IED: o que é investimento estrangeiro direto

investimento estrangeiro direto

IED: saiba o que significa investimento estrangeiro direto e conheça suas vantagens [GUIA COMPLETO]

Se você visitar minha página de contato, encontrará um aviso no mínimo estranho à primeira vista. Coloquei por ter recebido dezenas de e-mails nos últimos anos de leitores que possuíam algum tipo de negócio e gostariam de vender uma participação nele para mim ou para algum investidor estrangeiro.

Diante desse fato, fiquei interessado em pesquisar mais a respeito deste assunto e me deparei com o conceito de IED. É sobre ele que falarei abaixo.

O contexto brasileiro e mundial

Devido à intensa globalização e ao crescimento contínuo de novas tecnologias, o cenário econômico conta hoje com uma profunda internacionalização. Nesse quadro, há investimentos em que você deve ficar de olho. Este é o caso do IED.

Só para você ter uma ideia, apenas no segundo trimestre de 2019, foram registrados 36 projetos de investimento estrangeiro direto no Brasil, que, juntos, totalizaram cerca de US$ 15 bilhões.

ied gráfico
Dados do Ministério da Economia

 

Esse valor significativo representa um bom sinal para a economia brasileira. Afinal, o investimento direto favorece o crescimento das empresas, gera mais rentabilidade e promove o surgimento de novos empregos.

Afinal, o que significa IED?

A sigla IED significa Investimento Estrangeiro Direto. Como o próprio nome indica, trata-se de uma modalidade de investimento realizada por uma instituição ou indivíduo de outro país em um empreendimento ou negócio específico diferente de seu país de origem.

A meta desse investimento direto, geralmente, é a de promover o crescimento do negócio que recebe essa aplicação de recursos. Isso acontece, principalmente, por meio de joint ventures ou pela criação de filiais em outros países.

Entenda como funciona o IED na prática

A verdade é que depois de atingirem um determinado nível de crescimento, muitas empresas são vendidas para companhias que atuam globalmente. Isso acontece para que o crescimento desses negócios seja potencializado e gere mais lucros, beneficiando as duas pontas do negócio. Esse é um exemplo clássico de investimento estrangeiro direto.

Na prática, o investimento direto se baseia na transferência de capital de um país para o outro. Quando uma organização estrangeira adquire uma parte de um empreendimento brasileiro, é possível afirmar que houve um IED. E é, dessa maneira, que companhias multinacionais são formadas.

Quando acontece esse tipo de aplicação de recursos, todos as decisões da filial ficam sob controle da matriz internacional. Esse processo pode acontecer por meio de:

  • uma fusão
  • uma joint venture
  • uma aquisição
  • criação de uma filial

Nesse quadro, o investimento conta com:

  • empréstimos entre organizações de um mesmo segmento econômico;
  • criação de novas instalações;
  • reinvestimento de lucros conquistados em operações estrangeiras.

Se você está pensando em investir no exterior ou já é um investidor, não pode deixar de conferir os seguintes artigos:

Eles tratam de uma modalidade menos burocrática de investir em outro país, por meio do mercado de ações.

IED: vantagens do investimento estrangeiro direto

O IED conta com vantagens bastante significativas. São elas:

  • promove a economia local em que o IED é realizado;
  • fomenta o crescimento empresarial;
  • estimula o desenvolvimento da economia do país;
  • impulsiona a transformação de uma economia local e isolada em uma economia exportadora;
  • estimula a integração das economias mundiais;
  • favorece o bem-estar e o desenvolvimento da economia de nações diferentes;
  • promove a criação de novos empregos;
  • potencializa o aumento do PIB;
  • favorece a balança de pagamentos;
  • fortalece a mão de obra local;
  • promove a troca de tecnologias e o intercâmbio de habilidades técnicas.

Nesse contexto, vale destacar que a vantagem principal de um investimento direto talvez seja o fato de ele não gerar dívida.

Em relação à confiança de investimento estrangeiro direto, o país que lidera esse índice são os Estados Unidos. Isto é, apesar de algumas medidas impostas pelo presidente Donald Trump causarem uma certa incerteza no cenário econômico, os Estados Unidos ainda são vistos como um dos melhores países para realizar negócios.

Investimento estrangeiro direto em números

Segundo estudo realizado pela Cepal, em 2018, quase 50% das entradas de investimento estrangeiro direto na América Latina e no Caribe tiveram como fonte de destino à indústria manufatureira, sendo 35% dos recursos direcionados para serviços e 17% para recursos nacionais.

Em contrapartida, o Chile e o Brasil foram os países que mais receberam esse tipo de investimento em relação aos negócios que propuseram fusões e aquisições. Nesse quadro, os setores de serviços básicos, como água e eletricidade, de mineração e petróleo foram os que tiveram mais destaque.

Nesse período, os Estados Unidos se caracterizaram como principal investidor na América Central e no México. A Europa também foi bastante representativa. Já a China não obteve um resultado tão relevante, já que perdeu oportunidades em relação a fusões e aquisições na América Latina e no Caribe.

Nesse contexto, é fundamental enfatizar que ao redor do globo, o fluxo de investimentos em 2018 caiu ao seu nível mais baixo desde a crise financeira de 2008. Logo, o investimento estrangeiro direto apresentou uma contração de 19%, uma queda que ficou concentrada em países desenvolvidos.

No entanto, vale destacar, que o IED registrou um crescimento em 2018 de 3% nas economias em desenvolvimento.

Nesse quadro, o Brasil, que estava na quarta posição entre os principais destinos de IED do mundo, passou para o nono lugar, como indica a tabela abaixo:

Destinos do IED
Principais destinos para IED no mundo (retirado do G1)

 

Como conseguir IED para sua empresa?

Conseguir IED para uma empresa é a meta de vários empreendedores brasileiros. Afinal, por meio do investimento estrangeiro direto, além do capital, sua companhia pode ganhar visibilidade no mercado.

Diante disso, seguem algumas medidas úteis que você pode adotar para conseguir esse aporte financeiro.

Defina e compreenda o momento de seu negócio

Para isso, você precisa estudar se o faturamento de sua companhia está de acordo com o de outras empresas de seu ramo de atuação.

Além disso, também é essencial que verifique se a sua empresa conta com um plano de expansão claro. Está tudo sob controle? Então, você está apto a seguir o próximo passo. Caso contrário, é melhor repensar o seu modelo de negócios.

Faça parte de programas de investimento

Por apresentar uma grande população e ser uma das maiores economias do mundo, o Brasil atrai a atenção de investidores de todo o mundo. Sendo assim, é primordial que sua empresa faça parte de programas de investimentos.

Isso porque, dessa maneira, os investidores estrangeiros saberão, de fato, que sua organização está aberta a receber recursos externos. Para tanto, é importante que sua empresa conte com números interessantes e um projeto irresistível.

Tenha um excelente pitch (apresentação)

Um pitch bem-elaborado, assertivo e sucinto pode fazer toda a diferença para atrair IED. Afinal, por meio de um bom discurso, é possível atrair olhares e, até mesmo, convencer que alguém invista em sua empresa.

Sendo assim, se a sua companhia estiver fazendo parte de uma feira, fique atento, já que é bem provável que investidores em potencial façam perguntas sobre a sua organização. Desse modo, você e sua equipe precisarão apresentar um pitch afiado.

Não deixe a ética de lado

Fazer um pitch convincente é essencial para conseguir investimento estrangeiro, mas falar a verdade é tão importante quanto. Isso quer dizer que caso mostre em seu discurso uma realidade diferente de seu negócio, é bem possível que sua reputação seja afetada.

Em outras palavras, deixar a ética de lado em seu pitch, além de não ser obviamente correto, pode prejudicar o seu negócio. Afinal, não basta apenas iniciar um relacionamento com investidores, é preciso mantê-lo, não é mesmo? Nesse contexto, ser verdadeiro só faz com que você ganhe pontos.

Tenha visão

Não foque todos os seus esforços em apenas um tipo de investimento. Isso porque o mercado apresenta diferentes cenários. Isto é, caso a sua empresa esteja em fase de desenvolvimento, você pode optar pelo seed capital. Já se a sua companhia estiver em franca expansão, você pode buscar pelo venture capital.

Ou seja, tenha visão sobre o seu negócio e fique atento a outras possibilidades.

Conclusão

O investimento estrangeiro direto é uma excelente maneira de atrair capital e expandir negócios. É preciso entender o estágio pelo qual a empresa passa para encontrar as melhores oportunidades de conquistá-lo.

Caso haja uma melhora no cenário econômico brasileiro com elevação da nossa credibilidade internacional, é muito provável que recebamos uma boa quantidade de investimentos diretos no futuro.

E você? Como acha que será o cenário econômico em 2020 e nos próximos anos? Acredita que o Brasil receberá investimentos estrangeiros significativos? Compartilhe sua opinião nos comentários!

Aviso: Declaro que não sou analista de valores mobiliários. As informações discutidas no artigo possuem propósito educacional e refletem única e exclusivamente meus estudos, pesquisas e opiniões. Não devem ser consideradas como recomendação de investimento.

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no google
Google+
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no pinterest
Pinterest

Este post tem 2 comentários

  1. Avatar
    Celio Marques Justino Ferreira

    BOA NOITE RAFAEL MONTEIRO .

    PARABÉNS POR ESTE ARTIGO DE SUMA IMPORTÂNCIA NO*CONTESTO* ECONÔMICO MUNDIA .

    CORDIALMENTE .

    CÉLIO JUSTINO .

    RJ 06/01/2020 .

Deixe uma resposta

Posts com maior repercussão