCL/Receita , que indica quanto das vendas efetivamente sobra como dinheiro. E por último a taxa de conversão em dinheiro, que é medida pela relação FCL/Lucro Líquido. Quando esta relação é maior que 1 indica que a qualidade do lucro é alta.

Rentabilidade superior

Aqui devemos comparar as margens da companhia, bem como o ROE (Return on Equity) e ROA (Return on Assets), com as da concorrência. A Apple é uma empresa que se destaca. Sua margem EBITDA é de 29,5% frente à média de 10,5% do setor. A margem líquida é de 21,5% frente à média de 2,4% do setor. O ROE é de 52,7% frente à média de 4,6% do setor.

Crescimento superior da receita

Uma empresa com receita em constante crescimento significa que ela está conseguindo vender mais produtos ou conquistar mais clientes. Pode indicar que está ganhando mercado e indiretamente que seus produtos têm feito sucesso.

No gráfico abaixo temos a evolução da receita da Netflix (NASDAQ:NFLX), que é o que você procura em uma empresa de crescimento:

empresas maravilhosas
Evolução da receita da Netflix em cada período de 12 meses.

Sólida posição financeira

Uma companhia maravilhosa possui uma sólida situação financeira. Existe uma série de dados para avaliá-la. Você pode começar com o rating de crédito dado pelas empresas especializadas como Moody’s e Standard & Poor’s. O Z-Score de Altman é uma fórmula que calcula a probabilidade da empresa ir à falência nos próximos 2 anos e usa dados da demonstração de resultados e do balanço. Um valor acima de 2,99 indica que a empresa está segura. O F-Score de Piotroski é outro modelo consagrado que avalia a saúde financeira de uma companhia. São 9 critérios. A aprovação em 7 ou mais indica uma posição financeira confortável. A Microsoft, por exemplo, é rating AAA pela Standard & Poor’s, possui Z-Score de Altman de 5,37 e F-Score de Piotroski de 8.

Conclusão

Encontrar ações de companhias maravilhosas é a principal tarefa dos investidores que desejam retornos superiores no longo prazo. Faça a avaliação das empresas que você tem em carteira ou que pretende investir e veja se elas passam por esses critérios.

Perceba ainda que a amplitude do mercado internacional lhe oferece uma gama muito maior de empresas capazes de possuir as características aqui relacionadas.

Pra finalizar, você conhece alguma outra empresa que passaria por todos esses filtros? Deixe sua resposta nos comentários.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Este post tem 10 comentários

  1. Avatar

    Eu diria a Berkshire
    Nada melhor que confiar no conglomerado do maior investidor de todos os tempos

    1. Raphael Monteiro

      Olá Claudio,

      Eu particularmente não conhecia, mas parece uma empresa bem interessante.

      Abçs!

  2. Avatar

    A boa e velha Walmart…

  3. Avatar

    Olá II, tudo bem?

    Realmente os aspectos que você menciona são excelentes.
    Uma dúvida…ouço muita gente falar do método de discounted cash flow para fazer análise. Você usa isso?

    Att,
    Alexandre

    1. Raphael Monteiro

      Olá Alexandre,

      Sim, o fluxo de caixa descontado é o método padrão para projetar resultados futuros e avaliar se a ação está sobre ou subavaliada.

      Talvez valeria a pena um artigo a respeito.

      Abçs!

Deixe uma resposta

Posts com maior repercussão

Fechar Menu