O mínimo que você precisa saber para organizar seus investimentos

organizar investimentos

Não basta ter um plano. É preciso segui-lo

Às vezes eu gosto de retomar alguns pontos básicos dessa rotina de investir e mostrar que com um pouco de organização você aumentará as chances de sucesso.

É notório que em momentos de estresse do mercado, muitas pessoas se deixem levar pelo sentimento ou calor do momento e acabam tomando decisões que vão contra ao que haviam proposto inicialmente. É o caso clássico do “comprei uma ação, ela começou a cair, vendi para não ter mais prejuízo.”

Para evitar situações assim, eu elaborei 3 simples passos que irão lhe ajudar a organizar seus investimentos e evitar que tome decisões prejudiciais ao seu patrimônio.

1. Estratégia

Inicialmente, você precisa definir uma estratégia de investimento que siga o seu perfil de risco, as suas necessidades, a sua situação de renda/patrimônio e seus objetivos financeiros.

Entender a estratégia mais adequada para você fará toda a diferença quando for enfrentar o caminho que leva até suas metas.

O motivo é bastante simples. Os diferentes tipos de ativos possuem diferentes comportamentos nas diversas condições de mercado. Os títulos pós-fixados, por exemplo, são afetados pelas mudanças nas taxas de juros definidas pelo Banco Central. Ações do setor de consumo estão ligadas a atividade econômica das empresas desse setor. Títulos atrelados a inflação estão ligados aos juros e aos índices inflacionários. Fundos imobiliários (ou REITs) estão ligados ao valor do aluguel daqueles imóveis.

Se você não quer ver o valor do seu patrimônio cair 10 ou 20% em um mês, não invista tudo em renda variável. Se você gosta da ideia de ter renda “pingando” na sua conta e consegue encarar a volatilidade, ações pagadoras de dividendos e fundos imóbiliários (ou REITs) são alternativas a se considerar. Se você realmente tem foco no longo prazo, possui uma renda confortável, não liga para volatilidade e quer ter o máximo de retorno, pode investir uma maior parcela em ações e até mesmo ações small-caps com maior potencial de crescimento.

Portanto, antes de montar a sua estratégia, você precisa responder as seguintes questões:

  • O que estou buscando com meus investimentos?
  • Quanto de desvalorização do meu patrimônio eu sou capaz de suportar?
  • Possuo renda suficiente para me manter sem precisar me desfazer dos investimentos?
  • Qual meu horizonte de tempo para colher os frutos meus investimentos?

2. Análise

Após saber o que você quer, você precisa analisar o mercado financeiro em busca dos ativos que irão compor a sua carteira.

Se você gosta de renda, precisará procurar ações, fundos imobiliários e outros ativos que distribuem mais dividendos, ou títulos de renda fixa (que no exterior distribuem cupons de juros periodicamente). Dentro dessas classes, você deverá encontrar aqueles mais adequados ao seu perfil de investidor.

A análise também precisa levar em conta o momento do mercado. Um exemplo. Por mais que você queira investir em títulos de baixíssimo risco emitidos em moedas como Franco Suíço, Euro ou Iene, você não encontrará esses títulos pagando bons juros. Inclusive muitos estão no campo negativo. Se você carregar até o vencimento, receberá menos do que pagou. Mesmo títulos privados nessas moedas estão pagando juros próximos de zero.

Não basta você ter o seu perfil e definir a compra de certos investimentos se o mercado não está oferecendo nada interessante que se encaixe ali. No exemplo acima, relacionado aos títulos de renda fixa, a saída seria provavelmente investir em títulos emitidos em dólar por empresas com maior risco de crédito. Encontrar títulos que aliem uma relação ótima entre spread de juros e risco de calote, não é tão simples assim. Foi com esse objetivo até, que uso uma ferramente de inteligência artificial que mensalmente seleciona os melhores bonds para os assinantes do Passaporte Internacional. Dada a extensão do mercado internacional, acredito ser, de certa forma, inviável, querer fazer tudo “no braço”.

Uma outra questão relacionada a análise que eu gostaria de levantar aqui é a questão de tendências. Os mercados estão sempre mudando e identificar aquilo que irá crescer pode fazer a diferença em seus resultados. Quem identificou a onda do computador pessoal nas décadas de 80 e 90 ganhou muito dinheiro. Quem identificou a da internet e a dos smartphones e escolheu ações destes setores também. No sentido oposto a esse, pode-se identificar setores que não devem evoluir muito e evitá-los, como parecem ser os casos das empresas de tabaco e das tradicionais fabricantes de automóveis.

Enfim, análise é a tarefa de escolher os investimentos que irão seguir a sua estratégia.

3. Disciplina

Então você determinou seu perfil de investidor, montou uma estratégia, analisou o mercado, escolheu os ativos para compor sua carteira e deu as ordens de compra no home-broker.

A disciplina se dá em tudo que você fará de agora em diante. Você não só deverá acompanhar e controlar o seu “mix” de ativos, como também avaliar cada um e verificar se as teses de investimento permanecem válidas. A empresa de roteadores que você investiu está executando bem a venda dos novos produtos? A sua empresa pagadora de dividendos está gerando bastante caixa e aumentando a distribuição de proventos? O seu fundo imobiliário continua com alta taxa de ocupação e investindo em imóveis competitivos?

Ela também é importante para manter o foco e não deixar você se levar por flutuações de curto prazo. Se você comprou uma ação porque acredita que os produtos dela farão sucesso pelos próximos 10 anos, evite vender na primeira queda da ação. Você deve avaliar se ela está desenvolvendo bons produtos, se as vendas estão aumentando, se os compradores estão satisfeitos, etc. Você só deve vender se a empresa não entregar aquilo que você esperava em termos de vendas ou resultados. Requer tempo e reavaliações constantes.

Disciplina é você acompanhar e controlar seus investimentos para que eles não desviem da estratégia estabelecida.

Conclusão

Estar ciente dos itens acima ajudará você a organizar melhor seus investimentos. Também contribuirá para que você mantenha o foco e o controle sobre os seus investimentos e saiba exatamente aquilo que está fazendo.

Sair comprando ativos sem um bom motivo, poderá deixá-lo perdido, quando ocorrer algum revés. E é nessas circunstâncias que acontecem más decisões de investimento.

Seus investimentos são o seu futuro. Cuide como se fosse um filho.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Este post tem 16 comentários

  1. Avatar

    Sempre grandes artigos.

  2. Avatar

    Olá Raphael,

    Obg por mais um artigo. Comecei há 1 mês a investir nos EUA, existe algum app para controle de carteira que englobe as ações nacionais e internacionais?
    Abs.

    1. Raphael Monteiro

      Olá Pablo,

      Não conheço nenhum app que integre os dois. Você pode contornar isso com as planilhas do Google.

      Abçs!

      1. Avatar

        fiz uma planilha do google juntando os dois. é otimo para ter uma ideia geral. sugiro colocar um modelo no passaporte internacional. posso mostrar a minha…

        1. Raphael Monteiro

          Olá Patrícia,

          Eu também uso uma planilha (do Excel) para controlar meus investimentos.

          Estou montando uma planilha para os assinantes, mas ainda não está como eu gostaria.

          Se quiser me mandar a sua, use o contato da área de membros.

          Abçs!

  3. Avatar

    Ainda mantem na prática o passaporte internacional? Poderia explicitar melhor como é feita a pesquisa de seus ativos, se tem algum acompanhamento fundamentalista após sua indicação e quais os ativos são compostos por ele: stocks, reits, etfs, etc…Desde já agardeço a atenção

    1. Raphael Monteiro

      Olá Marcos,

      Sim, o Passaporte Internacional continua funcionando.

      Tanto a pesquisa quanto o acompanhamento são feitos com o uso de ferramentas e de relatórios de research. É feito um cruzamento de dados para encontrar as indicações de maior convicção.

      Você irá encontrar ações, REITs, ETFs, BDCs, CEFs, Bonds, etc.

      Abçs!

  4. Avatar

    Excelente post. Os 3 itens são fundamentais não apenas para investimentos, mas para quase tudo – ou até tudo – na vida.
    Boa semana!

    1. Raphael Monteiro

      Olá Rosana,

      Obrigado por levantar esse ponto. Tem razão. Serve para muita coisa mesmo.

      Abçs!

  5. Avatar

    Pablo, uso o Banktivity para controle dos meus investimentos nacionais e internacionais. Porém é um programa que só roda no ambiente iOS da Apple e é pago. Tem app pra celular e tablet mas a funcionalidade é melhor via desktop ou notebook. O Banktivity consegue registrar e acompanhar ativos em diferentes moedas e atualiza cotações automáticas pelo Yahoo Finance. O Banktivity serve tb para controle de orçamento pessoal. É um ótima ferramenta de controle financeiro.

    Raphael, parabéns pelo artigo! Vc escreve muito bem!

  6. Avatar

    Olá Raphael, belo post, sempre direto ao ponto, abordando questões muito importantes e que são esquecidas. Continue nesse caminho.
    Obrigado pelas sempre válidas I formações

  7. Avatar

    Olá II, tudo bem?

    Atualmente tenho 50% do patrimônio nos EUA (Ações e REITS) e 50% aqui no Brasil (FIIs e Renda fixa).

    Se considerar a data de hoje, estou no positivo em ambos, e ainda por cima sendo beneficiado com a alta do dólar.

    Minha dúvida é: tenho ouvido bastante ruído ultimamente sobre curva de juros invertida nos EUA, ouro subindo e possíveis sinais de uma recessão nos próximos anos.

    Vale a pena continuar aportando mensalmente em Renda variável?
    Atualmente aqui no Brasil tenho começado a aportar metade do valor mensal em RV e metade em RF (Tesouro ou fundo DI) para ter uma reserva de oportunidade. POrém nos EUA tenho aportado somente em Ações pois não acho as Bonds vantajosas.

    Qual seria sua recomendação?

    Por outro lado, tenho 2 ativos americanos que estão penando um pouco com a trade-war (O reit SKT e a ação FL). Você acha que quanto tempo pode levar para eles se recuperarem? Conhece os ativos?

    Excelente artigo.

    Abs,
    A

    1. Raphael Monteiro

      Olá Alexandre,

      Parabéns. Dividir 50/50 é uma excelente opção.

      Eu tenho sido bem constante nos investimentos independente das condições da economia. Estando com uma carteira bem balanceada ajuda a surfar melhor todos os momentos do mercado.

      SKT sofre porque é um REIT de shoppings. Acho que há opções melhores no setor. FL caiu bastante depois do último resultado. Só quem a acompanha de perto (algo que eu não faço) para saber se ficou barato demais, ou se os resultados continuarão caindo.

      Abçs!

Deixe uma resposta

Posts com maior repercussão

Fechar Menu