Como lucrar com as melhores séries

Às vezes um bom investimento pode estar por trás da sua série favorita

Seja quando eu falei das diversas empresas estrangeiras que fazem parte do nosso dia-dia, seja quando eu comentei sobre as empresas de tecnologia e internet, como a Microsoft e a Apple, o fato é que se você prestar atenção naqueles produtos ou serviços que têm feito sucesso é possível encontrar um bom investimento por trás.

E hoje em dia o que mais tem se falado nas rodas de amigos e nas redes sociais são as séries televisivas. Difícil lembrar uma época em que havia tantas opções interessantes para assistir na TV por assinatura. Ainda mais agora com a TV online e on demand, você não tem mais a limitação de horário para assistir às melhores séries.

Bom, e se todo mundo está assistindo, alguém deve estar ganhando muito dinheiro com isso. Daí me vieram duas perguntas:

1-Quais empresas estão por trás dessas séries?

2-Elas têm ações negociadas em Bolsa?

São as respostas para essas perguntas que você terá a seguir.

O mercado de mídia e entretenimento

Ao pesquisar a origem das melhores séries, deparei-me com os dados do mercado de entretenimento. Não sei se você tem ideia do valor gerado pelos produtores de música, vídeos, livros e jogos eletrônicos no mundo, mas os números são estupendos.

Em 2016, o volume de vendas deste setor atingiu U$ 1,9 trilhões no mundo todo! É maior que o PIB do Brasil, de U$ 1,79 trilhões. Para 2017, espera-se que chegue aos U$ 2 trilhões.

Os Estados Unidos são disparado o maior mercado do mundo, com volume de vendas de U$ 712 bilhões, ou 37% do mundo. A China vem em segundo, com U$ 190 bilhões. Japão, Alemanha, Reino Unido e França vêm em seguida.

melhores séries
Existem muitas opções de séries para assistir hoje

Um fato interessante é que esse mercado nos Estados Unidos é composto tanto por pequenas e médias empresas, quanto por grandes corporações. Se você já assistiu algum documentário sobre as produções de Hollywood sabe que muitas das etapas de montagem dos filmes, como efeitos especiais e robôs podem ser terceirizados para empresas menores e mais especializadas.

Outro dado importante é o número de fusões e aquisições entre as diversas empresas do setor. Um exemplo foi a fusão do canal NBC (televisão aberta) com a Universal (estúdio de cinema) para formar a NBC-Universal, que depois foi adquirida pela Comcast (televisão a cabo).

Tudo isso representa uma convergência da indústria para atingir tanto o público das plataformas convencionais, quanto das novas plataformas digitais. E como eu já falei aqui antes, existem ainda novas fronteiras a serem exploradas nos campos de realidade virtual e realidade aumentada, que a cada dia recebem mais investimentos.

Quais as melhores séries da atualidade?

A empresa Parrot Analytics cruzou dados de audiência e repercussão em notícias e redes sociais para chegar às séries mais populares do mundo em 2017. Eis a lista:

  1. Game of Thrones (HBO)
  2. The Walking Dead (AMC)
  3. Pretty Little Liars (Freeform)
  4. Prison Break (Fox)
  5. Vikings (History)
  6. The Big Bang Theory (CBS)
  7. The Flash (The CW)
  8. 13 Reasons Why (Netflix)
  9. The Vampire Diaries (The CW)
  10. Sherlock (PBS)
  11. Westworld (HBO)
  12. Suits (USA)
  13. Grey’s Anatomy (ABC)
  14. Arrow (The CW)
  15. Supernatural (The CW)
  16. Marvel Agents of S.H.I.E.L.D. (ABC)
  17. Gotham (Fox)
  18. Lucifer (Fox)
  19. The 100 (The CW)
  20. The Grand Tour (Amazon)

Agora que você já conhece as séries, veja só quem está por trás delas:

Time Warner Inc. (NYSE:TWX) [Update: A Time Warner foi comprada pela AT&T]

A Time Warner é o terceiro maior conglomerado de mídia e entretenimento do mundo em termos de receita. A empresa foi criada pela fusão da Time Inc. com a Warner Communications em 1990.

Os focos principais da empresa são a TV e os filmes através das subsidiárias, HBO, Turner Broadcasting System (canais TNT, TCM, Cartoon Network,  Boomerang, CNN, etc) e Warner Bros Entertainment Inc (DC Comics, The CW, Hanna-Barbera, Looney Tunes, etc). Cinco das vinte melhores séries estão no seu portfolio de produtos.

A HBO como você viu é a produtora do maior hit do momento, Game of Thrones, atualmente na sétima temporada. É a segunda maior série de todos os tempos em termos de prêmios Emmy. Só no ano passado levou 12 pra casa.

Levando em conta que cada episódio da atual temporada tem custado quase U$ 10 milhões, a pergunta óbvio é “será que tem valido a pena o investimento?”.

Bom, o primeiro episódio deste ano foi assistido por 10,1 milhões de pessoas e o último atingiu 12,1 milhões, um recorde entre todas as séries de TV fechada. Levando em conta que muita gente assiste depois do episódio ir ao ar, como é o caso do aplicativo HBO Now, você chega a uma média de 30,6 milhões de espectadores por episódio! Uma alta de 34%  sobre a temporada anterior.

Game of Thrones
Game of Thrones reina absoluto entre as séries do momento

Ao contrário das TVs abertas, a HBO não tira receita dos anunciantes. Ela depende das assinaturas da TV paga. No Brasil é quando você para o extra pelos canais de filmes. Parte do valor pago vai para a HBO/Time Warner.

Então nós temos de 6 a 8 episódios de Game of Thrones por ano, ao preço de 10 milhões cada, chegando a um investimento de até U$ 80 milhões por ano. E quanto a série tem gerado de receita para a Time Warner?

É difícil mensurar exatamente, já que o ganho é indireto, pelo ganho em assinantes para o canal. O fato é que o número de assinantes da HBO chegou a 134 milhões ao final de 2016, ano também em que a receita do canal ultrapassou os U$ 5 bilhões pela primeira vez.

O The New York Times fez uma estimativa e chegou a conclusão de que a série gere pouco mais de U$ 1 bilhão anualmente.

Criar um sucesso tão grande também seus “problemas”. E ele acontece quando a série acaba. O que virá em seguida? Conseguirá a empresa criar um outro sucesso para conquistar os assinantes? A resposta para isso está no fato de Game of Thrones ter ocupado o espaço deixado por outro sucesso da HBO, The Sopranos, além de que já se estuda dois diferentes spin-offs do próprio Game of Thrones.

No meu ponto de vista, o segredo de todos esses sucessos (e nem falei de Westworld que também consta da lista) é a imensa equipe de profissionais de talento que criam todos esses universos e histórias. A receita do sucesso e material humando eles têm, mas nunca é possível garantir qual série irá melhor “viralizar” entre o público.

Não custa lembrar que mesmo que uma série termine, ela ainda gera royalties por continuar sendo exibida por emissoras do mundo inteiro. Seinfeld teve os direitos de streaming vendidos para a Hulu por U$ 875 mil por episódio e Friends foi comprada pela Netflix por mais de U$ 500 mil cada episódio. As duas, como Game of Thrones, estão entre as melhores séries de todos os tempos, mas acabaram há quase 20 anos!

Com tudo isso não é de se estranhar que para a próxima e última temporada, a HBO deva investir cerca de U$ 15 milhões por episódio e fechar a série de maneira épica.

AMC Networks (NASDAQ:AMCX)

A AMC possui e opera diversos canais de TV por assinatura nos Estados Unidos. O principal obviamente chamado AMC, mas também a WE tv, BBC America, IFC e Sundance TV. Também possui um cinema chamado IFC Center em Nova Iorque, uma companhia de filmes, IFC Films, além de serviços de streaming. Também possui uma divisão internacional.

A empresa foi formada em 2011 como um spin-off da Cablevision, que decidiu abrir o capital da sua produtora de conteúdo. Seus canais atingem cerca de 95 milhões de lares nos Estados Unidos.

The Walking Dead
The Walking Dead está entre as melhores séries da TV

Os resultados do terceiro trimestre de 2017, mostraram aumento de 2% da receita, mas de 31% no lucro operacional (19% ajustado) e de 34% no lucro líquido.

Muito do resultado da empresa é devido à série The Walking Dead, que chega à sua oitava temporada. Outra série importante deles que não chegou à lista chama-se Better Call Saul, que também tem sido bem recomendada.

O próprio CEO da companhia já disse que The Walking Dead pode continuar por anos, talvez décadas. Mesmo assim já existe até um spin-off rolando, Fear The Walking Dead, que já chega à terceira temporada.

Para efeito de comparação, o primeiro episódio da atual temporada foi ao ar recentemente e alcançou 11,4 milhões de pessoas. Um número extraordinário. E olha que no mesmo horário competiu com um rematch do SuperBowl passado, o jogo entre New England Patriots e Atlanta Falcons que arrebatou 16,7 milhões de espectadores.

Além de atrair e manter assinantes, ter um série de sucesso tão grande traz clientes para o canal online chamado AMC Premiere, onde você assiste a todas as séries e programas sem comerciais.

A empresa é de certa forma pequena perto da Time Warner e outras do ramo, o que a torna inclusive alvo de possível aquisição no futuro. A AMC tem atualmente valor de mercado de U$ 3 bilhões e a Time Warner U$ 69 bilhões.

The Walt Disney Company (NYSE:DIS)

A Disney é tão gigante que requer um artigo próprio, mas como ela é dona de algumas das séries, vamos falar um pouco dela.

A Disney-ABC Television Group é uma subsidiária que controla as produções televisivas da Disney e da ABC. O canal Freeform, dono da terceira série mais popular, Pretty Little Liars, é o antigo ABC Family. O History Channel é da A&E Networks, empresa dividida em 50% para a Disney-ABC e 50% para a Hearst Communications (empresa privada).

Não bastasse, duas outras séries que estão no topo de popularidade são Grey’s Anatomy e Marvel Agents of S.H.I.E.L.D do próprio canal ABC.

21st Century Fox (NASDAQ:FOX e FOXA)

A Fox foi fundada em 1986 pelo magnata australiano das comunicações Rupert Murdoch como parte de uma empresa maior, a News Corporation, criada em 1979.

Prison Break
Prison Break é a melhor série da Fox

A empresa atual, no entanto, foi criada em 2013 pela separação da parte de entretenimento e mídia (21st Century Fox) da parte de publicações (News Corp), ambas incorporadas em Delaware e com ações negociadas na Nasdaq.

Os ativos da empresa incluem o estúdio de cinema 20th Century Fox, a rede de TV Fox, os canais Fox News, Fox Sports, FX e National Geographic. Também possui a produtora Endemol Shine Group, criadora de reality shows como Masterchef e Big Brother, além da série Black Mirror que passa na Netflix. Além de tudo isso, possui relevante participação acionária na operadora de TV via satélite britânica Sky.

Possui três das séries mais populares, Prison Break, Gotham e Lucifer.

CBS Corporation (NYSE:CBS.A e CBS)

A CBS Corporation é a quinta maior empresa de entretenimento do mundo, logo atrás da Fox. Foi formada em 2006 pela separação da parte de televisão e rádio da companhia-mãe, a Viacom (NASDAQ: VIA e VIAB).

É proprietária do canal CBS, que produz a série The Big Bang Theory, atualmente na décima temporada.

A série é a jóia da coroa do canal e deve custar cerca de U$ 10 milhões por episódio nas duas próximas temporadas. Ela atinge em média 14 milhões de espectadores por episódio, recorde da TV aberta.

A série em si é produzida pela Chuck Lorre Productions (o mesmo responsável por Two and a Half Men) e pela Warner Bros, que recebem da CBS para poder ser exibida.

Comcast (NASDAQ: CMCSA)

A Comcast também é uma empresa gigantesca, que requer artigo específico. Ela é proprietária, como já mostrei, da NBC-Universal, que por si é dona da USA Network, que produz a série Suits, número 12 da lista.

Netflix (NASDAQ:NFLX)

Já abordei a Netflix em artigo próprio. Ela produz a série 13 Reasons Why, número 8 da lista.

Amazon (NASDAQ:AMZN)

A Amazon entrou pra valer na disputa pelo mercado de TV online, com o Amazon Prime Video. Sua série The Grand Tour fecha a lista de 20 mais populares. Já falei sobre a Amazon em artigo específico também.

Menção honrosa

Não faz parte das 20 séries mais populares, mas não poderia deixar de mencionar uma empresa canadense chamada Entertainment One, cujas ações estão listadas na Bolsa de Londres (LSE:ETO). Ela é proprietária do estúdo britânico Astley Baker Davies, criador da Peppa Pig. Se você não tem filhos não deve conhecer, mas quem tem filhos em idade pré-escolar já deve estar cansado de assistir.

Peppa Pig
Peppa Pig é a estrela da Entertainment One

O desenho da porquinha é transmitido em mais de 180 países, com tradução para mais de 40 idiomas e possui mais de 1.000 licenças ao redor do globo. Já ganhou 3 prêmios BAFTA e segundo a empresa, já tem novos episódios programados até 2021.

Mas quanto vende a Peppa? Somando TV e produtos licenciados, a cifra atingiu U$ 1,1 bilhão em 2016, ou seja, ela não é tão bonita quanto a Daenerys Targaryen, mas o poderio econômico está no mesmo patamar.

Conclusão

Acho que ficou bem claro que entretenimento também é um território onde não dá pra competir com os americanos. Eles têm as maiores empresas desse setor no mundo, as que mais crescem, como a Netflix, e algumas que estão entrando com tudo, como a Amazon.

Também se pode ver que Nasdaq não é só empresa de tecnologia e produzir conteúdo de qualidade vende. Esse papo-furado de que é preciso de dinheiro do governo e da lei Rouanet para produzir cinema, televisão e música é conversa de quem produz material ruim que ninguém quer assistir. É muito conveniente para muita gente receber dinheiro do governo e não ter compromisso com o público.

Nos Estados Unidos, os produtores entram pra ganhar. O funil do sucesso é estreito, 99% dos roteiros vão parar na lata do lixo, mas a recompensa são os mais de 700 bilhões de dólares e os 1,5 milhão de empregos gerados no país. Tudo isso porque o foco é o público e o público do mundo inteiro. Série que tem audiência permanece, série que não tem sai do ar. Simples assim. É por isso que as que estão aí são tão boas e fazem tanto sucesso.

Enfim, é um grande mercado para investir, melhor ainda se for nas grandes empresas cujas ações são negociadas nas bolsas americanas.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Este post tem 22 comentários

  1. Avatar

    Matéria muito boa! Parabéns..!!!!

  2. Avatar

    Bom dia.
    Ótima matéria.
    Gostaria de saber se existe algum ETF específico para esta área de entretenimento.
    Parabéns e obrigado.

      1. Avatar

        Olá I.I

        Praticamente temos ETFs para tudo hein? haha Esses dias vi uns caras falando sobre um ETF de maconha… cara, fim dos tempos 😛

        Abraços

        1. Investidor Internacional

          Olá Investifor Inglês,

          Tem mesmo. Facilita muito para quem quiser investir em um setor, mas não tem capacidade ou não quer ficar selecionando ação.

          Já imaginou a assembléia dos acionistas do ETF de maconha? 🙂

          Abçs!

  3. Avatar

    Engraçado que destas séries não vi nenhuma. Talvez nem veja. Quando sai a terceira temporada de Billions?

  4. Avatar

    Muito interessante II.

    Sou fa das 2 primeiras series da lista.

    Abraçao

  5. Avatar

    II,

    Sensacional. realmente esse entretenimento só tende a crescer uma vez que fica muito mais fácil assistir em celulares, tablets, computadores e etc. Antigamente só assistíamos o que passava na TV, hoje podemos ver inclusive pelo video game acessando Netflix ou o YouTube.

    Eu mesmo assisto bastante series, hoje assisto mais series do que filme mesmo. Tem uma lista grande que já assisti e atualmente estou na quarta temporada de GoodWife. Esse mercado não morre nunca pois os mais jovens ficam vidrados cada vez mais nas séries.

    Já tenho Disney no portfólio, veremos qual será a próxima.

    Abraço!

    1. Investidor Internacional

      Olá BPM,

      Show. Disney é bem bacana. Compraram a franquia Star Wars e vai ter filme novo todo ano até o fim dos tempos. 🙂

      Abçs!

  6. Avatar

    Fugindo do tema. Você conhece algum fundo que invista em moedas digitais, tais como bitcoin e suas correlatas?

  7. Avatar

    Apesar de ser um mercado legal, a maioria dessas empresas é ruim para o pequeno investidor, as que se salvam aí é a Disney e Comcast o resto é especulação.

    1. Investidor Internacional

      Olá Holder92,

      Acredito que pensando no longo prazo e sem querer surpresas, a Disney seria uma excelente opção.

      Ela acabou de comprar partes da 21st Century Fox esta semana.

      Abçs!

      1. Avatar

        Exato,

        Ela ta meio puta com essa parada da Netflix e vai montar o próprio serviço de streaming, como ela já tem o Know-How de como produzir séries e essa aquisição da Fox, deve incomodar bastante os concorrentes.

        1. Investidor Internacional

          Olá Holder92,

          Certeza. Essa é a beleza do capitalismo. A Netflix foi pioneira, mas agora tem gente grande no calcanhar dela.

          Bom para os consumidores.

          Abçs!

  8. Avatar

    Oi, Raphael!
    Era leitora esporádica daqui do site, mas agora estou fazendo um “intensivo” completo hahaha
    Achei muito interessante este artigo, pois desde que tenho lido sobre investimentos no exterior venho estudando sobre algumas empresas nas quais gostaria de investir e há um tempinho atrás, a HBO me veio na cabeça por ser uma produtora sólida (ainda preciso estudar sobre ela, está na minha lista).
    Se tudo caminhar como planejo, no segundo semestre estarei com ações na bolsa de NY, graças ao seu conteúdo.
    Abraços!

    1. Raphael Monteiro

      Olá Indianara,

      A HBO hoje faz parte da AT&T, que comprou a Time Warner.

      Boa sorte no seu planejamento. Espero estar ajudando.

      Abçs!

Deixe uma resposta

Posts com maior repercussão

Fechar Menu