Os 4 investimentos que se valorizam nas crises

dollar is king

É na hora das crises que ativos de valor mostram realmente seu valor

Por mais que passemos anos falando de investimentos de baixo risco e reservas de valor, quando o mercado está em alta ninguém dá bola. Entretanto, é em momentos como esse que estamos passando que muita gente acorda para o nível de risco que tinha em carteira e não havia se dado conta. Isso tem acontecido tanto com pequenos investidores, quanto com os grandes gestores do Brasil e do mundo.

Já que a dor ensina mais do que os livros, acredito que valha a pena lembrar dos ativos que sobrevivem ao apocalipse, dos portos seguros de última instância, dos investimentos que se valorizam nas crises, daquela parte da carteira que pode passar muito tempo sem render muito, mas que nos salva em momentos como esse.

Bom, provavelmente você já deve conhecer o conceito de “reserva de emergência”, correto? A maioria dos educadores financeiros sugere que você mantenha parte do dinheiro em investimento de baixíssimo risco, com liquidez diária e rendimento pós-fixado. No Brasil, a escolha óbvia se dá para o Tesouro Selic ou para fundos de investimento DI sem taxa de administração e resgate D+0 ou D+1.

Como aqui eu gosto de sair do óbvio, vou enumerar o que eu considero como as melhores reservas de emergência, ou os 4 investimentos que se valorizam nas crises e que facilmente você pode adicionar à sua carteira.

Dólar dos Estados Unidos

Uma imagem vale mais do que mil palavras:

Dólar - Investimentos que se valorizam nas crisesComo eu mostrei no artigo As lições do coronavírus, o Dólar apresentou forte valorização nas crises de 2008 e 2015 e não está sendo diferente agora. Já está com 26,9% de alta em 2020.

A melhor maneira de guardar Dólar é ter uma conta bancária no exterior. Não só pelo fato de ser mais seguro, como também pelo fato da liquidez, já que você pode usá-lo em qualquer lugar do mundo por meio de um cartão de débito ou crédito.

A segunda opção, ter papel moeda, também é válida. Por outro lado, é mais difícil usar no Brasil e ainda corre o risco de dano ou roubo.

A terceira opção, ter fundo cambial no Brasil, é interessante, mas possui dois problemas: taxa de administração e imposto de renda sobre o rendimento.

De qualquer forma, exposição a Dólar continua sendo importante.

Treasuries

Os treasuries são os títulos de dívida do governo dos Estados Unidos. São considerados os mais seguros do mundo. Não que o governo dos Estados Unidos não faça suas lambanças, mas a máquina de imprimir dólar está no FED, então o risco de não pagamento é muito menor.

Como uma imagem vale mais do que mil palavras:

Treasuries - Investimentos que se valorizam nas crises

Uma valorização de 9,2% para o ETF que carrega treasuries com vencimento entre 7 e 10 anos em 2020 (medido em Dólar), fora os rendimentos distribuídos.

É por isso que governos de todo o mundo guardam a sua reserva de emergência em treasuries do governo americano. Numa situação de crise, quando mais se precisa de dinheiro, são os investimentos mais líquidos e que mais se valorizam na moeda mais forte (talvez a segunda, conforme você verá abaixo).

Em janeiro de 2020, esses eram os 5 países do mundo que mais detinham treasuries:

  1. Japão: U$ 1,211 trilhão
  2. China: U$ 1,078 trilhão
  3. Reino Unido: U$ 372 bilhões
  4. Brasil: U$ 283 bilhões
  5. Irlanda: U$ 271 bilhões

No total são U$ 6,8 trilhões detidos por dezenas de países.

E você, tem alguma reserva de emergência? Está em que exatamente? Responda nos comentários.

Ouro

Os detratores do ouro podem espernear à vontade. Na hora que a situação aperta, o mundo corre para o metal precioso.

Veja o comportamento do contrato de ouro mais negociado da B3 (OZ1D):

Ouro - Investimentos que se valorizam nas crises

São 30% de alta em 2020.

Em Dólar a situação foi mais volátil, dado que muitos investidores tiveram que liquidar ouro para cobrir margens de outros investimentos, mas continua 6% positivo no ano até aqui:

Ouro - Investimentos que se valorizam nas crises

Veja os 5 países (ou entidades) que mais detêm reservas de ouro no mundo:

  1. Estados Unidos: 8,1 mil toneladas
  2. Alemanha: 3,3 mil toneladas
  3. FMI: 2,8 mil toneladas
  4. Itália: 2,4 mil toneladas
  5. França: 2,4 mil toneladas

E você, possui alguma reserva em ouro que não seja a sua aliança?

Iene

O Iene talvez seja o participante mais inusitado deste grupo. Veja a valorização do Iene frente ao Real em 2020:

Iene - Investimentos que se valorizam nas crises

São 27,8% de alta no ano.

Mas contra o Real é até covardia. Vamos ver em relação ao Dólar americano:

Iene - Investimentos que se valorizam nas crises

Mesmo estável até aqui no ano, houve aquele pico no começo de março, mostrando uma forte busca pela moeda japonesa.

Mas como explicar o iene como um porto seguro se a economia japonesa não cresce e o país possui um endividamento de aproximadamente 200% do PIB?

A verdade é que a valorização do iene nas crises não é fruto da força de sua economia, mas da riqueza do seu povo.

Décadas como um dos maiores exportadores do mundo e com empresas japonesas se instalando em todos os continentes fizeram o Japão acumular tanta riqueza que hoje é o maior credor líquido do mundo em termos absolutos e detém este recorde há 29 anos.

O Japão possui hoje mais de 2,8 trilhões de dólares em Net International Investment Position (NIIP). É a diferença entre os ativos e passivos externos. Apenas 19 países do mundo possuem essa condição.

Em momentos de crise, a tendência é que investimentos em outros países, como mercados emergentes, incluindo o Brasil, retornem “para casa”. Assim, investidores japoneses tendem a tirar o dinheiro de outros países e levá-lo para o Japão quando o cenário econômico mundial é incerto.

A outra questão é que a moeda japonesa é muito usada para Carry Trade. Dadas as baixíssimas taxas de juros praticadas no país, muitos investidores do mundo pegam empréstimo em Iene e aplicam em moedas de outros países onde o juro é maior. Em momentos de estresse, esses investimentos tendem a ser desfeitos, fortalecendo o Iene.

Conclusão

Esses são investimentos que sozinhos não irão render muita coisa no longo prazo. Talvez nem dê para chamar Dólar e Iene de investimento. O fato é que dentro de uma carteira diversificada são as opções que irão lhe trazer calma e liquidez nos piores momentos do mercado.

Na crise de 2020 todos eles estão cumprindo muito bem o seu papel. Quem pratica o rebalanceamento periódico da carteira, em algum momento começará a vender os investimentos que valorizam nas crises e comprará as ações ou títulos que mais estão sofrendo. É uma receita simples e de muito sucesso, mas que só é lembrada quando já é tarde demais.

Aviso: Declaro que não sou analista de valores mobiliários. As informações discutidas no artigo possuem propósito educacional e refletem única e exclusivamente meus estudos, pesquisas e opiniões. Não devem ser consideradas como recomendação de investimento.

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no google
Google+
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no pinterest
Pinterest

Este post tem 13 comentários

  1. Avatar
    Douglas

    Minha reserva de emergência é:

    1 – Tesouro SELIC,
    2 – ETF de renda fixa em dolar (BSV)
    3 – Um pouco de dólar em cash

      1. Avatar
        Douglas

        Lembrei: Tenho também um “tiquinho” na poupança para casos em que eu precise do dinheiro “do dia para a noite”.

  2. Avatar
    Eder

    Bem, o que tenho pra dizer, é, que estou no litoral fazendo churrasco todos os dias e tomando muito prosecco vinho e cerveja pra comemorar essa palhaçada do goveno global, que pra esconder a verdade, tiveram que fazer de suas residencias um campo de concentraçao. Se todos ficassem nas ruas a verdade viria a tona. hahahaha

  3. Avatar
    Julia

    Boa tarde Raphael,

    Primeiramente, parabéns pelo conteúdo bem escrito e pertinente. Acompanho seus artigos e todos com uma linguagem simples, mas sofisticada.
    Esse é um dos melhores sites atualmente e recomendo sempre aos colegas que estão iniciando a trajetória de investimentos.
    Seu material sobre o mercado de ações dos EUA foi de grande valia.
    Penso em aportar ações norte-americanas assim que o dólar sofrer uma correção do mercado e houver um reequilíbrio após a pandemia.
    Agradeço o seu tempo disponibilizado para contribuir com a expansão de informações úteis para quem investe.

    1. Raphael Monteiro

      Olá Argentum,

      A prata tende a seguir uma dinâmica parecida com a do ouro, mas atualmente ela tem sofrido uma queda.

      Abçs!

  4. Avatar
    Paulo Anjos

    Então se a PRATA esta em queda é hora de comprar, o segredo para ganhar nos investimentos e comprar na baixa, acredito eu que a prata vai ter valorização mais que o ouro no futuro pela sua escasses!

  5. Avatar
    Pablo

    Fala Raphael, blz?

    Em 2017 participei do NAC Brasil, onde um dos palestrantes era o R. Kiyosaki. Ele frisava a todo instante a importância de ter uma parte do patrimônio em ativo que não pudesse ser manipulado.
    Rejeitava o dólar constantemente, e tecia comentários positivos ao Franco Suíço e Ouro. Dizia ter seu patrimônio nestes 2 ativos, que eram mais seguros.
    Eu, ainda muito incipiente, única coisa que fiz foi comprar alguns Francos. 🙂

    1. Raphael Monteiro

      Olá Pablo,

      Também acompanho o Kyiosaki.

      Todos eles, ouro, dólar e franco têm se valorizado bem. O problema do franco são os juros negativos.

      Abçs!

Deixe uma resposta

Posts com maior repercussão