Fallen Angels e Rising Stars: bonds com características especiais

Entenda porque é importante conhecer estes tipos de bonds

Os investimentos no mercado internacional são tão amplos, que por mais que falemos a respeito, sempre haverá uma camada a mais de conhecimento que pode agregar aos seus resultados pessoais.

Dentro do universo da renda fixa, além das características particulares de um título, como prazo de vencimento, cupom e rating, outras duas classificações ajudam a entender melhor o comportamento dele no mercado e podem se tornar boas alternativas de investimento.

O que é rating?

Rating é a nota atribuída pelas agências de risco aos títulos de renda fixa de empresas, governos e demais instituições que captam por meio de dívida no mercado.

O rating reflete a capacidade do emissor de pagar a dívida. Quanto maior o rating, maior a probabilidade daquela dívida ser paga e menor os juros nos quais ele pode emitir. Isso significa que emissores estáveis financeiramente possuem custo da dívida menor. Já emissores de menor qualidade financeira acabam se complicando ao precisar emitir dívida mais cara.

A escala de rating é bastante ampla, como pode ser visto na escala abaixo, mas existe um ponto de maior importância onde são separados os títulos com grau de investimento (Investment Grade) e de grau especulativo (Junk ou High Yield):

rating bond fallen angels

A importância dessa mudança de nível (entre Ba1 e Baa3 na escala da Moody’s) é muito simples. Existem diversos fundos no mundo que, por questão de mandato, somente estão autorizados a investir em títulos com grau de investimento.

O que são Fallen Angels?

Um “anjo caído” (Fallen Angel) é um bond que foi classificado como grau de investimento em sua emissão, mas que em algum momento foi rebaixado para o status de grau especulativo devido à piora das condições financeiras do emissor.

O título é rebaixado por uma ou mais das três agências de classificação de risco, Fitch, Moody’s e Standard & Poor’s (S&P). Em geral, a perda de rating ocorre após o emissor do título experimentar queda de receitas, queda de lucros, queda de margens, elevação do endividamento, piora do fluxo de caixa, aumento do nível de alavancagem, etc.

Embora o rebaixamento possa ser visto como algo negativo, os fallen angels podem se tornar atraentes para investidores que desejem lucrar sobre a capacidade de recuperação da empresa. Esses bonds são considerados títulos de melhor qualidade em relação aos títulos de grau especulativo tradicionais, pois caso a empresa consiga se recuperar, eles têm o potencial de retornarem ao grau de investimento.

As empresas emissoras de fallen angels são geralmente empresas maiores e maduras, com marcas bem conhecidas. Portanto, elas geralmente têm os recursos financeiros e humanos para revitalizá-la e recuperar o grau de investimento.

Os fallen angels , por outro lado, apresentam volatilidade de preço mais elevada. Quando o mercado antecipa um rebaixamento de rating, os bonds da empresa em questão sofrem pressão de venda. Após o rebaixamento, os preços geralmente aumentam, à medida que muitos investidores correm para comprar esses títulos com fins especulativos e na esperança de que a empresa se recupere das dificuldades financeiras enfrentadas.

Os fallen angels têm em média uma qualidade de crédito superior comparados aos títulos especulativos de emissão original. Cerca de 75% dos títulos dos fallen angels são classificados como BB e, portanto, apresentam menor risco de crédito, ou seja, menor risco de calote.

Pode-se ganhar com o investimento em fallen angels comprando-os imediatamente antes ou depois de serem rebaixados, quando os preços desses títulos provavelmente estão deprimidos pela pressão de venda. A recuperação de um fallen angel tende a elevar os preços conforme aumenta a demanda pelo título.

O que são Rising Stars?

Uma “estrela em ascensão” (Rising Star) é um título emitido por uma empresa relativamente nova no mercado de capitais, com pouco ou nenhum histórico prévio, o que torna mais difícil avaliar sua capacidade de crédito. Apesar da falta de histórico, o desempenho da empresa é bom o suficiente para que o risco dos seus títulos seja menor que de empresas tradicionais, de maior histórico e de mesmo rating. No entanto, por causa da menor classificação de crédito, os títulos da empresa são frequentemente considerados de alto risco e devem, portanto, oferecer um rendimento maior.

Se uma rising star melhorar sua qualidade financeira a índices de endividamento, seus títulos serão elevados ao grau de investimento. Nesse nível, fica mais claro que ela apresenta um risco de inadimplência relativamente baixo. Só que neste momento, seus títulos já terão valorizado bem, já que a procura pelos títulos com grau de investimento são maiores. A melhor estratégia é identificar de antemão quais dessas empresas terão seu rating elevado no futuro.

Conclusão

O investimento em renda fixa no exterior é cheio de detalhes e estes são apenas dois que podem ser usados para melhorar seus rendimentos. E elas se baseiam basicamente entender a discrepância entre os juros pagos pelo título e qualidade da empresa e esperar que o mercado iguale ambos posteriormente. Quando isto acontecer, o título já terá valorizado bastante.

Aviso: Declaro que não sou analista de valores mobiliários. As informações discutidas no artigo possuem propósito educacional e refletem única e exclusivamente meus estudos, pesquisas e opiniões. Não devem ser consideradas como recomendação de investimento.

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no google
Google+
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no pinterest
Pinterest

Deixe um comentário

Posts com maior repercussão